22 janeiro 2006

Alegrando o Coração do Pai - Integridade

Introdução

Como é um privilégio louvar ao Senhor! Como alegra o coração declarar as grandezas no nosso Deus, reconhecer quem Ele é, e afirmar o nosso amor por Ele. Bendito seja o Deus das nossas vidas!

Na verdade as canções fazem parte da vida humana desde os tempos mais remotos. Já em Gênesis 4.1, um homem por nome Jubal é citado como o pai de todos os que tocam harpa e flauta. Adorar com cânticos fez parte das primeiras orientações que o povo de Israel recebeu sobre como prestar culto a Deus.

Na Bíblia, há um livro que é na verdade uma grande coletânia de canções: O livro dos Salmos. Infelizmente os compositores não registraram as melodias dessas canções, mas suas letras têm permanecido por milênios como inspiração e ensino para o povo de Deus.

Diferente de outros livros da Bíblia, o livro de Salmos na verdade não é UM livro, mas a compilação de CINCO livros. Os estudioso acham que entre o salmo mais antigo (90) e o mais recente (126) passaram-se aproximadamente 1.000 anos. Entre os autores dos salmos podemos listar Moisés, Davi, Salomão, Asafe, Heman, Etã e havia também um grupo chamado de filhos de coré.

Os salmos eram usados no templo como parte da liturgia do culto, além disso serviam também como guia devocional individual e coletivo.

Nos últimos meses eu tenho sido muito abençoado coma leitura dos salmos. Em minha leitura devocional pela manhã tenho lido um salmo, uma apenas ( quando é um salmo grande eu divido para 2 ou três dias). Tenho me dedicado a um leitura reflexiva, buscando ouvir a voz de Deus nas palavras escritas por homens sábios e que confiaram no Senhor.

Essa noite gostaria de compartilhar com vocês algumas de minhas reflexões sobre o Salmo 15, que foi escrito pelo Rei Davi. Por favor, abra sua bíblia e acompanhe a leitura.

(1) Quem, SENHOR, habitará no teu tabernáculo? Quem há de morar no teu santo monte? (2) O que vive com integridade, e pratica a justiça, e, de coração, fala a verdade; (3) o que não difama com sua língua, não faz mal ao próximo, nem lança injúria contra o seu vizinho; (4) o que, a seus olhos, tem por desprezível ao réprobo, mas honra aos que temem ao SENHOR; o que jura com dano próprio e não se retrata; (5) o que não empresta o seu dinheiro com usura, nem aceita suborno contra o inocente. Quem deste modo procede não será jamais abalado. (Salmos 15:1-5)


A Pergunta

Senhor, quem poderá viver na tua presença? Quem terá livre acesso ao lugar santo onde vives? (Salmos 15:1 - Bíblia Viva)

Senhor, quem pode achar refúgio na tua casa, e ficar contigo no teu santo monte? (Salmos 15:1 - IBS – Sociedade Bíblica Internacional)

Davi começa esse salmo fazendo uma pergunta. Eu gosto muito das boas perguntas. Em nosso grupo pequeno resolvemos utilizar as perguntas para nos conhecermos melhor. Há um saquinho como várias perguntas que, ao serem respondidas, abrem a possibilidade de falarmos um pouco sobre nós mesmos e revelar algo do que somos.

Boas perguntas são como portas entreabertas: você pode terminar de abri-las para ver o que há dentro ou fechá-las para não ser incomodado com ranger das dobradiças.

A pergunta do Rei Davi, vez por outra, passa pelo coração de todos nós: qual é o tipo de pessoa que pode usufruir da presença do Senhor? Quem é que pode ser seu hóspede permanente? Como são as pessoas que têm acesso livre à presença de Deus?

Provavelmente você tem, em sua mente, algumas característica que imagina serem indispensável para alguém usufruir da companhia do Senhor: ser um bom pai de família (ou uma boa mãe de família), talvez vir aos cultos toda semana, contribuir fielmente com seu dízimo e ofertas, ajudar aos mais necessitados com esmolas, ler a bíblia todo dia, orar durante as refeições, ser fiel à sua esposa ou esposo ...

Aqui cabe um alerta: não estamos falando de fazer coisas para Deus com a intenção de receber salvação ou qualquer outra coisa em troca. Quem participou da série de mensagens do Pr. Armando sobre a Graça de Deus sabe que não há nada que possamos fazer que seja capaz de nos tornar aceitáveis diante de Deus. Apenas a Graça de Deus nos conduz a Ele.

Nesse salmo, a pergunta de Davi nos chama a pensar sobre nossa maneira de agir, sobre a existência de um jeito de viver que alegre o coração do Senhor. Em outras palavras, o que Davi pergunta é: como é a vida de alguém que alegra o coração de Deus ao ponto de Deus desejar sua companhia?

Essa é uma boa pergunta! E o salmista não só perguntou, ele também respondeu. A resposta dele foi bastante prática e fala de quatro importantes áreas de nossas vidas: nossas atitudes, nossas palavras, nossas convicções e a forma como lidamos com o dinheiro.

