07 agosto 2007

Deus é pai - Parte I

Introdução

Deus é pai, não é padrasto. Esse ditado é muito conhecido. Mas além de ser uma injustiça com tantos padrastos que se esforçam para cumprir o papel de pais junto aos seus enteados, esse ditado tem perdido força à medida que os pais têm se tornado cada dia mais confusos em relação às funções que devem exercer na família e na sociedade em geral.


Diário de Pernambuco

Edição de Segunda-Feira, 26 de Maio de 2003


Um pai esfaqueou e matou, na madrugada de ontem, o filho de seis anos e feriu a filha, de quatro, no município de Guaraciama, a 369 quilômetros de Belo Horizonte, na região norte de Minas Gerais... O crime teria sido motivado pelo ciúmes que Godinho sentia pela ex-mulher, Sidnésia Lima dos Santos, de quem estava separado há cerca de 15 dias... Embriagado e com uma faca, ele tentou agredi-la, mas a mulher conseguiu fugir... Em seguida, Godinho foi à casa de Sidnésia e desferiu uma facada no peito de E.L. G., que completaria hoje seis anos. O menino morreu na hora. Sua irmã, H.L. G., também foi atingida. Ela recebeu uma facada na parte esquerda do tórax.

Gazeta do Povo

Domingo, 05/08/2007

Um empresário de 66 anos matou os três filhos, de 4, 15 e 17 anos, e se matou em seguida em Alphaville, na Grande São Paulo. A tragédia foi descoberta nesta sexta-feira, quando a empregada chegou para trabalhar e desconfiou por ninguém atender a porta. Segundo testemunhas, o homem estava transtornado com o pedido de separação da mulher. O casal estava separado há três meses. Ao saber do crime, a mãe das crianças entrou em estado de choque e foi levada a um hospital. Na casa foram encontradas várias armas e caixas de munição.

Clica Brasília

08/07/2007 - 15:25:43

A cidade de Buritizeiro, no interior de Minas Gerais, amanheceu sob o impacto de uma tragédia familiar. Um aposentado de 67 anos de idade discutiu com o filho, que chegou bêbado em casa, e o matou com duas facadas. Agnaldo Gama dos Santos tinha 38 anos e deve ser enterrado ainda neste domingo. O aposentado está foragido... Segundo a Polícia, Agnaldo era alcoólatra e ficava agressivo com seus parentes todas as vezes que bebia. Dessa vez, porém, seu pai, que também tem problemas com bebida, revidou as agressões e acabou ferindo o filho na virilha e no peito. O homem foi levado para o hospital, mas acabou morrendo.

Portalmonte.com

28/03/2007

O técnico ucraniano Mykhaylo Zubkov pode ser expulso dos quadros da Fina (Federação Internacional de Natação) após ser flagrado agredindo a sua filha Kateryna Zubkova durante o Mundial de Esportes Aquáticos, em Melbourne... Zubkov havia se irritado com o desempenho da filha na competição. Após a prova, ele partiu para a agressão e as câmeras registraram o fato.

Jornal A Notícia

Terça-feira, 03 de julho de 2007


O Conselho Tutelar de Capão Alto, na Serra catarinense, denunciou à polícia a gravidez de uma menina de 13 anos, estuprada há 11 meses pelo pai. A menina e a mãe foram retiradas do convívio do homem. Na sexta-feira, a vítima passou por exames, que comprovaram a consumação do ato sexual e a gestação de cinco meses. Intimado, o pai, um lavrador de 33 anos, não compareceu à delegacia. A polícia pediu a prisão preventiva dele. Na família do acusado existe um histórico de crimes semelhantes.

Homens desorientados. Homens que esqueceram, ou nunca souberam, o significado de palavras como honradez, respeito, cuidado, sacrifício, dedicação, domínio próprio ou hombridade. Homens desesperados, irresponsáveis, apáticos, inseguros, inquietos, ansiosos (e por isso, violentos, espancadores e sanguinários) têm a possibilidade de gerar filhos.

A escassez de exemplos dignos de serem seguidos agrava a situação desses homens, que não encontram modelos em que possam se espelhar. É claro que é praticamente impossível ouvir as notícias acima e não ficar confuso com a idéia de Deus como pai.

