25 maio 2008

O Ensino de Jesus – Segurança e Ansiedade

Introdução

Durante essa série de mensagens temos meditado sobre alguns dos ensinos de Jesus. O Senhor deixou ensinamentos claros sobre a importância da prática do auxílio aos necessitados como uma das disciplinas espirituais que devem ser praticadas pelos seus discípulos.

Também falou sobre o lugar da oração e do jejum na vida daqueles que se identificam com ele e disse que essas práticas não devem ser usadas para angariar reconhecimento das pessoas, mas que o nosso Deus, que vê em secreto, as recompensará.

Outro dos ensinos de Jesus fala sobre o dinheiro e as posses. Jesus afirma que o coração dos seus seguidores não pode dividir-se entre servir a Deus e às riquezas. É preciso escolher a quem servir porque quem considera aquilo que possua (ou que deseje possuir) como sendo o seu tesouro (aqui na terra), não desejará o tesouro (dos céus), que é o próprio Deus.

Hoje vamos refletir sobre um assunto que está nas manchetes de jornais e no peito de muita gente: ansiedade.

O que é a ansiedade?

A ansiedade é uma sensação ou sentimento decorrente da excessiva excitação do Sistema Nervoso Central conseqüente a interpretação de uma situação de perigo.

Parente próximo do medo, (muitas vezes onde a diferenciação não é possível) é distinguida dele pelo fato de o medo ter um fator desencadeante real e palpável enquanto na ansiedade o fator de estimulo teria características mais subjetivas.

A ansiedade é o grande sintoma de características psicológicas que mostra a intersecção entre o físico e psíquico, uma vez que tem claros sintomas físicos como: taquicardia (batedeira), sudorese, tremores, tensão muscular, e cefaléia (dor de cabeça).

Quando recorrente e intensa também é chamada de Síndrome do Pânico (Crise ansiosa aguda). Toda esta excitação acontece decorrente de uma descarga de um Neurotransmissor chamada Noradrenalina que é produzida nas glândulas Supra-renais.

Como compreender a ansiedade?

O nosso Sistema Nervoso Central e a nossa mente necessitam de uma situação de conforto e de segurança para usufruir a sensação de repouso e de bem estar. Quando a nossa percepção nos alerta para uma situação de perigo, em resposta este estado configura-se um estado ansioso.

Até pouco tempo atrás os perigos de vida e a necessidade de luta física eram uma constante. A excitação do sistema nervoso central vinha como uma forma de estimular o nosso corpo para a luta ou para a fuga.

No entanto, o que interpretamos como perigo hoje, transcende e muito o perigo de vida biológico. Perda de status, de conforto, de poder econômico, de afetos, amizades, de privilégios, vantagens, são fatores mais do que suficientes em muitos casos para disparar o estado ansioso.

Em estados de desequilíbrio emocional, o simples contacto com o novo, com situações inesperadas e desconhecidas são o suficiente para disparar estados ansiosos.

A principal característica psíquica do estado ansioso é uma excitação, uma aceleração do pensamento, como se estivéssemos elaborando, planejando uma maneira de nos livrar do perigo e da maneira mais rápida possível.

Este movimento mental, na maioria das vezes acaba causando certa confusão, uma ineficiência da ação, um aumento da sensação de perigo e de incapacidade de se livrar do perigo o que configura um círculo vicioso, pois esta sensação só faz aumentar ainda mais o estado ansioso. “Mente acelerada é mente desequilibrada”.

Este movimento impulsivo de a mente se acelerar, de precisar ter tudo sob controle, para poder usufruir a sensação de repouso e conforto faz com que ela se excite e se o problema não tiver uma solução mental imediata como o que acontece na maioria dos casos teremos a chamada ansiedade patológica, que tende tornar-se crônica e piorar com os anos.

Três possíveis origens

A primeira é que a ansiedade poderia ter uma origem genética, ou seja, a pessoa herda de seus ancestrais uma pré-disposição para ter estes sintomas. Nestes casos as manifestações podem ser bastante precoces, sendo a pessoa desde cedo uma criança agitada, as vezes hiperativa, que chora com facilidade e as vezes até com dificuldade de dormir. A ansiedade precoce também pode se manifestar através da avidez de mamar e numa postura mais teimosa e possessiva ainda como criança.

