17 agosto 2008

Heróis da Fé - Isaque

Introdução

Hoje vamos continuar nossas reflexões sobre os heróis da fé e comentar alguns fatos sobre a vida de Isaque. Não sei se você passou por aquela situação em que é chamado a falar algo sobre alguém e as coisas que lhe vêem à mente não vão ajudar muito a pessoa?

Vamos fazer um exercício aqui. Se você já leu a história dos patriarcas hebreus, pense agora o que você se lembra a respeito das realizações de Isaque? Quais são as situações memoráveis das quais ele participou? Alguma grande batalha, algum ato de bravura, alguma decisão importante? O que você se lembra a respeito das afirmações poderosas que ele fez? Você lembra algum título que ele tenha recebido?

Se os patriarcas da fé (Abraão, Isaque e Jacó) fossem uma família, Isaque seria o filho do meio que não encontrou sua identidade. Não há grandes afirmações sobre ele. Isaque era uma pessoa de aparência comum que passava pelas situações comuns da vida. Ele era um sujeito que poderia ser confundido com qualquer outro de seu tempo, mas foi colocado na galeria lado a lado com os baluartes da fé. Ele era uma espécie de anti-herói da fé.

Isaque não ganhou nenhuma batalha...
...Não construiu nenhuma cidade ou monumento;
...Não desenvolveu nenhuma tecnologia;
...Não foi um grande negociador;
...Não foi alguém muito sábio ou inteligente.

Se isaque foi considerado como um herói da fé (ele foi listado pelo escritor de Hebreu – capítulo 11- no famoso “pela fé fulano fez isso e aquilo), então isso quer dizer que há uma esperança para mim e para você.

Fatos na vida do Herói da fé

Vamos conhecer um pouco mais da vida desse herói da fé que é gente comum como você e eu. Para isso, vamos ver juntos algumas das histórias que a bíblia narra a respeito dele.

A infância

1-2 Portanto o Senhor fez conforme tinha prometido. Sara ainda que fosse já uma mulher idosa ficou grávida e deu um filho a Abraão, na altura que o Senhor lhes tinha indicado. 3 Abraão pôs-lhe o nome de Isaque . 4 Oito dias após o nascimento circuncidou-o, segundo o que Deus tinha ordenado. 5 Tinha então Abraão 100 anos de idade.

6-7 E Sara declarou: Deus fez com que eu me risse! E todos os que souberem o que me aconteceu hão-de alegrar-se comigo! Porque, quem havia de sonhar sequer que eu podia vir a ter um menino? E a verdade é que acabo de dar um filho a Abraão, já em plena velhice!

8-10 O tempo foi passando, o bebê ia crescendo, e foi desmamado. Abraão deu, nessa altura, uma grande festa com banquete para comemorar o acontecimento. No entanto Sara reparou que Ismael, o filho de Abraão e da sua criada Agar, se divertia com aquilo tudo, e fazia troça. Então disse a Abraão: Manda embora essa criada, mais o seu filho; porque este de maneira nenhuma poderá vir a herdar o que temos juntamente com o nosso menino! (Gênesis 21:1-10)

Isaque era o filho prometido. Imaginem só a situação: o “vovô” Abraão e a vovó Sara depois de muitas tentativas e mesmo depois de desistirem ficam grávidos de um garoto, que nasce com saúde.

Abraão era um homem muito rico e com certeza cercou o filhote de muito conforto e proteção. Não é difícil imaginar que o “isaquinho” era tratado como uma taça fina de cristal. A promessa de Deus dependia daquele menino. A mãe-vó Sara não podia ver qualquer ameaça ao menino que já partia em defesa dele. É arriscado dizer, mas talvez isaque tenha sido daqueles garotos que não podem ser contrariados.

Há muitos pais que pensam que a melhor forma de expressar amor aos seus filhos é jamais contrariá-los, mas isso não é verdade. Amar também é colocar limites.

Ainda bebê, isaque foi circuncidado conforme o pacto que Deus tinha feito com Abraão, portanto ele estava sendo criado pelos pais para ser um modelo. Afinal de contas, o pequeno Isaque era o cumprimento da promessa de Deus e precisava fazer tudo certinho.

Por volta dos três anos de idade, isaque foi desmamado e Abraão fez uma festa para comemorar esse momento. No meio da festa, Ismael começa “isaquear” Isaque. Os gracejos de Ismael não passam despercebidos, principalmente porque o texto indica que as piadas de Ismael em relação a Isaque tinham a ver com quem era o filho mais velho de Abraão, e portanto herdeiro da riqueza do pai. Ismael foi mandado embora.

Isaque cresceu sabendo sobre o encontro de Deus com seu pai e que ele era o cumprimento vivo da promessa de Deus. Essas histórias falavam da vida de seu pai, não da vida dele. Não é um exagero dizer que Isaque levava em sua alma o peso das expectativas de toda sua família.

É assim com você? Seus passos parecem mais difíceis, mais lentos, por causa do peso daquilo que esperam de você? Você é aquele que foi paparicado na infância e que agora carrega a responsabilidade de realizar o sonho dos outros, porque na verdade não tem o seus sonhos? Como é grande a carga extra sobre os ombros daqueles que não têm história própria.