Deus é pai no Antigo Testamento

O relacionamento de Deus com a criação sempre foi repleta de orientação e provisão. Desde o Gênesis, o Senhor interfere na história da humanidade como um pai que sustenta o filho e deseja prepará-lo para a vida.

As figuras mais comuns para ilustrar essa interferência no antigo testamento estão ligadas à necessidade de alguém que: estabeleça as regras de convivência entre as pessoas (Legislador), julgue as causas (O Juiz), batalhe contra os inimigos (General), provenha alimento e provisão (Pastor) e por fim estabeleça e mantenha uma sociedade justa (Senhor e Rei). Mas a figura de Deus como um pai não é estranha ao antigo testamento, pelo contrário.

Em um momento de adoração pública, diante de todo povo de Israel, o rei Davi afirmou:

Por isso Davi louvou ao SENHOR na presença de toda a congregação; e disse Davi: Bendito és tu, SENHOR Deus de Israel, nosso pai, de eternidade em eternidade. (1Ch 29:10)

O profeta Jeremias relata o lamento de Deus por que o povo de Israel havia abandonado o Senhor e começava a chamar de Pai suas imagens de escultura.

(26) Como fica confundido o ladrão quando o apanham, assim se confundem os da casa de Israel; eles, os seus reis, os seus príncipes, e os seus sacerdotes, e os seus profetas, (27) que dizem ao pau: Tu és meu pai; e à pedra: Tu me geraste. Porque me viraram as costas, e não o rosto; mas no tempo do seu aperto dir-me-ão: Levanta-te, e salva-nos.

(28) Mas onde estão os teus deuses que fizeste para ti? Que se levantem eles, se te podem livrar no tempo da tua tribulação; porque os teus deuses, ó Judá, são tão numerosos como as tuas cidades. (29) Por que disputais comigo? Todos vós transgredistes contra mim, diz o Senhor. (Jer 2:26 29)

Mas, talvez seja o profeta Isaías aquele que mais abertamente liga a intervenção de Deus em nossa história à figura de um pai.

Mas agora, ó SENHOR, tu és nosso Pai; nós o barro e tu o nosso oleiro; e todos nós a obra das tuas mãos. (Isa 64:8)

Mas tu és nosso Pai, ainda que Abraão não nos conhece, e Israel não nos reconhece; tu, ó SENHOR, és nosso Pai; nosso Redentor desde a antiguidade é o teu nome. (Isa 63:16)

Deus é pai na nova aliança

Séculos depois dos profetas, Jesus retoma e amplia a imagem de Deus como pai. Um pai que se faz presente na vida dos seus filhos. Ele nos sustenta com a provisão necessária à vida, supre nossas emoções através do seu amor constante e nos alimenta o espírito por meio de sua presença.

De capa a capa, a Bíblia nos revela um Deus que é pai.

O Conflito e as fugas

Ainda que a Bíblia esteja repleta de ilustrações sobre a atuação de Deus como um pai amoroso e cuidados, a realidade de pais desajustados gera um grande conflito em nossas mentes quando Deus nos é apresentado como um pai.

A sensibilidade de Maria

Esse conflito é a porta que tem levado muitos cristãos a desistirem de um relacionamento com Deus Pai e a optarem por um relacionamento impossível com Maria, que parece mais dócil em sua expressão de maternidade. Digo impossível, porque aquela abençoada serva do Senhor, não pode ouvir nem considerar os lamentos, o choro e a dor dos filhos de Deus.

Mesmo com sua vida exemplar, seu caráter quase irretocável e sua missão nobre, Maria foi humana como nós somos, viveu, morreu e hoje aguarda a plena revelação do seu Senhor juntamente com todos os servos de Deus. Ela Não pode ouvir-nos, porque não é onipresente nem onisciente; não poder interferir diante de Deus, porque Jesus é o único mediador; não pode em precisa intermediar nossa relação com Jesus, porque não há empecilho para chegarmos até Ele (Estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos).

Muitas crianças e até adultos agem assim: fogem do pai para os braços de alguém que lhes pareça menos controlador. Essa fuga para os braços de Maria nada mais é do que a expressão de fragilidade na fé do nosso povo, que não se dispõe a desenvolver um relacionamento maduro com Deus. Foge-se por desconhecer o amor do Pai.