A segunda é uma infância carente e problemática onde as dificuldades dos pais, mas principalmente da mãe de passar afeto e suprir as carências afetivas da criança, vão fazendo com que ela vá se sentindo insegura e exposta e vá gravando e condicionando um sentimento de que coisas ruins e sensações negativas podem acontecer a qualquer momento.

A terceira é a dificuldade de incorporar fatos e intercorrências novas ou desconhecidas. O velho ou conhecido sempre traz a sensação de segurança e controle. O novo por sua vez tem a capacidade de potencializar a sensação de medo no sentido de que algo ruim ou perigoso pode vir á acontecer.

É mais ou menos assim, “Tudo que vem de mim é seguro e tudo que vem de fora e não está sob controle é perigoso". É a clássica postura do pessimista, como aquele personagem dos desenhos antigos de TV, a hiena Hardy, amiga do leão Lippy, que sempre dizia “Oh céus, oh vida, oh azar, não vai dar certo!"

Traumas de infância, grandes sustos, perdas afetivas ou mesmo materiais também podem desencadear quadros ansiosos importantes, mas não chegariam a ser causas específicas

O Ensino de Jesus sobre segurança e ansiedade

Embora o filho de Deus não tenha obtido diplomas de medicina ou psicologia nas universidades de Jerusalém, ele conhece muito bem a alma humana e seus lugares mais escondidos e escuros. Veja as palavras do mestre:

25 Portanto, meu conselho é: não fiquem preocupados a respeito de coisas: o que comer, o que beber e o que vestir. Porque vocês já têm a vida e o corpo – e eles são muito mais importantes do que o que comer ou o que vestir. 26 Olhem os passarinhos! Eles não se preocupam com a comida – eles não precisam semear, colher, ou guardar comida – pois o Pai celeste de vocês os alimenta. E para Deus, vocês valem mais do que os passarinhos. 27 Será que com todas as preocupações juntas poderão acrescentar um único momento à vida de vocês?

28 E por quer ficar preocupados com a roupa? Olhem os lírios do campo! Eles não se preocupam com isso. 29 Até o rei Salomão, em toda a sua glória, não se vestiu tão bem como qualquer deles. 30 E se Deus cuida tão maravilhosamente das flores, que hoje estão aqui e amanhã já desaparecera, será que Ele não vai, com toda a certeza, cuidar de vocês? Vocês têm uma fé muito fraca.

31, 32 Portanto, não se preocupem de forma alguma com as necessidades de comida e roupas suficientes. Não sejam como os pagãos! Pois eles se orgulham dessas coisas, e estão muitíssimo interessados nelas. Mas o Pai celeste, que vocês têm, já sabe muito bem que vocês precisam delas, e Ele as dará a vocês, se o colocarem no primeiro lugar de suas vidas.

34 Portanto não fiquem preocupados com o dia de amanhã. Deus cuidará do dia de amanhã para vocês também. Já é suficiente a preocupação de cada dia. (Mat 6:25-34 - OL)

(A) Não ocupe toda sua mente com suas necessidades

25 Portanto, meu conselho é: não fiquem preocupados a respeito de coisas: o que comer, o que beber e o que vestir. Porque vocês já têm a vida e o corpo – e eles são muito mais importantes do que o que comer ou o que vestir.

Quando os pensamentos se afunilam em direção aos mesmos assuntos, e a mente é consumida em tentar resolver todos os problemas que o deixam inseguro e desconfortável, a ansiedade é quase inevitável. Por isso, não permita que seus pensamentos fiquem completamente ocupados na solução desses problemas. Mas como fazer isso?

Já vimos nesta série que o Senhor sabe o quanto precisamos nos sentir protegidos. Ele sabe que fora do Jardim, toda a raça humana carece de um tesouro que dê segurança. Ele até disse que devemos optar por buscar essa segurança nos céus.

É verdade que Jesus não desdenha de nossa necessidade de segurança, como se ela fosse irreal, mas é verdade também que Ele nos ensina que precisamos corrigir a escala de valores que usamos para encontrar essa segurança.