Não se entristeça por causa disso. Se Deus fez de Isaque um herói da fé, há esperança para todos aqueles que têm suas histórias desbotadas pelo brilho daqueles que vieram antes. Deus tem um futuro significativo para você. O Senhor fará de você um herói da fé; ainda que você não se sinta, assim, com cara de herói.

A adolescência e juventude

Talvez por volta dos 20 anos, isaque vive uma história dramática, cheia de suspense e com um final surpreendente. Cedo pela manhã, ele é acordado por seu pai e chamado para fazer uma viagem. O caminho era longo, por isso eles prepararam provisões. O motivo era sacrificar ao Senhor, por isso eles levaram o que era necessário para o seu propósito.

1 Mais tarde, Deus quis provar a fé e a obediência de Abraão. Abraão!, chamou Deus. Dize, Senhor; o que é? 2 Pega no teu filho, Isaque, o teu único filho, a quem tanto amas, vai à terra de Moriá e oferece-o lá em sacrifício, num dos montes que te hei-de indicar.

3-5 No dia seguinte, de manhã cedo, preparou o seu jumento para a viagem, assim como a lenha necessária para o sacrifício, e, na companhia do seu filho Isaque e de mais dois moços, seus criados, partiu para onde Deus lhe tinha dito. Ao terceiro dia de viagem Abraão viu de longe o lugar para onde se dirigia; e disse aos moços que iam com ele: Fiquem aqui com o animal, porque eu, mais o meu rapaz, vamos até ali para adorar, e logo regressaremos. 6 Abraão pôs a lenha do sacrifício às costas de Isaque, pegou no sílex para o fogo e no cutelo e prosseguiram juntos.

7 Pai, disse Isaque. Temos lenha, temos lume para o fogo, mas onde está o cordeiro para o sacrifício? 8 Deus já escolheu um cordeiro, meu filho. E continuaram juntos o caminho.

9-11 Quando chegaram ao local designado pelo Senhor, Abraão construiu um altar, pôs a lenha em ordem pronta a arder, amarrou Isaque, deitou-o no altar em cima da lenha, e pegou no cutelo a fim de sacrificar o seu filho. Mas nesse preciso momento o anjo do Senhor gritou-lhe, desde o céu: Abraão! Abraão! Que é Senhor!

12 Baixa a tua mão, não lhe faças mal algum. Porque já sei agora que respeitas Deus, a ponto de não me recusares nem sequer o teu único e querido filho!

13 Logo a seguir Abraão reparou num carneiro que estava por detrás deles, preso pelas hastes a um arbusto. Pegou então no animal e sacrificou-o sobre o altar, em lugar do filho. (Gênesis 22:1-13)

Como terão sido aqueles dias de viagem de Isaque com seu pai? Mudos e fúnebres ou um passeio alegre e barulhento? Qual foi o impacto de tudo aquilo em sua vida?

Ora, no meio do caminho ele percebeu que algo estava errado: onde estava o cordeiro para o sacrifício? Ele estava familiarizado com essa forma de expressar louvor a Deus. A pergunta dele era sincera, porque não havia qualquer motivo que o levasse a desconfiar do que estava prestes a acontecer.

Mas, quando seu pai começou a amontoar as pedras e fazer um altar, imagino que aquele moço a ficar preocupado. Quando, então, seu velho seu pai, talvez com lágrimas nos olhos, sem dizer qualquer palavra, começa a amarrar suas mãos e seus pés, o coração de Isaque começou a bater forte e o instinto de auto-proteção lhe dizia para fazer algo rápido.

Por que Isaque não reagiu à aparente loucura do pai idoso? Por que Ele se deixou amarrar sobre um monte de pedras toscas e permitiu que o pai caísse sobre ele com um cutelo?

Porque seu pai, que o amava tanto, faria isso? O que ele tinha feito de errado? Onde ele tinha perdido o amor do pai? Ou será que era o próprio Deus que não gostava dele. Porque seu pai o estava usando no lugar do cordeiro?

Talvez seu passado tenham deixado muitas marcas. Talvez as memórias que vez por outra lhe assediam a alma sejam uma mistura de lembranças alegres de lindas viagens (como aquela que Isaque fez com seu pai), e outras lembranças incompreensíveis de dores sem motivos, de perdas que não eram para acontecer, como foi com Isaque.

Isaque foi profundamente marcado por aquele momento. Talvez as marcas que ele sofreu não sejam todas boas, mas, uma delas com certeza é: ele aprendeu de forma prática que a obediência a Deus é o resultado de um coração que confia completamente no Senhor.

Se sua alma foi partida, se você se sentiu traído por aqueles a quem ama, se você se sentiu usado como um objeto... nem tudo está perdido! Há uma esperança: mesmo que você esteja no meio do sofrimento entregue-se ao Senhor. Sua dor e suas dúvidas serão transformadas em bem para sua alma, se você aprender a confiar completamente no Senhor, ao obedecê-lo acima de tudo e qualquer um.

O Senhor tem o poder torná-lo um herói da fé, assim como Ele fez com Isaque.