Assim, Davi afirma que alguém que alegra o coração de Deus ao ponto de Deus desejar estar com ele ...

( 2 ) Vive com integridade, Pratica a Justiça e Fala a verdade de coração;
( 3 ) Não difama, não faz mal ao próximo e não lança injúria
( 4 ) Sabe censurar quem pratica o pecado, Elogia os que são fiéis ao Senhor e cumpre suas promessas mesmo com prejuízo próprio;
( 5 ) Não empresta dinheiro com usura e não aceita suborno
Integridade

Hoje vamos nos deter apenas na primeira dessas onze formas de viver que alegram o coração do Pai: INTEGRIDADE.

Integridade é um palavra de origem latina, e assim como palavra taw-meem, usada no texto original, tem um sentido de inteireza, de completude. O dicionário diz que integridade é o estado ou característica daquilo que está inteiro, que não sofreu qualquer diminuição. Warren Wiersbe, no livro “A Crise de Integridade” afirma que a integridade é para o caráter de uma pessoa o mesmo que a saúde é para o seu corpo.

Uma pessoa íntegra não é dividida. Não se torna vítima da duplicidade. Em bom português, pessoas íntegras NÃO têm duas caras: uma para apresentar ao irmão e outra para apresentar no trabalho; uma quando o amigo está presente, outra quando ele vira as costas; ou uma com a turma da faculdade e outra no geração atos.

Houve um episódio em Antioquia, narrado na carta ao Gálatas, no qual o apóstolo Paulo questionou a integridade da atitude tomada por Pedro e outros discípulos.

(11) Quando, porém, Cefas veio a Antioquia, resisti-lhe face a face, porque se tornara repreensível. (12) Com efeito, antes de chegarem alguns da parte de Tiago, comia com os gentios; quando, porém, chegaram, afastou-se e, por fim, veio a apartar-se, temendo os da circuncisão. (13) E também os demais judeus dissimularam com ele, a ponto de o próprio Barnabé ter-se deixado levar pela dissimulação deles. (14) Quando, porém, vi que não procediam corretamente segundo a verdade do evangelho, disse a Cefas, na presença de todos: se, sendo tu judeu, vives como gentio e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus? (Gálatas 2:11-14)

Uma pessoa íntegra não é fingida. Não se torna vítima da hipocrisia. Em bom português, pessoas íntegras NÃO escondem o jogo; não camuflam seus problemas no grupo pequeno; não apresentam um imagem falsa sobre si mesmas, não fingem fazer algo que na verdade não fazem.

Pessoas íntegras são honestas e leais consigo mesmas, com os outros e com Deus.

Há um texto em que Jesus fala dessa integridade, Mateus 6:19-24 ... abram suas bíblias, por favor.

Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam; porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.

São os olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!

Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.

Se fôssemos transformar esse texto em um diálogo, talvez a fala de Jesus fosse a seguinte:

- Onde está seu coração, meu filho? Onde está o motivo da sua vida? Na Terra ou nos céus? Se o motivo da sua vida está nos céus, viva com integridade e acumule seus tesouros lá. Você vai ficar dividido tentando acumular tesouros na terra enquanto o seu coração está nos céus. E vai acabar vivendo uma vida de duplicidade e hipocrisia

- Com que olhos você enxerga a vida e as pessoas, minha filha? Se você buscar uma avaliação honesta e transparente sobre si mesma e sobre os outros sua vida vai ser íntegra; mas se a sua maneira de ver a vida for dissimulada e hipócrita você vai viver em uma escuridão sem fim.

- A quem vocês realmente decidiram servir, meus filhos? Não dá para viver de forma íntegra tentando agradar a dois Senhores. Você vai ficar dividido e nunca vai experimentar o que é integridade. Além disso, você sempre vai desagradar um deles.

Em meio a essas exortações, Jesus deixou também uma informação muito importante para nós, que estamos pensando em integridade como uma maneira de viver que alegra o coração do Pai: ele afirmou que agir com honestidade e integridade permite que a luz entre em nossas vidas. E onde a Luz chega, não há trevas.

Um hino antigo ...

“ ... deixa a luz do céu entrar, deixa a luz do céu entrar. Abre bem a porta do teu coração e deixa a luz do céu entrar.”

Desintegrando a Integridade

Vocês já ouviram aquele sujeito que ao ensinar um endereço diz: ... aí você vai ver uma casa amarela na esquina. Ela duas janelas brancas, cercada por um muro baixo e tem duas palmeiras na frente ... mas pode passar direto que não é nessa rua que você vai entrar não!

Embora o sujeito tenha exagerado na descrição de uma casa que não era o lugar de destino, com certeza, ao se deparar com essa casa durante o caminho você terá certeza que não é lá.

Por isso eu gostaria de lhe apresentar algumas esquinas nas quais você NÃO deve entrar, sob pena de colocar sua integridade em risco e assim entristecer o coração do Pai.

Essa esquinas foram reveladas pelo apóstolo João em sua primeira carta, a partir do verso 5. Por favor abra sua Bíblia.

