13 agosto 2007

Deus é pai - Parte II

Domingo passado vimos que o Deus da Bíblia é pai. Ele se revela com pai tanto no antigo quanto no novo testamento. Ele é um pai perfeitamente amoroso e justo.

Vimos também que nem sempre é fácil vê-lo desta forma. Nossas experiências com a figura paterna nem sempre ajudam a confirmar a imagem de Deus como pai. Muitos dos pais com que nos deparamos agem de forma violenta, são descontrolados, desorientados e inseguros; ou agem passivamente, são desinteressados, descomprometidos e desligados de seu papel como pai.

Quando esses modelos de pai são associados com Deus, nossa reação imediata é fugir dele. Há muitos caminhos para a fuga da presença de Deus. Vimos dois caminhos dos mais comuns em nossa nação.

O primeiro é virar às costas ao pai e correr para os braços de alguém que nos pareça maleável, sensível e capaz de nos compreender. Nosso povo, então tem corrido para os braços de Maria, mãe do Senhor Jesus. Maria foi uma serva preciosa do Senhor, uma mulher íntegra e cheia de virtudes; mas ela foi humana como nós somos. Ela morreu e hoje aguarda a plena revelação do seu Senhor. Ela não pode ouvir-nos nem tampouco interceder por nós.

O Segundo caminho é deixar de considerar Deus como uma pessoa e passar a tratá-lo de forma impessoal. Fora da Igreja o panteísmo esotérico é a forma mais comum. Quem trilha esse caminho não acredita em um Deus que tenha opinião sobre nossa maneira de viver; ou em um Deus que interfira ou interaja com as pessoas a partir da sua própria vontade. Deus se transforma apenas em uma energia cósmica ou em uma força que faz parte do universo.

Dentro da Igreja o caminho mais usual é tratar Deus como se Ele fosse uma máquina dos desejos. Fala-se com Ele apenas para pedir coisas; sua função e apenas atender minhas necessidades, sejam elas legítimas ou não; um Deus gênio da lâmpada, que é obrigado a fazer aquilo que eu lhe disser.

Em cada uma dessas situações estamos fugindo da presença de um Deus pessoal que se revela como nosso Pai; fugimos porque, na verdade não, o conhecemos e por isso temos medo dele.

No entanto há alguém que conhece o Pai e pode revelá-lo a nós. O Senhor Jesus é o caminho que nos leva ao Pai, sendo Ele mesmo sua plena revelação. Ele conhece o Pai por que tem um relacionamento íntimo com Ele. Por isso, que queremos parar de fugir da presença do Pai e conhecê-lo, para aprendermos a amá-lo, precisamos nos achegar a Ele através de Jesus.

Jesus e o Pai

O que Jesus afirma sobre o Pai? Como eles se relacionaram durante o ministério de Jesus? Será que é possível aprender sobre quem é Deus através desse relacionamento? Será possível aprender sobre nosso papel como Pai observando o relacionamento que o Jesus tinha com o Pai. Eu acredito que sim.

Prepare-se para navegar pela sua Bíblia. Hoje, nossa viagem será pelos evangelhos, que narram o ministério de Jesus. Vamos observar com cuidado algumas das situações em que relacionamento entre Jesus e o Pai se tornam visíveis, vamos aprender sobre o Pai Celeste e como ser um pai parecido com Ele.

Ama por igual

(44) Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; (45) para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos. (Mat 5:44, 45)

Deus não tem predileções. Ele ama por igual. Algumas vezes temos a tendência de achar que o Senhor prefere ou despreza alguns dos seus filhos, mas isso não é verdade. Há amor suficiente para ser derramado sobre todos nós, Ele não faz acepção de pessoas. Por isso não devemos ficar inseguros quanto ao Seu amor por nós, nem orgulhosos achando que Ele nos ama mais que os outro.

Quem deseja cumprir bem seu papel de pai, precisa imita o Senhor nessa questão. Os filhos são diferentes, reagem de forma diferente ao amor com que os amamos, mas essa resposta diferente não pode ser motivo de predileção ou desprezo. Não importa o motivo, se você despreza um filho em relação aos outros, está provocando nele sentimentos de insegurança que o acompanharão por toda a vida; da mesma forma se você destacar um filho em relação aos outros, apenas por causa de sua predileção pessoal, você estará alimentando nele orgulho e desprezo pelos outros irmãos.

