24 agosto 2008

Heróis da Fé - Jacó

Introdução

Hoje chegamos ao quarto herói da fé: Jacó.

Começamos com vida de Noé, um homem íntegro com Deus, com boa reputação entre os seus e que acreditou no o Senhor lhe disse que faria. Noé confiou que a palavra de Deus se cumpriria, mesmo que contrário a todas as circunstância. Noé demonstrou sua confiança no Senhor através de sua obediência. Isso fez de Noé um herói da fé.

Depois, conhecemos um pouco mais sobre Abraão, o pai da fé. Um homem que não foi corajoso o tempo todo, mas que acreditou nas promessas de Deus, decidiu ser fiel unicamente ao Deus altíssimo e atendeu ao chamado de deixar sua cidade, seus parentes e tudo mais para alcançar algo que ainda não existia.

Em seguida, descobrimos que Isac foi uma espécie de anti-herói da fé. Ele era um homem comum, sem muita fibra. Filho único de pais idosos, mimado na infância, ele não realizou nenhum grande feito ou algo notável. O escritor de Hebreus, no entanto afirma que Isac, pela fé, creu na promessa de Deus e por isso abençoou seus filhos Esaú e Jacó com a mesmas promessas que os Senhor tinha dado a Abraão, seu pai

Hoje vamos conhecer alguns fatos da vida de Jacó. Ele deu nome ao povo descendente de Abraão. Em um momento marcante de sua vida, Jacó teve seu nome mudado para Israel. Os doze filhos de Jacó deram nome às doze tribos de Israel e são a base da formação da nação poderosa que, no oriente médio, tem seu limites geográficos na região prometida por Deus a Abraão.

Gêmeos, mas diferentes

Jacó e seu irmão Esaú eram gêmeos, mas não eram idênticos; nem por fora, nem por dentro.

19 E agora, o relato dos descendentes de Isaque, filho de Abraão: 20 Isaque tinha 40 anos quando casou com Rebeca, filha de Betuel, o arameu de Padan-Arã, e irmã de Labão.

21-22 Isaque orou insistentemente para que Rebeca lhe desse um filho, pois que era estéril. O Senhor ouvia as suas orações, e por fim ficou grávida. Dois bebês como que lutavam dentro dela. Mas porque sou assim?, exclamava. E pediu ao Senhor que a esclarecesse.

23 E o Senhor disse-lhe: Os filhos que tens no teu seio tornar-se-ão dois grandes povos rivais. Um deles será mais forte. E o mais velho terá de submeter-se ao mais novo.

24-26 E quando se cumpriu o seu tempo teve dois gêmeos. O primeiro ao nascer vinha tão cabeludo no corpo todo que até parecia estar envolvido numa manta de pele de animal. Então chamaram-lhe Esaú . O outro, ao nascer, vinha agarrado ao calcanhar do irmão. Por isso lhe puseram o nome de Jacó. Tinha Isaque 60 anos quando lhe nasceram estes dois gêmeos.

27 Entretanto os meninos cresceram e tornaram-se homens, e Esaú fez-se um hábil caçador, enquanto que Jacó tinha um feitio sossegado, e preferia ficar em casa. 28 Isaque gostava muito de Esaú, porque a caça também era muito do seu gosto. Rebeca tinha uma predileção especial por Jacó. (Gênesis 25:19-27)

Jacó era filho de Isaque e neto de Abraão. Abraão viveu 175 anos, Isaque viveu até os 180 e Jacó morreu com 147 anos. Quando Isaque nasceu, Abraão tinha 100 anos e quando Jacó nasceu, Abraão tinha 160 anos e Isaque tinha 60 anos. Se você fizer as contas vai ver que o vovô Abraão conviveu cerca de 15 anos com o netinho Jacó.

Não é demais imaginar que Jacó, sentado do colo do vovô Abraão, ouvia as histórias do ancião a respeito de como Deus o havia desafiado a sair da cidade de Ur, na caldéia. Abraão também deveria falar para Jacó sobre as promessas feitas para ele para os seus descendentes: Uma terra, uma descendência numerosa e prosperidade.

