08 janeiro 2006

O Serviço dos Santos

INTRODUÇÃO

E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo. (Efésios 4:11 e 12 RA)
Cartas
As cartas são utilizadas desde cedo, pela humanidade, como forma de expressão. Os antigos impérios orientais, como a China, já se utilizavam das cartas como recurso de comunicação e o livro de Jó, talvez o mais antigo da Bíblia, faz referência (Jó 9:25) a um serviço de correio existente no Egito antigo. Durante o império romano, o correio atingiu grande eficácia, devido à qualidade das estradas disponíveis, e transportava também bagagens e mercadorias.

Os versos que lemos fazem parte de uma carta escrita pelo apóstolo Paulo aos discípulos de Jesus que viviam na cidade de Éfeso. As epístolas foram bastante utilizadas durante o primeiro século do cristianismo, tanto que dos 27 livros do Novo Testamento, 21 foram escritas no formato de epístola. Não apenas Paulo, mas também Pedro, Judas, João e Tiago usaram as cartas como um meio de comunicar o evangelho.

A carta aos efésios faz parte das epístolas da prisão. Juntamente com outras cartas (Filipenses, Colossenses, e Filemom), ela foi escrita durante a prisão de Paulo na cidade de Roma.

Hoje, as cartas se transformaram em emails, blogs, flogs e outros. Imagino o apóstolo Paulo, preso em sua própria casa, sentado em frente de um computador e precisando de uma conta de email grande o suficiente para arquivar todas as suas epístolas, que então poderiam ser enviadas diretamente para cada discípulo através de uma lista de distribuição.

Éfeso
Éfeso, a cidade para onde essa carta foi enviada, era o mais importante centro comercial da Ásia Menor (atualmente Turquia). A cidade tinha um belo porto e também abrigava um grande centro de adoração pagã e de artes mágicas, o templo da deusa Ártemis, ou a Diana dos efésios.

O cristianismo chegou a Éfeso pelas mãos de Áquila e Priscila, um casal deixado naquela cidade por Paulo durante a sua segunda viagem missionária. Em sua terceira viagem, Paulo permaneceu por quase três anos em Éfeso, período em que o evangelho foi pregado pelo restante da província (Atos 19:10). Timóteo também liderou a igreja em Éfeso por um período (I Timóteo 1:3) e, mais tarde o apóstolo João fez dela sua base de operações.

OS DONS

O trecho que lemos começa com uma lista de dons, talentos especiais concedidos por Deus: apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres. Mas, essa não é a única lista de dons da bíblia.

Em suas cartas, Paulo apresenta outras duas relações de dons, essas habilidades especiais dadas por Deus. Em I Coríntios 12:28, são relacionados apóstolos, profetas, mestres, operadores de milagres, dons de curar, socorros, governos e variedade de línguas. Na carta aos Romanos 12:6-8, Paulo apresenta uma nova lista que inclui Ministério, Ensino Exortação, contribuição, administração e misericórdia.

O propósito dos dons
Diante de tantos talentos especiais, diante dessas habilidades sobrenaturais com as quais o Espírito de Deus nos presenteia, a pergunta é inevitável: Para que? Com que objetivos somos presenteados com dons espirituais? Qual o propósito do Espírito de Deus ao distribuir dons para os membros do corpo de Cristo?

Aqui um parêntese: Há muitas pessoas que não gostam de perguntas. Algumas não gostam de fazer perguntas, outras não gostam de responder perguntas e outras ainda detestam tanto fazê-las quanto respondê-las.

Mas lembre-se de uma coisa: fazer e responder perguntas é um traço do caráter do Criador. Hoje, nossa racionalidade é apenas um reflexo turvo da imagem de Deus, isto é, nosso distanciamento do Criador fez com que nossa razão fosse corrompida. Mas, foi assim que Ele nos criou: capazes de explicar e compreender.

(1) Por isso, não precisamos ficar constrangidos ao investigar o propósito das coisas ou o porquê dos fatos ou acontecimentos; (2) Por isso, os cristãos não precisam nem devem se distanciar do estudo acadêmico nas escolas e universidades, ao contrário, devemos nos esmerar em compreender o mundo em que vivemos; (3) Por isso, também, não precisamos nos esquivar de investigar a nossa fé, mas devemos nos tornar pessoas que compreendem e sabem explicar a razão da esperança que há em nós (I Pedro 3:15).