A impessoalidade das deidades

a) Panteísmo

Outra fuga desse conflito no qual Deus se revela como um Pai, mas os exemplos de pai que vemos apontam para outra direção é tornar Deus impessoal. Assim, muitos criaram para si um deus sem vontade própria e sem opinião.

Há muitas religiões que fizeram isso através do panteísmo, que considera que Deus está presente em todas as coisas e que cada coisa é um pedaço de Deus. Deus é tudo e tudo é Deus.

Em diversas culturas panteístas, a idéia de um Deus que vive em tudo se complementa com o conceito de múltiplos deuses associados com os diversos elementos da natureza. Para os panteístas o divino também pode ser experimentado como algo impessoal, como a alma do mundo, ou um sistema do universo. Há uma associação clara com o misticismo. O objetivo do mortal é alcançar a união com expressão de divindade impessoal.

Os filmes e novelas estão lotados de idéias panteístas, que despersonalizam Deus. Mas o Deus da Bíblia, embora presente em todo o universo criado, não se confunde com sua criação. Ele tem personalidade.

Ele não renega sua posição de Criador nem desmente sua autoridade

(11) Assim diz o Senhor, o Santo de Israel, aquele que o formou: Perguntai-me as coisas futuras; demandai-me acerca de meus filhos, e acerca da obra das minhas mãos. (12) Eu é que fiz a terra, e nela criei o homem; as minhas mãos estenderam os céus, e a todo o seu exército dei as minhas ordens. (Isa 45:11,12)

Ele tem sentimentos e pode ser insultado por nossa maneira de viver.

O que oprime ao pobre insulta ao seu Criador; mas honra-o aquele que se compadece do necessitado. (Pro 14:31)

Ele se compadece dos cansados e os fortalece.

(28) Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos confins da terra, não se cansa nem se fatiga? E inescrutável o seu entendimento. (29) Ele dá força ao cansado, e aumenta as forças ao que não tem nenhum vigor. Isa 40:28,29

b) Utilitarismo e Manipulação

Se fora do cristianismo a fuga da presença de Deus é pela impessoalidade do panteísmo, dentro do cristianismo a tentativa de não ficar cara a cara com Ele encontrou uma saída na invenção de um deus-servo.

Novamente o conflito e a confusão entre a figura de Deus como pai e os exemplos que experimentamos em nossas vidas. Se Deus é um pai tão bom e cuidadoso, porque Ele não me da tudo que quero?

A saída mais rápida é relacionar-se com um deus que está sujeito às nossas determinações, uma espécie de gênio da lâmpada que atende aos nossos desejos. Temos medo de perguntar ao Pai: porque, Senhor, minha vida está do jeito que está? Talvez porque as lições que precisamos aprender não sejam tão fáceis e curtas como gostaríamos que fossem. Nada melhor então, que um deus-mago que não pergunta nem responde, só atende aos meus pedidos.

(11) Quando forem cumpridos os teus dias, para ires a teus pais, levantarei a tua descendência depois de ti, um dos teus filhos, e estabelecerei o seu reino. (12) Esse me edificará casa, e eu firmarei o seu trono para sempre. (13) Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho; e a minha misericórdia não retirarei dele, como a retirei daquele que foi antes de ti; (1Cro 17:11-13)

O Senhor não é um Deus mesquinho que não se importa com seus servos, ou um Deus fraco que não pode atender nossas necessidades, ou mesmo um Deus que se livra dos relacionamentos entregando presentes aos seus servos.

Ele tem prazer em nos abençoar e tem poder para conceder qualquer coisa; mas o Senhor não abre mão de desenvolver conosco um relacionamento livre e maduro. O Senhor não se deixa ser usado, Ele não cede às nossas tentativas de manipulação. Ao invés disso, Ele deseja um relacionamento de amizade conosco. Isso é o que Jesus explica aos seus discípulos: um pai que deseja ser amigo.