Ele afirma que a vida em si é mais importante que comer, beber, vestir-se, ser promovido, comprar um carro, abrir uma empresa, ser reconhecido nas ruas, casar-se, entrar na universidade ou qualquer outra coisa da qual você tenta extrair uma sensação de paz e segurança. Isso pode soar estranho para aqueles que acham que a vida é feita exatamente dessas coisas.

Mas não é bem assim. Essas coisas fazem parte do mundo em que você vive, mas não precisam ser a sua vida. A vida é muito mais; é algo especial, um presente inexplicável de Deus, que tem origem nele mesmo. Por isso, Deus se alegra em sustentar a vida.

Quando um passarinho desempenha o papel que Deus deixou para ele, a pequena ave encontra sustento para a vida; quando o as flores desempenham o papel que Deus deixou para elas, tornam-se esplendidamente lindas; Dentro da arquitetura que Deus planejou para o mundo, a vida é sustentada e a segurança é garantida até para os pequenos seres.

26... E para Deus, vocês valem mais do que os passarinhos.
30... E se Deus cuida tão maravilhosamente das flores, que hoje estão aqui e amanhã já desaparecera, será que Ele não vai, com toda a certeza, cuidar de vocês? Vocês têm uma fé muito fraca.

A fé em Deus como aquele que sustenta e mantém a vida é um santo remédio para a ansiedade. Confiar no diz a Bíblia, que Deus é o sustentador e mantenedor do universo tira de sobre os nossos ombros cuidados e responsabilidades que estão além daquilo que podemos fazer: não somos nós os sustentadores da vida.

Você confia que o Senhor está no controle de todas as coisas? Você está disposto a confiar tudo a Ele? Quais são as áreas da sua vida que Deus não pode cuidar porque você mesmo é quem cuida? Por quanto tempo você continuará levando esse fardo sobre os seus ombros? Não e hora de encontrar descanso para sua alma?

O convite do Senhor, hoje, é para que você passe ocupar sua mente com Ele, não com os problemas insolúveis da vida. O chamado do Pai é para que você desista de tentar ser o sustentador do universo, o mantenedor da sua própria vida e confie a Deus todas as preocupações que tem afligido a sua alma.

Se você compreendeu que a atitude de tentar controlar o mundo tem afligido sua alma com ansiedade, mas hoje você deseja entregar essas ansiedades aos pés de Cristo e confiar nele como aquele vai tomar conta de você, venha à frente.






(B) Desempenhe seu papel no Reino de Deus

Vimos que quando o passarinho desempenha o seu papel no reino de Deus, suas necessidades são supridas. Da mesma forma quando as flores cumprem seu papel no reino de Deus, o Senhor as protege e as faz belas. A linguagem poética usada pelo Senhor Jesus é de encher os olhos e o coração.

Há um detalhe interessante nessa questão: pássaros e flores não têm como tomar decisões próprias. Eles sempre cumprirão o papel que Deus traçou para eles. Pela maneira como foram criados, eles jamais sofreriam de ansiedade. (é terrível pensar que os homens são capazes de causar ansiedade até na natureza criada por Deus: pássaros engaiolados com certezas sofrem de ansiedade)

No entanto, a capacidade do ser humano de tomar decisões por conta própria torna possível que nós não desempenhemos o papel que nos está reservado no Reino. Isso é muito importante, porque o ensino de Jesus sobre a ansiedade vai além de entregar a Deus aquilo que é responsabilidade dele: precisamos tomar em nossas mãos aquilo que é da nossa responsabilidade.

Qual é sua responsabilidade? Qual é o papel que você deve desempenhar no Reino para que suas necessidades sejam supridas? Vejamos o que Jesus afirma:

a) Fique quieto

31 Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? 32 (Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas;

Fique quieto! Essa é uma das suas grandes participações. Esse é um papel que você pode desempenhar. Fique quieto. Não se movimente muito, não fale sobre tudo, não faça muito barulho. Fique quieto. Talvez seja difícil no começo, mas será recompensador no final.

Davi
No salmo 39, o salmista fez afirmações reveladoras sobre a natureza humana.

5Eis que mediste os meus dias a palmos; o tempo da minha vida é como que nada diante de ti. Na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é totalmente vaidade. 6Na verdade, todo homem anda qual uma sombra; na verdade, em vão se inquieta, amontoa riquezas, e não sabe quem as levará. 7Agora, pois, Senhor, que espero eu? a minha esperança está em ti. (Psa 39:5-7)

Somos inquietos, mas precisamos abrir mão das inquietações que nos consomem e colocar nossas esperanças em Deus.

