19 março 2006

Relacionar-se com Deus 1/4

O Quadro

Esse quadro é uma tentativa de apresentar uma das mais profundas verdades da vida: Deus quer se relacionar com o ser humano e no decorrer de toda a história tem tomado a iniciativa de se aproximar de nós. Esse quadro fala do projeto inicial de Deus: relacionamento. Desde o começo era essa a sua intenção.

Ele hoje não diz muita coisa, mas no decorrer dos próximos domingos ele vai se transformar em uma lembrança permanente sobre esse grande desejo do coração de Deus.

Esse quadro vai ser ampliado e receber outras informações (Algumas, você mesmo vai incluir) até que essa verdade e os desdobramentos dela para nossas vidas fiquem completamente claros.

Hoje, pra começar, apenas quatro considerações:

1. Existe um Deus pessoal, criador de todas as coisas;
2. Nós, seres humanos, fazemos parte da criação de Deus;
3. Deus tomou a iniciativa de se revelar, de mostrar quem é;
4. A Bíblia é a auto-revelação de Deus para a humanidade.


Um Deus Pessoal

"Nenhum homem é uma ilha” Foi o que escreveu John Donne, poeta do século XVI. Somos seres relacionais. Temos necessidade de compartilhar, de estar junto de outras pessoas. É difícil imaginar que alguém possa viver bem cercado apenas de objetos. Falta alguma coisa. É unilateral. É você de um lado e o nada do outro. É você e você mesmo. Não há resposta, por isso não dá certo por muito tempo!

Quem assistiu “O Náufrago” com Tom Hanks, lembra do Wilson. O filme é a história de um executivo muito comprometido com sua empresa, ao ponto de deixar em segundo plano a família. Ele sofre um acidente em uma de suas viagens a trabalho e acaba em uma ilha deserta. Lá, entre os destroços do avião, ele encontra uma bola, cuja marca era Wilson.

Depois de quase enlouquecer de solidão, ele desenha um rosto na bola. Antes era só uma bola, mas agora com rosto e nome, Wilson, passou a ser seu companheiro naquela ilha deserta. Agora a bola era alguém. Alguém com quem falar, pra quem sorrir, com quem brigar, com quem discordar e compartilhar esperança. Mas o Wilson era uma farsa. Ele nada tinha a dizer. Ficava mudo impassível, sem expressão, sem opinião sobre nada.

Na verdade, algumas pessoas lidam com Deus como se Ele fosse o Wilson. Mas Deus não é um objeto a quem eu dou vida; ao contrário disso, Ele me deu vida. Deus não é uma força impessoal, uma energia positiva ou uma espécie de consciência da coletividade.

Deus é alguém, ele é uma pessoa! Deus não é gente, mas é pessoal. Na Bíblia vemos um Deus que fala, ouve, sente tristeza e alegria. Ele tem caráter e personalidade, enfim um Deus com quem é possível alguém se relacionar.

Um Deus Criador

Até o século XV, o mundo ocidental era muito religioso e acreditava em um Deus criador, ainda que fosse um Deus distante. Muitos erros e abusos foram cometidos pela Igreja durante a idade média, mas até aquela época o mundo ocidental acreditava em um Deus criador.

Entre os séculos XVI e XVII movimentos como o iluminismo, o renascimento, e também os grandes avanços científicos libertaram a humanidade de muitas crendices, mas ao mesmo tempo induziram a raça humana a um sentimento de auto-suficiência.

Os séculos XVIII e XIX foram o ápice dessa auto-suficiência. O homem se recoloca no centro das coisas, abandona a idéia de um criador e se proclama auto-gerado. Sem origem em um criador, o homem busca teorias que esclareçam de onde ele viemos, aliás, uma pergunta sempre em evidência. Darwin respondeu: somos descendentes dos macacos.

No século XX, a farsa dessa proposta, de um homem auto-suficiente, veio à tona: Guerras mundiais, genocídios, destruição dos recursos do planeta e total banalização do valor da vida humana. O homem que se dizia auto-gerado e auto-suficiente, caminha direto para a auto-destruição.

A despeito do que o homem pense sobre o assunto, Deus se apresenta desde o começo como o Criador da vida. Antes de tudo Ele era. Ele criou tudo que existe por sua vontade a partir da sua palavra.

Arquiteto, Engenheiro e Pedreiro

Mas que tipo de criador é Deus? Há alguns anos uma trilogia levou milhões aos cinemas: Matrix. O filme impressionava pelos efeitos especiais, muitos deles inovadores (e que depois foram copiados por muitos diretores).

Uma das cenas que causou muita discussão foi o diálogo do Neil com o criador da Matrix, chamado de Arquiteto, uma referência atravessada à pessoa de Deus.

Aliás, alguns grupos, como os maçons, também se referem a Deus como o Arquiteto. O Deus arquiteto é um Deus muito sábio, mas distante. É o Deus que até projetou a vida com muito cuidado, mas depois foi embora.

