18 junho 2006

A luta e as Batalhas - Introdução Parte 2

Introdução

Domingo passado vimos que a Bíblia, de Gênesis a Apocalipse, descreve com naturalidade a existência de uma dimensão espiritual na qual é travada uma luta permanente entre seres espirituais leais ao Criador, que O honram e adoram, e um outro grupo de seres rebeldes a Ele. O ponto de disputa dessa luta é o relacionamento entre a criação e o Criador.

As forças rebeldes ao Senhor têm apostado por milênios que não vale a pena amar, servir e adorar ao Senhor. Eles têm trabalhado arduamente para convencer a humanidade de que Deus e seus valores devem ser desprezados.

As forças leais ao Senhor têm demonstrado, a partir de sua lealdade, que o Deus Eterno e seu filho Jesus Cristo são dignos de todo amor, serviço e adoração. Enquanto isso, elas assistem aos servos de Deus em suas necessidades e lutam a favor do Reino de Deus nessa dimensão espiritual.

Essa é uma realidade sobrenatural, mas a Bíblia não faz disso um mistério. (1) Daniel foi orientado por um mensageiro do Senhor; (2) o servo de Eliseu enxergou um exército de anjos que não estava vendo; (3) Jó foi atormentado por Satanás; (4) Maria foi avisada sobre a concepção de Jesus por um anjo; (5) Adão e Eva foram provocados ao pecado por Lúcifer; (6) Jesus foi tentado pelo Diabo e, após vencer as tentações, servido por anjos; (7) em seu ministério, Ele também expulsou e repreendeu inúmeros demônios; (8) Também o apóstolo Paulo enfrentou a interferência dessas forças espirituais em seu ministério de pregação do evangelho.

Homens e mulheres do passado, tementes a Deus, não ousaram viver suas vidas sem considerar essa realidade espiritual! Por que nós faríamos isso?

Pelo contrário esses homens e mulheres do passado, servos do Senhor, consideraram a realidade das lutas espirituais e buscaram no Senhor as armas para essa luta.

Entendendo o Dualismo

Antes de prosseguirmos em nosso tema, é preciso deixar claro que há um grande engano que tem invadido as igrejas.

Quando o tema é essa outra dimensão onde são travadas lutas tremendas, por seres poderosíssimos, muitos crentes desenvolvem a idéia de essa é uma luta eterna entre o Bem e o Mal. Uma disputa entre forças iguais que se opõem e querem se destruir. De um lado Deus e seus exércitos, do outro Lúcifer e seus demônios. Acredite: esse não é um conceito bíblico!

O dualismo faz parte das crenças do Zoroastrismo, religião iraniana cujo principal profeta foi Zarathustra. Ele viveu cerca de cinco séculos antes de Cristo e considerava o mundo como uma luta eterna entre Ahura Mazda (o senhor sábio) e Angra Mainyu (o espírito do mal). Segundo o zoroastrismo o Bem e Mal vieram à existência, ao mesmo tempo, em um passado distante. Ele conclamava as pessoas a ficarem ao lado de Ahura Mazda nessa luta e viverem suas vidas de acordo com a máxima “bons pensamentos, boas obras, boas ações”.

O dualismo também faz parte das crenças do Maniqueísmo, religião que teve seu auge no século III e foi fundada por Mani a partir de elementos persas, cristãos e budistas. Segundo o Maniqueísmo, a luz e as trevas, o bem e o mal, no princípio eram igualmente co-eternas e independentes. Mas o ataque do príncipe das trevas precipitou a queda dos primeiros seres humanos. Isso resultou no aprisionamento da Luz, um pedaço do Pai das Luzes, dentro dos homens, que serão salvos mediante a gnose ou conhecimento, que consistia em rigorosas disciplinas espirituais.

Quando você ouvir idéias como essas, que falam da igualdade de poder e autoridade entre o Bem e o Mal; de uma luta eterna entre as forças do Bem e do Mal; de energias positivas e negativas se contrapondo, de Yin e Yang, acredite: essas são idéias estranhas à bíblia!