Voltando para os dons, voltamos também para nossa pergunta: com que objetivo o Espírito de Deus distribui dons para aqueles que fazem parte da Igreja de Jesus?

Acompanhe novamente comigo o verso 11 do capítulo 12 de Efésios: E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo.

A resposta é clara: os dons dados pelo Espírito de Deus visam ao aperfeiçoamento dos discípulos de Jesus! Isso significa que ao conceder dons ou habilidades especiais a alguém o Senhor está pensando prioritariamente no aperfeiçoamento dos outros. Preste bastante atenção: os dons e talentos espirituais que você recebeu de Deus não são para seu próprio deleite, mas... com vistas ao aperfeiçoamento dos santos. Essa é maneira de Deus nos fazer precisar uns dos outros. Por isso, também, os dons são distribuídos como apraz ao Espírito, a cada um, individualmente (Romanos 12:11).

O APERFEIÇOAMENTO

O propósito
Eu pessoalmente fico muito alegre quando compreendo que os dons espirituais são dados para o aperfeiçoamento uns dos outros. Ora, quem não deseja ser aperfeiçoado. Quem não quer, em 2006, fazer algo melhor do que fez em 2005? Quem não deseja ser mais bondoso e cortês com os vizinhos? Quem não gostaria de controlar melhor o orçamento desse ano? Quem não almeja ser mais corajoso e decidido? Quem não anseia por estar mais próximo de Jesus e da sua Palavra nesse novo ano? Quem não gostaria de se relacionar melhor com os familiares? Quem não quer aprender a ser mais tolerante e perdoar assim como fomos perdoados? Todos queremos ser aperfeiçoados!

Aqui há algo que pode parecer loucura aos olhos do mundo: o seu aperfeiçoamento não é um fim em si mesmo, isto é, quando você se torna mais parecido com Jesus por causa da palavra ou do conselho de um irmão, quando crescemos pela exortação e correção de outros, ou quando somos abençoados por um coração misericordioso não é apenas para nos tornarmos pessoas melhores, é para algo que vai além de nós mesmos.

Da mesma forma que os dons NÃO são medalhas espirituais com as quais alguns crentes são condecorados, o aperfeiçoamento NÃO é uma competição a respeito de quem é mais espiritual. Ele tem pelo menos dois propósitos que são apresentados pelo apóstolo Paulo no texto que lemos. Acompanhe comigo o verso 11: E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos (1) para o desempenho do seu serviço, (2) para a edificação do corpo de Cristo.

Para o desempenho do seu serviço
Preciso muito da sua atenção nesse momento. Pelo que vimos até agora, somos aperfeiçoados através dos dons, que o Espírito concede aos discípulos de Jesus. Paulo explica que esse aperfeiçoamento é para podemos desempenhar bem nosso serviço.

Mas que serviço é esse? Em algumas traduções você vai encontrar a expressão “serviço cristão”, em outras a frase usada é “obra do ministério”. Quando ouvimos expressões como “serviço cristão” ou “obra do ministério”, podemos ser levados a pensar que Deus quer nos aperfeiçoar para fazermos melhor as atividades na Igreja.

Se fosse assim, os dons que Ele deu, a mim e a você, teriam como objetivo nos aperfeiçoar como professores, mas apenas para a Escola Bíblica; ou como bons administradores, mas só dos bens da igreja, ou ainda como pessoas cheias de misericórdia, mas exclusivamente para com os irmãos na fé. Dessa maneira, por mais que nos tornemos parecidos com Jesus, apenas aqueles que estão dentro da igreja conosco serão abençoados com o nosso crescimento;

É claro que os dons especiais, dados pelo Espírito, abençoam e tornam a Igreja forte, disso não temos dúvida. No entanto, quero chamar sua atenção para uma das palavras utilizadas pelo apóstolo Paulo nesse texto (ergon).

ergon
Traduzida como serviço, (1) ela era usada para explicar a atividade de um empreendedor, isto é, alguém que tem seu próprio negócio; (2) também podia significar um emprego ou ainda (3) a atividade em que alguém se ocupa; além disso, essa palavra também era usada para denominar (4) atividades manuais como o serviço dos artistas e artesão. Essa palavra grega é a raiz de algumas palavras usadas em nosso idioma como Ergonomia, Ergonômico, ambas ligadas ao trabalho.