Deus ama seus filhos por igual, e nós também devemos fazer assim.

Valoriza as atitudes corretas

(3) Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita; (4) para que a tua esmola fique em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. (Mat 6:3,4)

(16) Quando jejuardes, não vos mostreis contristrados como os hipócritas; porque eles desfiguram os seus rostos, para que os homens vejam que estão jejuando. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa. (17) Tu, porém, quando jejuares, unge a tua cabeça, e lava o teu rosto, (18) para não mostrar aos homens que estás jejuando, mas a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. (Mat 6:16-18)

O Senhor sabe o valor da recompensa. Ele sabe que as boas atitudes devem ser recompensadas como forma de confirmar aquilo que é certo. Ele não faz das recompensas um show, como se elas fossem mais importantes do que a atitude correta, mas Ele nunca deixa de recompensar seus filhos quando a direção certa é tomada. Por isso, quando o caminho certo for estreito e cheio de obstáculos, podemos ter esperança que ao final Ele tem preparado para os seus filhos bênçãos sem medida.

Se você for um pai que deseja imitar o Pai Celeste, você precisa aprender sobre o valor da recompensa. Quando seu filho faz algo certo, ou toma uma decisão acertada, você não pode simplesmente resmungar como se ele tivesse feito apenas sua obrigação. O mundo tem muitos prêmios para quem faz a coisa errada, você precisa premiá-lo por fazer a coisa certa. Mas, ATENÇÃO! A recompensa não pode ser mais importante do que a atitude correta que ele tomou, nem pode ser usada como uma forma de chantagem, senão você vai acabar tornando seu filho um manipulador, um chantagista que corre atrás apenas dos prêmios.

Conhece as necessidades dos seus filhos

(7) E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos. (8) Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes. (Mat 6:7,8)

(31) Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? ou: Que havemos de beber? ou: Com que nos havemos de vestir? (32) (Pois a todas estas coisas os gentios procuram.) Porque vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso. (Mat 6:31,32)

Não tenha dúvidas sobre isso, meu irmão: o Senhor sabe quais são suas necessidades. Antes que você fale, antes que ela se transforme em pedidos e lágrimas, antes que você compartilhe com alguém, o Senhor sabe o que você precisa. Ele sabe por que está sempre presente com você, porque Ele acompanha o seu dia-a-dia, porque ele está interessado em você. Ele não é um pai apático, meu irmão; O Senhor se move em direção às suas necessidades para supri-las no tempo certo.

Para sermos pais à semelhança de Deus, pai do nosso Senhor Jesus Cristo, é preciso está atento às necessidades dos nossos filhos. Não há como perceber essas necessidades se não estivermos presentes na vida deles. Você precisa acompanhar o dia-a-dia de seus filhos. Pais ausentes estão sempre em desvantagem, sempre correndo atrás do prejuízo. A vida é dinâmica e passa muito rápido. A festa perdida, o sorriso que você não viu, a tristeza que você não consolou, não volta atrás. Seus filhos precisam de você ao lado deles conhecendo e suprindo suas necessidades.

É confiável

(7) Pedí, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei e abrir-se-vos-á. (8) Pois todo o que pede, recebe; e quem busca, acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-á. (9) Ou qual dentre vós é o homem que, se seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? (10) Ou, se lhe pedir peixe, lhe dará uma serpente? (11) Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhas pedirem? Mat 7:7-11

Uma das características do caráter de Deus é que ele é plenamente confiável. Não há motivos para esperar dele maldade, desamor, maltrato, desconsideração, grosseria, desrespeito ou atitudes como essas. Deus é confiável. Ele não está lhe esperando na esquina para massacrá-lo, Ele não prepara armadilhas para surpreendê-lo. Jesus diz que o nosso Deus é um pai confiável, que não entrega pedras para aqueles que, famintos, pedem peixe.

Os pais precisam ser confiáveis. Nossos filhos não podem guardar desconfiança sobre nossas atitudes. Precisamos ser homens de caráter, homens honrados que rejeitam o mal e buscam o bem. Nossos filhos não podem ficar em dúvida sobre nossas atitudes, se são para o bem ou para o mal. Ser confiável é ser íntegro; é não ser dúbio nas atitudes, é poder ir com seu filho em todos os lugares por onde você anda sozinho.