Mas Deus não afirma isso de si mesmo! Ele diz que além de arquiteto, ele também é o engenheiro, o mestre de obras e o pedreiro da criação. Literalmente, Ele diz que meteu a mão na massa. Trabalhou o barro com as próprias mãos para criar o que ele queria: um ser a sua imagem e semelhança.

Não houve acaso, mas intencionalidade; Não houve distância, mas proximidade; Não houve produção em série, mas artesanal.

Somos parte especial dessa criação. Ele nos fez para reconhecermos quem Ele é. Para que o reconhecimento da sua infinita bondade, do seu perfeito amor, da sua justiça eterna e de todos os seus atributos encha nossa vida de alegria.

Auto-Revelação

Como poderíamos, por conta própria, saber algo sobre Deus? O Deus criador, santo, bondoso, amoroso, justo e perfeito era antes de tudo, e criou tudo que existe. Por isso seria impossível conhecê-lo sem que Ele mesmo decidisse se revelar. E Ele fez isso.

Primeiro há uma revelação natural, isto é própria criação. A sobrevivência da vida em nosso planeta, as belezas da natureza e do universo, os intrincados códigos genéticos, o complexo funcionamento da mente humana apontam para um Criador. Ninguém que olhe um céu estrelado um acompanhe a gestação de uma criança pode dizer em são consciência: nunca pensei na existência de um Ser superior.

Além dessa revelação natural, Deus se apresentou ao ser humano através da Bíblia. A Bíblia é uma coletânea dos registros sobre o relacionamento entre Ele e diversos homem e mulheres no decorrer da história humana. Na Bíblia você vai encontrar a forma como Deus lida com a sua criação e principalmente com o ser humano.

Conhecer a Deus passa obrigatoriamente pela Bíblia. Não dá para desviar dela, nem evitá-la. Nela estão os registros das iniciativas de Deus para se relacionar conosco. Enquanto revela quem é Deus, a Bíblia aponta para Jesus como a plena revelação de Deus:

Na Bíblia lemos sobre os pensamentos de Deus, mas também sobre os seus sentimentos. É na Bíblia que descobrimos o que Ele ama, e também o que Ele odeia. Ninguém que deseje se aproximar de Deus pode esse livro.

Motivos para a auto-revelação

A pergunta é inevitável: Por que Criador do universo se revelaria ao ser humano? Por que um Deus eterno espontaneamente se apresentaria ao homem mortal? A resposta é uma só: Ele quer se relacionar conosco. Deus quer desenvolver um relacionamento com a sua criação.

O Deus trino é relacional e quer proximidade com sua criação, por isso ele se apresentou. Deus quer ser amigo, vizinho, colega e confidente porque ele sabe o quanto precisamos disso.

Seu desejo de se aproximar de nós é com o objetivo de oferecer um propósito de vida que valha a pena. Seu desejo é apresentar o projeto original, que estava no seu coração desde do começo, quando criou a ração humana: relacionamento.

Resumo da ópera

Deus não é um objeto nem uma força, ele é uma pessoa. Ele é o criador de todas as coisas, inclusive da raça humana, que Ele criou a sua imagem e semelhança. Deus tomou a iniciativa de se revelar ao homem tanto de forma natural, através do restante da criação, como de forma especial através de tudo que foi registrado na Bíblia. Ele fez isso porque quer desenvolver um relacionamento comigo e com você

O que eu faço agora?

Bom, agora você precisa fazer algumas perguntas pra si mesmo e eu quero lhe ajudar nisso.

Você acredita na pessoalidade de Deus, isto è, você está disposto a considerar que Deus tem vontade própria, emoções e sentimentos? Se isso não faz sentido pra você, eu quero lhe convidar a, junto comigo, procurar mais informações sobre o Deus de quem estamos falando. Às quartas-feiras, às 19:30, aqui mesmo, você vai ter a oportunidade de fazer essa e outra perguntas que tiver.

Você, que crer em um Deus pessoal, criador de todas as coisas, já parou pra pensar em quanto você acredita na Bíblia como uma auto-revelação de Deus? É a própria Bíblia que se apresenta dessa forma! E se Deus se revelou de forma especial através das escrituras, tentando assim se aproximar de mim e de você com o propósito de desenvolver um relacionamento conosco, como estamos tratando esse livro? Há um desafio para todos: encontrar Deus nas páginas desse livro

Você vai receber agora a bússola. É um recurso que vai lhe mostrar várias maneira de ler a Bíblia. Escolha uma das maneiras e comece essa semana.

Hoje nós ficamos ficar por aqui. Reflita sobre essas perguntas durante a semana e peça a Deus que revele a você através da Sua Palavra. Na próxima semana vamos conhecer as bases desse relacionamento.
Postar um comentário