Esaú era o mais velho e tinha o direito de primogenitura (herança dobrada em relação aos demais irmãos). Ele gostava da vida livre do campo, era um caçador e pouco parava em casa. Jacó era alguns minutos mais novo que Esaú. Ele não era afeito a muitas aventuras e preferia cuidar dos negócios de casa.

Talvez Isaque tenha visto em Esaú o que ele próprio não foi e por isso afeiçou-se a Ele; Rebeca, por outro lado, apegou-se a Jacó, que logo se transformou em sua companhia mais presente.

É importante aqui deixar um alerta sobre os pais que permitem que sua identificação com o jeito de ser de um filho se transforme em predileção e por fim em parcialidade em relação aos outros. Os filhos são diferentes e precisam ser amados de forma diferente, mas isso chegar ao ponto em que o amor, a atenção e o cuidado são negados a um deles, estamos diante de uma situação capaz de destruir vidas e relacionamentos.

Descubra o jeitão do seu filho, perceba a maneira de ser de sua filha. Encontre o caminho para demonstrar a seu amor a todos eles, mas não abra espaço para a predileção. Não permita que a alma frágil de seu filho ou filha seja abalada pela dúvida em relação ao seu amor por ele(a).

Por causa dessa identificação com Rebeca, não é muito difícil imaginar que em sua infância e juventude Jacó tenha ouvido sua mãe falar inúmeras vezes sobre a resposta que ela recebeu de Deus quando estava inquieta em sua gravidez: dois povos rivais... O mais velho se submeterá ao mais novo.

O esquema de Jacó

Jacó creu nas promessas dadas ao avô Abraão e ambicionou o direito de primogenitura do irmão mais velho. Na primeira oportunidade, ele fez um negócio particular com o irmão.

29 Um dia Jacó estava a preparar um guisado quando chegou Esaú, exausto de correr pelos campos à caça.

30 Deixa-me comer desse teu guisado apetitoso e vermelho que aí tens! Até foi por isso que lhe ficou a alcunha de Edom .

31 Está bem, disse Jacó. Mas em troca, dás-me o teu direito de filho mais velho.

32 De acordo. Porque, no fundo, para que me há-de servir isso se estou a desfalecer, quase a morrer!

33 Então jura-me diante de Deus que esse direito há-de ser meu!E Esaú jurou, vendendo assim o seu direito de filho primogênito ao irmão mais novo.

34-35 Jacó deu-lhe o guisado de lentilhas que estava a preparar, mais o acompanhamento. Esaú comeu, bebeu e foi-se embora indiferente à perda dos seus direitos de filho mais velho. (Gênesis 25:29-35)

Na verdade não há nada de errado em almejar o melhor para nossas vidas. Mas é preciso ser cauteloso quanto aos meios que usamos para obter o que queremos. Maquiavel, em sua obra “O Principe” afirmou que os fins justificam os meios, mas para Cristo os meios devem ser tão nobres quando os fins. Se a maneira como alcançamos nossos objetivos é escusa, então não há legitimidade naquilo que se obtivemos.

O apóstolo Paulo, no capitulo 13 da primeira carta aos coríntios, afirma que os dons não forem exercidos por amor, o resultado deles não serve pra muita coisa.

1 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine. 2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. 3 E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. 1Co 13:1 .

O esquema de Isaque

Se por um lado, Jacó tinha um plano pessoal para alcançar seus objetivos. Por outro lado, Isaque planejava cumprir as tradições, principalmente porque isso beneficiava Esaú, seu filho predileto.

Quando ele se aproximou dos 140 anos achou que sua morte já estava próxima e, em segredo, falou para Esaú que estava na hora de que ele recebesse a bênção da primogenitura. Esaú achou ótimo, e fez questão de se esquecer do negócio que tinha feito como o irmão mais novo.