Quem é o Deus da Bíblia

O Deus da Bíblia é Senhor sobre tudo que existe. Nada nem ninguém o precedeu ou pode a Ele ser comparado. Ele é o criador de todas as forças espirituais que existem no universo. Somos criaturas dele: homens e anjos, principados autoridades e poderes, rebeldes ou leais, todos foram criados por Ele e estão debaixo da autoridade do seu filho Jesus.

(15) Este é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; (16) pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele. (17) Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste. (Colossenses 1:15 -17 - RA)

(5) Porque, ainda que há também alguns que se chamem deuses, quer no céu ou sobre a terra, como há muitos deuses e muitos senhores, (6) todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós também, por ele. (I Coríntios 8:5- 6 - RA)

... para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos (19) e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder; (20) o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais, (21) acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa referir não só no presente século, mas também no vindouro. (Efésios 1:18b – 20 - RA)


Satanás e seus anjos são seres morais, responsáveis por seus atos. E embora retenham ainda poderes inerentes a sua condição angelical, não passam de criaturas do Deus Eterno e atual debaixo da autoridade de Deus.

Por isso, nenhum ataque pode ser desferido contra os filhos de Deus sem a sua permissão. (Jó 1:6-12);

Nenhuma tentação será maior que a capacidade do crente de suportá-la (I Cor. 10:13).

Cada movimento no universo acontece sob a permissão e o controle de Deus. Ele é Senhor e soberano sobre tudo e todos. No cristianismo bíblico não há lugar para dualismos!

A Situação da Humanidade

Agora que esclarecemos alguns dos termos dessa luta, é preciso compreender a sua situação nessa batalha. Eu preciso que você preste bastante atenção!

A Bíblia nos revela que fomos criados por Deus com a capacidade de decidir e a responsabilidade de arcar com as conseqüências de nossas decisões.

Por isso, ao criar o primeiro casal, Deus lhes deu orientações sobre qual era a Sua vontade para eles e as conseqüências que resultariam se eles decidissem não viver como haviam sido orientados. Tudo muito simples.

O primeiro casal exerceu sua capacidade de decidir, mas decidiu mal. Satanás planou no coração dele dúvidas a respeito do caráter de Deus (É Deus realmente bom e suas orientações sobre a vida o melhor para nós?).

Assaltados pela dúvida, eles poderiam ter corrido para os braços do Senhor e indagado, inquirido, investigado até que seus corações encontrassem paz. Mas preferiram alimentar seus próprios medos.

Deus não tem receio nem aborrecimento de lidar com nossas dúvidas, anseios e inquietações. Pelo contrário, Ele se alegra em ensinar, em esclarecer, em trazer paz. Mas para isso é preciso correr para os braços Dele, e não para longe como fizeram Adão e Eva.

Desde Adão e Eva, por toda a história da humanidade, temos sido rebeldes fugitivos. Jogamos fora amizade de Deus, quebramos o relacionamento de confiança e amor que Ele pretendia desenvolver conosco. Com nossas atitudes e acusações contra o se caráter, temos nos tornado inimigos Dele.

O Senhor é fonte da vida. Foi ele quem criou a existência, a vida vem Dele. Por isso, longe Dele só há morte. Veja como a Bíblia descreve essa situação de rebeldia:

(1)... Estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, (2) nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; (3) entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais. (Efésios 2:1b - 3 - RA)

Mas onde tudo isso se encaixa em nosso tema?

Meus irmãos e irmãs, todo aquele que permanece longe de Deus; que não confia na perfeita bondade de Deus; que vive com um fugitivo correndo para longe da presença Dele; que age com um rebelde acusador; que decide viver, apática ou ofensivamente, rebelado contra a soberania de Deus, está ligando sua vida às forças espirituais rebeldes ao Senhor e associando o seu futuro eterno ao futuro deles.

Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos. (Mateus 25:41 - RA)

Não é da vontade de Deus que homens e mulheres, criados com tanto carinho à sua imagem e semelhança tenham o mesmo destino daqueles que se rebelaram contra a Sua autoridade. Mas, esse seria o destino de todos nós.

Por isso a vinda de Jesus! Com sua vida reta, seu testemunho de amor a Deus e à criação de Deus, sua morte injusta e sua ressurreição, Jesus declarou a vitória de Deus sobre os principados e potestades rebeldes.