4 Tenham o cuidado de viver em mim, e deixem-me viver em vocês. Porque um ramo não pode dar fruto quando separado da videira. Por isso não poderão dar fruto afastados de mim. 5 Sim, eu sou a videira, e vocês são os ramos. Aquele que viver em mim e eu nele produzirá muito fruto. Pois sem mim nada podem fazer... 15-16 Já não vos chamo servos, pois estes não acompanham o que faz o seu Senhor. Vocês são meus amigos, e a prova disso é o fato de vos ter revelado tudo o que o Pai me disse. Não foram vocês quem me escolheram, mas eu vos escolhi a vocês e vos nomeei para irem e produzirem fruto, e fruto que perdure, de modo que o Pai vos dê tudo o que lhe pedirem em meu nome.

O Engano das Experiências Alheias

Acredito que parte da dificuldade em nosso relacionamento com Deus é porque, muitas vezes, não conhecemos o Senhor de primeira mão. Vivemos das experiências dos outros.

Corremos atrás de pregadores que entusiasmem e falem com autoridade. Peneiramos bons livros nas prateleiras das livrarias tentando encontrar algum que tenha uma resposta rápida para nossas perguntas. Amamos os gurus que descobrem uma verdade que ninguém até agora tinha descoberto. Mas qual a nossa experiência com Deus? O que nós descobrimos sobre ele em meio à oração, a leitura da palavra e a busca por uma vida santa?

Não haverá resposta para suas inquietações até que você deixe de se guiar pelas experiências alheias sobre Deus e procure você mesmo conhecê-lo. Enquanto nós mesmos não experimentarmos a intervenção de Deus como pai em nossas vidas, não haverá para onde ir e continuaremos a cair no conto das caricaturas de Deus que os outros nos apresentam.

Com os ouvidos eu ouvira falar de ti; mas agora te vêem os meus olhos. Job 42:5

Aqui é preciso atenção, porque se o seu cristianismo é apenas uma religião emprestada dos outros, então você é parecido com o galho seco da parábola de Jesus, que não produz fruto porque está desligado do tronco.

Eu não estou descartado o testemunho dos homens e mulheres de Deus, passado e do presente, sobre suas caminhadas com o Senhor. O que estou afirmando é que esse testemunho precisa levá-lo a uma vida pessoa de comunhão como Deus.

O Caminho para conhecer o Pai

Há alguém que conheça a Deus e seja capaz de revelá-lo a nós? Como chegaremos a Deus? O que podemos esperar podemos esperar de Deus como Pai?

Apenas o Senhor Jesus conhece realmente o caráter do Pai, e aqueles a quem Ele quiser revelar. Por isso, se queremos um relacionamento de pai e filho com o Senhor, precisamos olhar para Jesus e pedir a Ele que nos revele o Pai.

Todas as coisas me foram entregues por meu Pai; e ninguém conhece plenamente o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece plenamente o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar. (Mat 11:27)

Na verdade foi exatamente isso que Tomé fez: mostra-nos o pai, disse o apóstolo.

(6) Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. (7) Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai; e já desde agora o conheceis, e o tendes visto. (8) Disse-lhe Felipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. (9) Respondeu-lhe Jesus: Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não me conheces, Felipe? Quem me viu a mim, viu o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? (10) Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, é quem faz as suas obras. (11) Crede-me que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim; crede ao menos por causa das mesmas obras. (João 14:6-11)

O Pai revelou-se a nós através de Jesus. O seu caráter, sua maneira de relacionar-se conosco estão espelhadas na vida de Jesus e no seu relacionamento com o Pai. Alguns de nós nunca experimentamos um relacionamento sequer razoável com o próprio pai; além de serem poucos os exemplos de outros pais que cumpriram bem seu papel.

Mas, há alguém que experimentou em toda sua vida um relacionamento perfeito como Pai. Por isso Ele é o caminho para o Pai, e por isso podemos aprender com ele não só a nos relacionarmos com o Pai, mas também como sermos pais que amam em todo o tempo.

(6) Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

Você tem andado longe do Pai? Hoje é dia de dar um passo de fé em direção ao Ele, e isso só pode ser feito através de Jesus. Ele é o caminho.

No próximo domingo vamos aprender sobre Deus Pai e sobre o nosso papel como pais através do relacionamento entre Deus e seu filho Jesus Cristo. Você não pode deixar de vir e trazer seu pai para ouvir.

Postar um comentário