1 Um dia quando Isaque já estava bastante idoso e meio cego, chamou pelo filho mais velho. Que é, meu pai?

2-4 Escuta. Eu já estou muito velho; e conto com a morte quase em cada dia. Por isso pega na tua arma de caça, vai ver se me apanhas algum animal e prepara-mo daquela maneira que tu sabes - como eu gosto, saborosa - depois traz-mo cá para que coma, e para que te dê a bênção que te pertence como filho mais velho; após isso estarei mais à vontade para morrer quando for o momento disso. (Gênesis 27:1-4)

O esquema de Rebeca

O nosso herói da fé, a essa altura, estava obcecado com o seu próprio planejamento para obter o que desejava. Jacó esqueceu-se que bênção e heranças não devem ser exigidas, mas recebidas. Jacó, o nosso herói da fé, achava que não se poderia correr o risco de dar errado as bênçãos prometidas a Deus ao seu avô Abraão. O que seria das promessas de Deus? Como se cumpriria o que sua mãe lhe falara sobre ele, Jacó, ser superior ao seu irmão Esaú? Jacó, o nosso herói da fé, então, foi cúmplice em uma trama cheia de mentira, engano e manipulação.

5-7 Ora Rebeca ouviu essa conversa. Por isso quando Esaú saiu para caçar, chamou Jacó e contou-lhe o que o pai tinha pedido a Esaú. E acrescentou:

8-10 Agora vais fazer exatamente o que eu te disser: Vais ao rebanho, trazes-me de lá dois bons cabritos ainda pequenos, e eu própria os prepararei da forma que o teu pai gosta. Depois leva-lhos para que os coma, e por fim te abençoará em lugar de Esaú!

11-12 Mas, mãe!, retorquiu Jacó, bem sabes que Esaú é muito cabeludo, e que eu tenho pele lisa; o pai vai querer tocar-me, para se certificar! E vai ver que eu quis enganá-lo, o que trará sobre mim antes maldição e não bênção!

13 Se te amaldiçoar, que isso caia sobre mim, meu filho. Faz o que eu te digo. Vá, vai já buscar os dois cabritinhos como te pedi.

14-18 Jacó assim fez. Foi buscar os animais que a mãe preparou conforme o pai gostava. Rebeca em seguida trouxe as melhores roupas de Esaú, as roupas de dias de festa que estavam ali na casa, e mandou que Jacó os vestisse. Depois com as próprias peles dos cabritos fez duas luvas para as mãos do filho, assim como uma faixa que lhe pôs à volta do pescoço; por fim deu-lhe o guisado, que estava muito saboroso e que cheirava muito bem, juntamente com pãezinhos frescos feitos para aquela altura. Jacó levou o tabuleiro com a comida ao quarto onde o pai estava deitado: Pai? Sim, meu filho. Mas quem és, Esaú ou Jacó?

19 Sou Esaú, o mais velho. Fiz o que me pediste. Aqui está a caça preparada como tu gostas. Levanta-te, come e abençoa-me segundo tudo o que sentes no coração. 20 Como foi que conseguiste apanhar caça assim tão depressa, meu filho?Foi o Senhor que a pôs no meu caminho!

21 Chega-te aqui. Quero sentir-te, para ver se és realmente Esaú. 22 Jacó aproximou-se do pai, que lhe tocou no corpo. A voz é a de Jacó; mas as mãos são realmente as de Esaú! 23 E não conseguiu reconhecê-lo porque o disfarce que Jacó trazia o enganou.

24 És mesmo Esaú? Sou, sim Senhor! 25 Bem, então chega-me aí a comida; depois de comer abençoar-te-ei conforme tudo o que sinto no coração. Jacó chegou-lhe a travessa; ele comeu, acompanhado com o vinho que o filho também lhe trouxera.

26 Vem cá e dá-me um beijo, meu filho! Jacó chegou-se e deu-lhe um beijo no rosto. Isaque cheirou as roupas que ele tinha vestido; finalmente pareceu convencido e abençoou-o.

27-29 Este cheiro do meu fiho é o bom cheiro da terra e dos campos que o Senhor abençoou! Que o Senhor te dê sempre abundância de chuvas para as tuas searas, colheitas ricas e vinho novo. Que muitos povos te venham a servir e te honrem. Que sejas senhor dos teus irmãos e que te respeitem. Malditos sejam os que te amaldiçoarem e benditos sejam os que te abençoarem.

30-31 Isaque tinha acabado de abençoar Jacó, e este apenas tinha saído do quarto onde se encontrava o pai quando Esaú chegou da caça. Foi também preparar o prato favorito do seu pai e trouxe-lho: Pronto, aqui estou eu, meu pai, com a caça que me pediste. Senta-te e come, para que me possas dar então a tua melhor benção!