Moisés
Diante da ansiedade da multidão, entre o exército egípcio e o mar vermelho, Moisés convidou o povo a desempenhou o seu melhor papel: abrir mão da ansiedade, confiar em Deus e ver o livramento do Senhor.

Moisés, porém, disse ao povo: Não temais; estai quietos, e vede o livramento do Senhor, que ele hoje vos fará; (Exo 14:13)

Há um belo salmo que fala sobre isso e eu gostaria de convidá-lo a ler comigo. É o salmo 46. Apenas quando nos aquietamos é que a ansiedade se desfaz como fumaça diante da presença de Deus.

1Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. 2Pelo que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se projetem para o meio dos mares; 3ainda que as águas rujam e espumem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza. 4Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o lugar santo das moradas do Altíssimo. 5Deus está no meio dela; não será abalada; Deus a ajudará desde o raiar da alva. 6Bramam nações, reinos se abalam; ele levanta a sua voz, e a terra se derrete. 7O Senhor dos exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio. 8Vinde contemplai as obras do Senhor, as desolações que tem feito na terra. 9Ele faz cessar as guerras até os confins da terra; quebra o arco e corta a lança; queima os carros no fogo. 10Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra. 11O Senhor dos exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio. (Psa 46:1-11 ARA)






b) Coloque o Reino de Deus em primeiro lugar

33 Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. (Mat 6:33 – ARA)

Talvez seja difícil para você compreender a relação que pode existir entre buscar primeiro o reino de Deus e livrar-se da ansiedade, mas deixe-me tentar ajudá-lo.

Eu gosto muito de ler. E durante muitos anos, eu fui um freqüentador assíduo de livrarias. Um belo dia, de tanto freqüentar as livrarias e vê-las funcionando, eu achei que poderia abrir minha própria livraria. Era o melhor dos mundos: eu gostava de ler e teria uma livraria a minha disposição.

Só que as coisas não funcionam bem assim. Quando se é o cliente você não sabe quase nada sobre o funcionamento de um negócio. A livraria começou e começaram também os meus lamentos: compras, vendas, marketing, finanças, clientes, equipamentos, móveis e livros, muitos livros que precisavam ser vendidos.

Descobri de um modo bem difícil que nem todos os leitores estão aptos a se tornarem livreiros. Antes, quando eu era apenas um leitor, passar a manhã em uma livraria era um grande prazer. Depois, por um tempo eu não conseguia nem mesmo entrar em uma livraria sem certo mal estar.

Buscar primeiro o Reino de Deus é não tentar construir um reino para si mesmo. Quem tenta construir o próprio Reino, vai tentar, sem sucesso, administrar e controlar tudo o que acontece no seu mundo. O que você vai ganhar? Grandes doses de ansiedade.

Em vez disso, anseie ser um cidadão do Reino de Deus! Deixe que o Senhor Jesus seja o governante de sua vida. Ele mesmo, então, acrescentará tudo o que você precisa.
c) Viva um dia de cada vez

34 Portanto não fiquem preocupados com o dia de amanhã. Deus cuidará do dia de amanhã para vocês também. Já é suficiente a preocupação de cada dia. (Mat 6:33 – OL)

Uma grande dose de ansiedade invade nossas vidas quando desenvolvemos o hábito de antecipar os problemas. Na verdade é um ciclo destruidor: a ansiedade nos faz antecipar os problemas e a antecipação dos problemas nos enche de mais ansiedade.

O Senhor ensina que não devemos ocupara nossas mentes com os problemas que ainda não são. O dia de amanhã ainda não é. Deixe que o dia venha e os problemas apareçam de verdade. Em cada dia, bastam os problemas daquele dia.

Além dessa disciplina é preciso ter mente que você não está só hoje e também não estará só amanhã. Deus cuidará do dia de amanhã junto como vocês, assim como ele quer cuidar do dia de hoje. Convide-o para fazer parte de sua vida. Ele está pronto para dissipar as nuvens de ansiedade que estão sobre a sua cabeça.
Postar um comentário