Você precisa tornar-se cada dia mais confiável para seus filhos, porque a confiança perdida é um tesouro difícil de ser recuperado. Apenas a mão poderosa do Senhor pode fazer isso, e faz. O Senhor é um pai confiável e nos chama a sermos pais confiáveis.

Pronto a acudir, mas nunca para superproteger

(48) Ora, o que o traía lhes havia dado um sinal, dizendo: Aquele que eu beijar, esse é: prendei-o. (49) E logo, aproximando-se de Jesus disse: Salve, Rabi. E o beijou. (50) Jesus, porém, lhe disse: Amigo, a que vieste? Nisto, aproximando-se eles, lançaram mão de Jesus, e o prenderam. (51) E eis que um dos que estavam com Jesus, estendendo a mão, puxou da espada e, ferindo o servo do sumo sacerdote, cortou-lhe uma orelha. (52) Então Jesus lhe disse: Mete a tua espada no seu lugar; porque todos os que lançarem mão da espada, à espada morrerão. (53) Ou pensas tu que eu não poderia rogar a meu Pai, e que ele não me mandaria agora mesmo mais de doze legiões de anjos? (Mat 26:48-53)

O Senhor está sempre pronta a socorrer seus filhos. Você pode contar com Ele a qualquer tempo, em qualquer circunstância. O Senhor não permite que seus filhos sejam massacrados pelo inimigo, ele se coloca em nossa frente com um protetor. Você pode contar com a proteção dele seja qual for a situação, mesmo quando não houver mais ninguém para protegê-lo, o Senhor será a sua proteção!

Mas a proteção de Deus, muitas vezes, não invade o limite das conseqüências de nossas próprias decisões. Isso quer dizer que algumas vezes ele sofrerá a dor de nos ver sofre e não agirá em nosso favor. Ele permite como quem usa as circunstâncias da vida para ensinar verdades e valores que são eternos.

Se você quer ser um como o nosso Pai Celeste, você deve estar pronto a socorrer seus filhos. Não precisa mandar doze legiões de anjos, mas precisa estar ao lado dele quando ele precisar de ajuda. Assim como faz o Senhor conosco, você não deve livrá-los de toda dor, dos incômodos e desconfortos que a vida oferece. Você não pode sufocar seus filhos é preciso permitir que eles aprendam com os pequenos sofrimentos da vida sobre verdades e valores eternos.

Digno de ser imitado

(15) Retirou-se, então, o homem, e contou aos judeus que era Jesus quem o curara. (16) Por isso os judeus perseguiram a Jesus, porque fazia estas coisas no sábado. (17) Mas Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também. (18) Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só violava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus. (19) Disse-lhes, pois, Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que o Filho de si mesmo nada pode fazer, senão o que vir o Pai fazer; porque tudo quanto ele faz, o Filho o faz igualmente. (Joh 5:15-19)

Veja como o Senhor Jesus reconhece a influência do Pai sobre a vida dele. Se o Pai trabalha, ele trabalha; o que ele vê o Pai fazer, ele também faz. O nosso Pai Celeste é digo de ser imitado; você pode olhar para Ele e procurar ser igual a ele, fazer o que ele faz e isso vai lhe fazer muito bem. O Senhor Jesus encontrou no Pai um modelo de vida digno de ser copiado.

Queira você ou não, é isso o que você é para os seus filhos: um modelo de vida. Seu jeito de viver, sua maneira de tratar as pessoas, a forma como você usa seu dinheiro, sua escala de valores para a vida, precisam ser dignos de serem copiados, porque serão copiados ainda que você não queira.

Aquilo que você amar, seus filhos amarão; aquilo que você desprezar, seus filhos desprezarão; aquilo em que você encontrar valor, seus filhos valorizarão; se você mentir, eles mentirão; se você respeitar, eles respeitarão. Então, porque não viver uma vida digna de ser imitada?! Com Cristo isso é possível!