32 Mas, quem és tu? Sou eu, Esaú, teu filho mais velho!

33 Isaque começou a tremer todo. Então quem foi que esteve aqui agora mesmo, e que me deu a comer da caça que eu pedira, e a quem eu já abençoei, sem poder voltar atrás?!

34 Esaú, ao ouvir aquilo, começou a clamar de desespero profundamente amargurado. Ó meu pai, abençoa-me, abençoa-me também!

35 Foi o teu irmão quem esteve aqui e me enganou, e conseguiu tomar de mim a tua bênção!

36 E Esaú comentou decepcionado: Não é de admirar que se chame Suplantador! Primeiro ficou-me com o meu direito de filho mais velho, e agora arrebata-me a bênção. Pai, então não tens ainda alguma bênção para me dar?

37 Eu pu-lo por teu senhor; os seus parentes e tu próprio o servirão; garanti-lhe abundância de trigo e de vinho. O que é que há-de ter ficado para ti?

38 Mas, nem uma só pequena bênção ficou para mim? Pai, abençoa-me também! E Esaú chorou de desespero.

39-40 Não terás uma vida fácil, nem confortável - a terra não te dará o melhor que tem, nem o céu as suas chuvas. Mas pela espada conseguirás abrir-te um caminho na vida. Por um tempo servirás o teu irmão, mas por fim sacudirás o seu domínio e ficarás livre. (Gênesis 27:4-40)

Você achava que era só na sua família que tinha essas “arrumações”? Pareceu lógico para Jacó e Rebeca, sua mãe, que a prosperidade prometida por Deus deveria começar com a herança de Isaque. O nosso herói da fé não conseguir aguardar que Deus agisse, e resolveu agir por conta própria, talvez com medo de que Deus fracassasse.

Vale lembrar que depois desse episódio, Jacó teve que fugir da casa do pai “com uma mão na frente e outra atrás” (Esaú jurou o irmão de morte, assim que o pai morresse). Jacó acabou como empregado de um tio chamado Labão e por 20 anos trabalhou para esse tio. Toda a riqueza de Jacó, portanto, não veio da herança do pai, mas da bênção do Senhor em seu trabalho com o tio.

E você meu irmão, qual é o seu plano mirabolante? Qual é o esquema que você montou para que a bênção do Senhor lhe alcance? Alguém precisa ser enganado, ou o enganado é só você mesmo? Será que uma meia-verdade precisa ser dita (afinal é para uma boa causa)?

Você às vezes age como Jacó, que considerou as bênçãos e as promessas mais importantes do que os princípios de Deus? O que você acha de experimentar a fé. Confie no mover de Deus e não abra mão daquilo que o Senhor acha importante. Assim, o seu modo de viver se tornará digno do chamado que temos de Deus para sermos santos.

1 Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, 2 com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, 3 procurando diligentemente guardar a unidade do Espírito no vínculo da paz. (Eph 4:1-3)

O esquema de Deus

Um encontro pessoal

O plano de Deus para transformar pessoas comuns em heróis da fé passa primeiro por um encontro pessoal com Ele. Não haverá grande benefício para você Ele é o Deus da igreja. Não adianta muito se o Deus a quem você adora é o Deus do seu pai, ou o Deus de sua mãe. Também não vai se de grande valia se ele for apenas o Deus do pastor, ou o Deus de algum pregador famoso.

Deus deseja encontrar-se com você. Foi assim que aconteceu com Jacó.

10-11 Jacó partira pois de Berseba a caminho de Harã. Ao anoitecer, procurou um local onde passar a noite; procurou uma pedra que lhe servisse de cabeceira para descançar a cabeça, e adormeceu.

12-14 A dormir, sonhou com uma escada que ia da terra até ao céu, e os anjos de Deus subiam e desciam por ela. No cimo das escadas estava o Senhor, que lhe disse: Eu sou o Senhor, o Deus de Abraão e do teu pai Isaque. Essa terra em que estás deitado é tua. Dar-ta-ei a ti e aos teus descendentes. Porque terás tantos descendentes como o pó da terra; hão-de cobrir a Terra do Oriente ao Ocidente, e do Norte ao Sul. E todas as nações da Terra serão abençoadas por intermédio de ti e deles.