I João 1:5 Ora, a mensagem que, da parte dele, temos ouvido e vos anunciamos é esta: que Deus é luz, e não há nele treva nenhuma.
I João 1:6 Se dissermos que mantemos comunhão com ele e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade.
I João 1:7 Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.
I João 1:8 Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós.
I João 1:9 Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.
I João 1:10 Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.

MENTIR AOS OUTROS SOBRE QUEM SOMOS

A primeira esquina que precisamos evitar é a esquina da hipocrisia, da mentira sobre nós mesmos. Veja o que apóstolo João diz sobre isso nos verso 6:

I João 1:6 Se dissermos que mantemos comunhão com ele e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade.

O apóstolo apela para o exemplo da integridade de Deus: Deus é integro, diz ele, vocês também precisam ser. Não há honestidade ou integridade em quem (1) afirma estar em comunhão com o Senhor mas na verdade anda em trevas, ou em quem (2) prega e ensina algo não pratica, ou naquele que (3) finge fazer algo que não está fazendo ou mesmo em quem (4) simula reações e atitudes por que imagina que isso lhe fará mais aceitável diante de Deus e das pessoas.

A esquina da hipocrisia nos afasta do caminho da integridade e entristece o coração do Pai.

MENTIR A NÓS MESMOS SOBRE QUEM SOMOS

A segunda esquina que precisamos evitar é a esquina do auto-engano, da mentira a nós mesmos. Veja o apóstolo diz sobre isso no verso 8:

I João 1:8 Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós.

Normalmente a segunda esquina vem depois da primeira. A gente começa enganando os outros, mas ainda consciente dos nossos erros. E aí, de tanto enganar ou outros a gente começa a se esforçar para acreditar na própria mentira.

Essa busca é uma tentativa de livrar-se do incômodo da falta de integridade tentando transformar nossos erros e pecados em alguma coisa mais branda ou até elogiável.

· O sujeito mente, mas diz que está falando uma meia-verdade;
· A fofoca aparece travestida de motivo de oração;
· amor ao dinheiro cresce escondido debaixo da busca pelas bênçãos de Deus;
· A religiosidade vazia caminha disfarçada sob o manto da obediência;

Mentimos para nós mesmos quando não somos íntegros o suficiente para pedir a Deus que sonde o profundo de nossas almas e nos revele quem realmente somos. Em vez disso, mudamos os nomes dos nossos pecados de um maneira que eles não nos incomodem tanto.

A esquina do auto-engano nos afasta do caminho da integridade e entristece o coração do Pai.

MENTIR A DEUS SOBRE QUEM SOMOS
Depois de dobrar na esquina da hipocrisia e enveredar pelo auto-engano, sua integridade corre um sério risco de ser sepultada na esquina da apostasia.

Isso acontece quando você resolve convencer Deus de que sua vida de enganos na verdade não têm tanta importância e que Ele, o Deus totalmente íntegro, não precisa preocupar-se com sua falta de integridade.

Veja o que o apóstolo João diz sobre isso no verso 10

I João 1:10 Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.

Com muita simplicidade, João completa seu argumento afirmando que vidas íntegras devem fazer parte da natureza daqueles que foram alcançados pela Palavra de Deus.

Se fomos alcançado pela Palavra não podemos viver divididos, fingindo para todos. Quando escondemos nosso pecado do outros, de nós mesmo e até de Deus dizemos que Ele é mentiroso. Deus sabe quem somos, não precisamos nos esconder. Não precisamos fazer com Adão e Eva no jardim que entristeceram o coração do Pai ao se esconderem Dele.

Voltando à questão

Senhor, quem poderá viver na tua presença? Quem terá livre acesso ao lugar santo onde vives? (Salmos 15:1 - Bíblia Viva)

Senhor, quem pode achar refúgio na tua casa, e ficar contigo no teu santo monte? (Salmos 15:1 - IBS – Sociedade Bíblica Internacional)

Nossa caminhada hoje à noite começou com o salmo 15, escrito por Davi, e a pergunta que ele fez: como é a vida de alguém que alegra o coração de Deus ao ponto de Deus desejar sua companhia?

A primeira resposta de Davi foi que a vida dessas pessoas é vivida com integridade! São pessoas que não têm duas caras, nem escondem o jogo. Pelo contrário, são transparentes e honestas com os outros, consigo mesmas e sobretudo com Deus. A integridade alegra o coração de Deus.

Pode ser que hoje a luz da Palavra de Deus tenha começado a entrar pela fresta da porta da sua vida e esteja revelando quem você é. Não feche a porta, meu irmão. Não tenha medo da luz. Ouça o que o apóstolo João escreveu no verso 7:

I João 1:7 Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.

Corra para aquele que é a luz do mundo. Corra para ele de braços abertos. Confesse seu pecado e seja curado! Sabe qual vai ser a reação do Pai?

Primeiro, ele vai abrir um grande sorriso de alegria por que você decidiu pela integridade. Depois, ele vai cumprir o que prometeu através da Sua palavra que diz ... Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. I João 1:9 ...


Há uma música antiga sobre o verso 9 de I João 1.
A letra é bem pequena e a melodia fácil de aprender, vamos tentar?
Postar um comentário