Capaz de declarar amor e alegrar-se com os filhos

(16) Batizado que foi Jesus, saiu logo da água; e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito Santo de Deus descendo como uma pomba e vindo sobre ele; (17) e eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo. (Mat 3:16,17)

(1) Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, a Tiago e a João, irmão deste, e os conduziu à parte a um alto monte; (2) e foi transfigurado diante deles; o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes tornaram-se brancas como a luz. (3) E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele. (4) Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, farei aqui três cabanas, uma para ti, outra para Moisés, e outra para Elias. (5) Estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu; e dela saiu uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; a ele ouvi. (Mat 17:1-5)

Deus declarou seu amor por Jesus publicamente. Ele não apenas amou, mas disse para Jesus que o amava e diante de todos disse quão grande era o amor que ele tinha por seu filho. Além disso, o Pai Celeste alegrou-se com os passos dados por Jesus, como nessa situação em que ele estava sendo batizado por João Batista.

Não basta que você ame seu filho. É preciso dizer para ele o quanto você ama. O Pai do Céu não perdeu nenhuma oportunidade de dizer isso, porque ele sabe o quanto é importante para um filho ouvir sobre o amor do seu pai. Experimente fazer isso; não vai doer nada e será um bálsamo para ele.

Aprenda a se alegrar com crescimento dele. Os pais não devem ter inveja de seus filhos, mas festejar a cada avanço que ele faz na vida. O pai que nutre inveja dos filhos precisa olhar para o Pai do Céu e encontrar conforto Nele para os seus insucessos pessoais, e não ficar melindrado com o sucesso dos filhos.

Ouve o que seus filhos dizem

(39) Disse Jesus: Tirai a pedra. Marta, irmã do defunto, disse-lhe: Senhor, já cheira mal, porque está morto há quase quatro dias. (40) Respondeu-lhe Jesus: Não te disse que, se creres, verás a glória de Deus? (41) Tiraram então a pedra. E Jesus, levantando os olhos ao céu, disse: Pai, graças te dou, porque me ouviste. (42) Eu sabia que sempre me ouves; mas por causa da multidão que está em redor é que assim falei, para que eles creiam que tu me enviaste. (Joh 11:39-42)

Jesus não tinha dúvidas que seu Pai o estava ouvindo. Ele estava acostumado a conversar com seu pai. O pai tinha tempo para estar com ele. Inúmeras vezes, os evangelhos mostram Jesus se retirando para regiões afastadas com o propósito de ter um tempo de conversa com o Pai. Você também pode ter essa certeza. Os ouvidos do Senhor estão atentos para as orações que você fizer. Você pode conversar com ele a qualquer momento, por que o Pai ouve o que seus filhos dizem.

Você é um pai que ouve os seus filhos? Você separa tempo para ouvir suas histórias? Nem sempre as histórias são importantes ou interessantes para você, mas são importantes para eles.

Você é capaz de parar de ouvir o jornal ou desligar a TV para ouvir seu filho? Você está realmente ouvindo o que Ele fala com você ou sua cabeça está a mil por hora, pensando nos negócios, no emprego, nas despesas do mês, nos clientes ou nos seus próprios problemas. Ouvir é estar interessado no que o outro está falando. Na verdade, é estar interessado no outro.

Ser um pai como o Pai Celeste é dispor-se a ouvir seus filhos, encontrar tempo para isso e fazê-lo com qualidade.

Rejeita a mediocridade, mas enche de esperança

O que dizer diante do desafio de ser um pai como o Pai Celeste? São tantas as atitudes que precisamos rever que não é difícil esmorecer. O Senhor nos desafia a rejeitar a mediocridade.

Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai celestial. (Mat 5:48)

Eu quero terminar deixando para você papai e futuro papai, palavras de conforto e ânimo da parte de Deus. Porque o mesmo Deus que nos chama à perfeição como Ele é perfeito, age como um Pai e enche nosso coração de esperança.

Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não te atemorizes, nem te espantes; porque o Senhor teu Deus está contigo, por onde quer que andares. (Jos 1:9)

O Senhor, pois, é aquele que vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará. Não temas, nem te espantes. (Deu 31:8)

...Esforça-te e tem bom ânimo, e faze a obra; não temas, nem te desalentes, pois o Senhor Deus, meu Deus, é contigo; não te deixará, nem te desamparará, até que seja acabada toda a obra... (1Ch 28:20)

não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça. (Isa 41:10)

Porque eu, o Senhor teu Deus, te seguro pela tua mão direita, e te digo: Não temas; eu te ajudarei. (Isa 41:13)

Não temas... pois achaste graça diante de Deus. (Luk 1:30)

Postar um comentário