Ao usar essa palavra, o apóstolo Paulo nos dá uma chave para compreender que o nosso trabalho é também nosso ministério. Ao administrar uma empresa, ensinar em uma escola, limpar a casa, atender as pessoas na loja, vender produtos de porta em porta, cuidar dos filhos, trabalhar para órgãos públicos, desenvolver projetos, construir prédios, realizar pesquisas científicas, produzir filmes, escrever livros, encenar peças ou desenvolver qualquer trabalho digno, você já está exercendo seu ministério, o serviço para o qual o Senhor lhe chamou.

Se o trabalho do dia-a-dia é o ministério para o qual Deus nos tem chamado, podemos afirmar que a capacitação especial de Deus, os dons dados pelo Espírito, são recursos não apenas para o domingo ou para as atividades da igreja, mas para nossos trabalhos de segunda a sábado.

O exercício dos dons espirituais nos torna mais aptos para a vida. (1) Quando somos ministrados pelos Profetas, temos maior discernimento sobre a vontade de Deus; (2) Quando somos ensinados pelos Mestres sobre a nova vida em Cristo, nos tornamos mais sábios e humildes no trato com as pessoas; (3) Quando somos alvo da exortação espiritual, nossas falhas são apontadas e pode ser corrigidas; (4) Quando somos socorridos pela Misericórdia, aprendemos na própria carne a limitação das pessoas em nossa volta e nos tornamos mais misericordiosos com a falha dos outros.

Em resumo, Deus concede dons e habilidades especiais para os discípulos de Jesus. Através do exercício desses dons podemos nos aperfeiçoar mutuamente. Esse aperfeiçoamento tem o propósito de nos preparar para o dia-a-dia de nossas vidas, onde quer o que o Senhor tenha nos chamado para realizar o Seu serviço.

DESAFIOS

Primeiro, quero de falar para você que já conhece os dons espirituais que o Senhor lhe concedeu, mas que não os tem exercido. Não perca mais tempo! Não aguarde tempos melhores, eles podem não vir; Exerça os dons que Deus lhe deu, só assim o povo de Deus será aperfeiçoado para viver uma vida que honre ao Senhor! Mas faça isso sem esquecer que o ensino, a exortação, a cura, o pastoreio ou a misericórdia devem preparar para vida.
Deus ofereceu, a cada um, a capacidade de fazer bem certas coisas. Assim se Deus lhe deu a capacidade de expor os pensamentos de Deus, então faça de acordo com a sua fé. E se, a outros, Deus deu a capacidade de servir de uma forma prática os seus semelhantes, que o façam num verdadeiro espírito de serviço. Se alguém tiver o dom de ensinar, que o faça com toda a dedicação. Se um outro tem o dom de exortar, que a sua pregação seja de molde realmente a encorajar. Se for uma pessoa com posses, reparta com liberalidade. Se Deus lhe deu a habilidade de governar, faça-o responsavelmente. E se tiver o dom de ser bondoso para com os necessitados, deve fazê-lo com alegria. (Romanos 12:6-8 O Livro)
Também quero deixar um desafio para você que tem sido abençoado por tantas pessoas no meio do povo de Deus, mas tem retido essas bênçãos apenas para si mesmo; quero falar com você que, até hoje compreendia que as atividades da igreja eram o objetivo do aperfeiçoamento de Deus. Deixe que Deus lhe lance para a vida. Invada com seu testemunho o trabalho, a escola, a faculdade, a vizinhança. Onde quer que você vá, o Espírito de Deus estará com você.

Por último quero fazer um desafio para você que ainda não reconheceu Jesus com o seu Senhor e Salvador. Hoje você ouviu muitas coisas importantes. Tudo que você ouviu hoje, os dons, as capacitações especiais de Deus, a ajuda do Espírito Santo para viver vidas que agradam a Deus, começam com uma atitude, uma resposta ao grande amor de Deus revelado quando Jesus Cristo, sem qualquer pecado, entregou-se para morrer no meu e no seu lugar.

Se você ainda não reconheceu Jesus como seu Senhor e Salvador Pessoa, a oportunidade é essa: tome essa decisão agora! Assim você vai dizer: Eu reconheço que Jesus Cristo morreu por causa dos meus pecados, ressuscitou ao terceiro dia, está vivo à direita de Deus e quero entregar minha vida a Ele.
Postar um comentário