15 E mais ainda, eu estou contigo e te protegerei onde quer que fores; hei-de tornar a trazer-te com segurança a esta terra. Serei contigo a todo o momento, a fim de te dar tudo quanto te estou a prometer.

16-17 Jacó acordou: Deus vive aqui, e eu não sabia!, exclamou. E teve medo. Que lugar tremendo! Isto é mesmo a própria entrada no céu!

18-22 Na manhã seguinte levantou-se cedo, pegou na pedra sobre a qual tinha dormido, ergueu-a e colocou-a em forma de pilar, em sinal comemorativo, derramando azeite sobre ela. E chamou àquele local Betel , ainda que o nome da localidade próxima dali fosse Luz. E formulou assim este voto: Se Deus me ajudar e me proteger nesta viagem, se me der comida e roupa, e me trouxer em segurança de novo para os meus pais, então o Senhor será o meu Deus. E este pilar tornar-se-á um local de adoração, comprometendo-me a dar-lhe a décima parte de tudo quanto ele me der. (Gênesis 28:10-22)

Não bastava que Deus fosse de Deus de Abraão e Isaque! Ali, no meio da estrada, não tinha mais ninguém. Abraão, o avô já era morto. Isac não estava lá, Rebeca não estava lá, Esaú não estava lá. Era só Jacó é Deus. E Deus falou com Jacó.

Hoje não tem mais ninguém. É você e Deus. E ele quer falar com você. Quero encorajá-lo a falar com Ele agora como o seu Deus. Agora é você Ele.

Um espelho para nos vermos

Deus queria ensinar coisas a Jacó sobre o seu caráter. É assim que acontece com aqueles que se encontram com o Senhor. Ele entram na escola de Deus.

Jacó era um sujeito esperto que sempre saía levando vantagem. Deus então providenciou um espelho para que Jacó se enxergasse. Labão, seu tio, irmão de sua mãe, era esse espelho.

16-18 Labão tinha duas filhas, Leia a mais velha, e a segunda, Raquel. Leia tinha uns olhos muito bonitos, mas Raquel era formosa e tinha encanto. Ora como Jacó amava Raquel, disse: Trabalho para ti durante sete anos, e depois deixas-me casar com Raquel.

19 De acordo! Prefiro dar-ta a ti do que a um outro qualquer fora da família!

20-21 Dessa forma trabalhou Jacó sete anos por Raquel; e pareceu-lhe pouco tempo, pelo muito que a amava. Chegou por fim a altura de casar com ela. Cumpri o contrato. Agora dá-me Raquel, para que seja minha mulher, disse a Labão.

22-23 Labão juntou os homens todos do local para fazer uma festa celebrando o acontecimento. E quando a noite já ia avançada, Labão, aproveitando-se do escuro, trouxe Leia aos aposentos de Jacó, o qual veio a tomá-la por mulher.

24 (Labão deu a Leia, para ser a sua criada, uma empregada da casa, Zilpa.)

25 Aconteceu portanto que na manhã seguinte Jacó veio ter todo indignado com Labão: Mas que foi isto? Porque é que me enganaste? Não trabalhei eu sete anos para ter Raquel?

26-27 Mas é que não é costume fazer assim nesta terra, respondeu o sogro. Nunca se dá a filha mais nova em casamento antes da outra! Deixa passar a semana habitual de núpcias, e terás então Raquel também, mas se prometeres trabalhar para mim mais sete anos!

28 E Jacó concordou em trabalhar outros sete anos, ficando com Raquel igualmente.

Parece que Jacó encontrou um esperto, mas esperto do que ele. Os 20 anos que Jacó passou como empregado de Labão serviram eram uma oportunidade para que ele avaliasse suas próprias atitudes.

Os espelhos são parte do tratamento de Deus, por isso não fuja deles. Às vezes são pessoas, às vezes são circunstâncias da vida, às vezes é a própria palavra de Deis. Não importa! Não fuja dos espelhos, porque eles fazem parte da maneira como Deus nos ensina sobre nós mesmos.

Quando o Senhor estiver revelando coisas sobre você, ouça. Considere o que Ele estiver dizendo, porque com certeza é para o seu bem.
Postar um comentário