A Herança

Sara, mãe de Isaque, fez de tudo para preserva a herança do seu filho, e pressionou Abraão para que ele expulsasse o filho da escrava Agar. No entanto, há uma herança que não precisamos fazer muito esforço para receber: a herança da convivência com nossos pais.

Quem ainda não se pegou falando, agindo ou pensando exatamente como o pai ou a mãe faziam?!

6 Assim ficou Isaque em Gerar. E quando os homens dali lhe perguntavam quem era Rebeca, respondia: É a minha irmã! Porque tinha receio pela sua própria vida se dissesse que era a sua mulher. Temia que o matassem por causa dela, visto que era muito atraente.

7-8 Mas algum tempo mais tarde, Abimeleque, rei dos filisteus, aproximando-se de uma janela do seu palácio, viu que Isaque acariciava a Rebeca, sua mulher.

9 Então mandou chamar Isaque e exclamou: Mas afinal ela é a tua mulher! Porque é que disseste que era a tua irmã? Porque tinha medo que me matassem para ficarem com ela!

10-11 Como é que foste capaz de nos tratar desta maneira? Podia muito bem ter acontecido que alguém tentasse violá-la, e todos nos teríamos tornado culpados de um grave delito por tua causa. Assim Abimeleque mandou publicar um comunicado em que dizia: Seja quem for que tocar neste homem ou na sua mulher morrerá. (Gênesis 26:6-11)

Isaque era realmente um cidadão comum. Ele carregava consigo as influências do comportamento e dos valores de seu pai. Por essa herança ele não precisou brigar. Para ele a mentira não era uma coisa desconhecida, mas fazia parte de sua história familiar.

É assim também com você? Talvez não seja a mentira, mas seja a arrogância, ou a omissão, ou o desrespeito, ou a insatisfação, ou talvez a agressão. Talvez a tristeza pela vida, ou a euforia sem razão. Quando você menos espera... Lá está você repetindo outra vez.

Não desanime! Se Deus fez de Isaque um herói da fé, Ele também pode fazer isso com você.

Nenhum de nós é riscado do caderninho de Deus por causa de nossas limitações. Esse é um aprendizado difícil para quem vivem na base do mérito, mas é necessário se desejamos nos relacionar como o Deus da Maravilhosa Graça.

Nossas heranças familiares não são empecilhos para a ação transformadora de Deus, ao contrário. O apóstolo Paulo recebeu a seguinte palavra do Senhor “o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”. Deus toma em suas mãos os fracos, sem ânimo e derrotados e transforma essa gente em heróis da fé. Está disposto?

Pensando aquém

A palavra aquém não é muito usada, mas ela quer dizer abaixo, inferiormente, menos. Parece que o mimo excessivo e a superproteção que Isaque sofreu na infância e adolescência foram golpes poderosos na imagem que ele tinha de si mesmo. Isaque pensava sobre ele mesmo aquém do que era verdade.

16 Disse também Abimeleque a Isaque: Aparta-te de nós; porque muito mais poderoso te tens feito do que nós. 17 Então Isaque partiu dali e fez o seu acampamento no vale de Gerar, e habitou lá. (...)

26 E Abimeleque veio a ele de Gerar, com Auzate seu amigo, e Ficol, príncipe do seu exército.27 E disse-lhes Isaque: Por que viestes a mim, pois que vós me odiais e me repelistes de vós?28 E eles disseram: Havemos visto, na verdade, que o SENHOR é contigo, por isso dissemos: Haja agora juramento entre nós, entre nós e ti; e façamos aliança contigo.29 Que não nos faças mal, como nós te não temos tocado, e como te fizemos somente bem, e te deixamos ir em paz. Agora tu és o bendito do SENHOR. 30 Então lhes fez um banquete, e comeram e beberam; (Gen 26:16-30)

Abimeleque, percebeu que Isaque tinha prosperado grandemente e que tinha se tornado mais poderosos do que todos os moradores da terra. Sua primeira providência foi mandar Isaque para outro lugar. Depois de um tempo, Abimeleque pensa melhor e resolve fazer uma aliança de paz com Isaque.

No entanto, as primeiras palavras de Isaque revelam que conseguia enxergar-se como alguém com quem outras pessoas desejassem desenvolver um relacionamento de paz. Ele não tinha segurança sobre si mesmo e sua principal reclamação era o fato de se sentir odiado e rejeitado por aquelas pessoas.

27 E disse-lhes Isaque: Por que viestes a mim, pois que vós me odiais e me repelistes de vós? (Gen 26:27)

Você já passou por isso? Ou isso é uma constante em sua vida? Talvez seja hora de você olhar para si com o olhos de Deus. Veja o que ele disse para Isac no meio dessa situação:

24 E apareceu-lhe o SENHOR naquela mesma noite, e disse: Eu sou o Deus de Abraão teu pai; não temas, porque eu sou contigo, e abençoar-te-ei, (Gen 26:24)

Não tema por causa de suas fraquezas, não tema porque causa de suas carência, não tema por causa de sua humanidade pecadora e falha, O SENHOR É COM VOCÊ. E fará de você um herói da fé.
Postar um comentário