Jesus demonstrou que é possível a um ser humano, limitado, vivendo em um mundo cheio de pecado, CONHECER, CONFIAR E OBEDECER a Deus.

A tese mentirosa de Lúcifer, de que é impossível amar a Deus, servi-lo e, de coração limpo, confiar nele foi pregada na cruz, expondo ao ridículo principados e potestades: Cristo, Filho de Deus, foi vitorioso!

A partir de então, a justiça que emana da vida, morte e ressurreição de Cristo pode ser aplicada à sua vida. Assim, mesmo sendo um pecador rebelde, Deus pode lhe tratar como um filho, porque Jesus pagou o preço pela sua rebeldia. Isso acontece quando você por sua vontade, entrega o controle da sua vida a Deus e aceita a Jesus como seu Senhor e Salvador.

(13) E a vós outros, que estáveis mortos pelas vossas transgressões e pela incircuncisão da vossa carne, vos deu vida juntamente com ele, perdoando todos os nossos delitos; (14) tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz; (15) e, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz. (Colossenses 2:13 - 15 - RA)

Quando alguém, pela fé, aceita a soberania de Deus sobre sua vida, são desfeitas suas ligações com as forças espirituais rebeldes. Você é transportado do reino das trevas para o reino do Filho de Deus. Os poderes espirituais que antes podiam reclamar algum direito sobre sua vida, são obrigados a reconhecer que você agora é um filho de Deus pelo poder do Espírito Santo.

A Bíblia é clara. Ninguém pode ficar fora dessa luta. Não há campo neutro. Só há duas posições.

(1) Aqueles que colocaram sua confiança em Deus e entregaram a Jesus o controle de suas vidas, crendo na eficácia da morte de Cristo para reconciliá-los com Deus.

· Seu destino final é mudado. As acusações são retiradas e ele passou da morte para a vida. (Rom. 8:1)

· Eles estão seguros nas mãos de Jesus, nenhum força espiritual poderá ameaçar essa segurança (Jo. 10:28)

· Como eles amam ao Senhor e atenderam ao seu chamado ao arrependimento, todas as coisas contribuem para o seu bem. (Rom. 8:28)

· Sua vitória final está garantida. Eles são mais que vencedores. Não porque sejam fortes, mas porque o poder de Cristo irá completar neles a obra de aperfeiçoamento de suas vidas. (Rom. 8:37)

(2) A outra posição é daqueles que permanecem em uma atitude de rebeldia; acham-se capazes de cuidarem de si mesmos; decidem afastar-se de Deus e o tratam com descaso e descrença, requerendo para si mesmos o mesmo destino preparado para o maior dos rebeldes e seus anjos: uma eternidade sem propósito e sem sentido para existir.

Qual a sua situação?

O Senhor já providenciou tudo o que era necessário para que você tome a decisão de confiar nele. Mas essa decisão é sua. Você vai carregar consigo por toda a eternidade as conseqüências dessa decisão. Pare um momento e avalie sua vida. Em que posição você se encontra hoje?

Se você um dia entregou o controle de sua vida a Jesus e confiou nele como seu Salvador, quero deixar um texto para sua reflexão durante a semana:

Eu lhes suplico – eu, um prisioneiro aqui na cadeia por estar servindo ao Senhor – que vivam e comportem-se de maneira digna daqueles que foram escolhidos para receber bênçãos tão maravilhosas como estas. Sejam humildes e amáveis. Sejam pacientes uns com os outros, tendo tolerância pelas faltas uns dos outros por causa do amor entre vocês. Procurem sempre ser juntamente guiados pelo Espírito Santo, e assim vivam em paz uns com ou outros. (Efésios 4:1-3 - BV)

Mas se você reconhece que tem se mantido em uma posição de rebeldia (às vezes passiva, às vezes ostensiva) contra a autoridade de Deus em sua vida. Não tem confiança na bondade de Deus e resiste à vontade soberana Dele, eu quero lhe dar a oportunidade de mudar sua posição agora.

Arrependa-se do seu pecado, mude a direção da sua vida. Pela fé, confie em quem o Senhor diz ser e aceito o sacrifício de Jesus na Cruz como eficaz para lhe reconciliar com Deus.

Postar um comentário