03 setembro 2007

Família: Idéia de Deus - 2/6‏

Introdução

Com a maior complexidade da vida humana, a família tribal teve que se dividir passando a funcionar como uma família extensa, composta de três ou quatro gerações. Nessa passagem, aqueles que ficaram de fora no novo modelo ficaram sob responsabilidade de instituições sociais secundárias, um prenúncio do Estado.

Mais recentemente, com a chegada da economia industrial e de uma sociedade urbana, surgiu a família nuclear, ainda menor que a família extensa. Isso porque diante das novas demandas produtivas havia a necessidade de que a família pudesse dispor de grande mobilidade.

Com a redução das famílias, as funções básicas exercidas anteriormente tanto pela família extensa quanto pela família tribal, foram gradualmente sendo incorporadas por instituições políticas, sociais e econômicas.

Assim a educação dos filhos está cada dia mais sob a responsabilidade de creches, escolas e dos meios de comunicação; da segurança estão encarregados corpo de bombeiros, polícia, hospitais, companhias de seguro, consultórios psicológicos e centros para idosos; O comércio e a indústria assumiram as funções de cooperação e tentam ensinar os jovens a sobreviverem por si mesmos; O apoio, cada dia mais tem sido oferecido por clubes, associações, terapeutas profissionais e conselheiros de todos os tipo.

De uma forma lamentável, a família tem sido saqueada de suas principais funções e por isso é vista por um número cada vez maior de pessoas como desnecessária ao avanço da sociedade.

O lugar que a família ocupa na sociedade, sua imagem e as expectativas que ela suscita têm mudado radicalmente ao longo da história e principalmente nas últimas décadas. Temos presenciado uma profunda transformação na vida familiar.

Diferentes Faces da Família

A família do século XXI, que sofre com perda de suas funções apresenta muitas faces. Entre essas faces, gostaria de destacar as famílias ampliadas, as famílias nucleares, famílias com um só cônjuge, famílias sem filhos e as propostas homossexuais de relacionamentos estáveis sem filhos e também com filhos.

Famílias ampliadas: As famílias ampliadas se caracterizam por agregar ao núcleo familiar principal (aquele que tem responsabilidade pelo sustento e autoridade para definir as regras familiares) tanto gerações anteriores quanto posteriores.

Famílias Ampliadas - Cena 1

Algumas vezes, a geração anterior (pais e avós) se agrega ao núcleo familiar de filhos e netos, quando seu envelhecimento não foi bem planejado. O sujeito vive a vida inteira sem um fazer uma poupança, sem um plano de uma previdência pública ou privada e no final da vida torna-se dependente dos filhos e dos netos.


(14) Eis que pela terceira vez estou pronto a ir ter convosco, e não vos serei pesado, pois não vou atrás dos vossos bens, mas procuro a vós outros. Não devem os filhos entesourar para o pais, mas os pais, para os filhos. (2 Co 12:14 RA)


Agora estou pronto para visitá-los pela terceira vez e não lhes serei um peso, porque o que desejo não são os seus bens, mas vocês mesmos. Além disso, os filhos não devem ajuntar riquezas para os pais, mas os pais para os filhos. (2 Co 12:14 NVI)

Alguns pais têm os filhos como se eles fossem um tipo de cofrinho particular ou um plano de previdência pessoal. Investem nos filhos esperando receber algo em troca no futuro. Alimentam a expectativa de que serão sustentados por seus filhos quando envelhecerem e por isso não se esforçam o suficiente para garantirem sua autonomia no futuro. Esse não é um princípio bíblico.

Pais que agem dessa forma não deixam os filhos se esquecerem de suas “obrigações futuras”. Falam como se estivessem brincando, mas colocam jugos pesados sobre os ombros dos seus filhos; jugos que serviram de tropeço durante toda a vida deles atrapalhando a formação de suas futuras famílias.

Em nossa igreja temos muitas famílias com crianças pequenas e menos de 10 anos de casamento. Papai e Mamãe, rejeite essa forma de pensar e assuma a responsabilidade de planejar o seu futuro.

Você não terá a disposição e as oportunidades para o trabalho que tem hoje por toda a sua vida, por isso aprenda a poupar: viva uma vida simples, nos limites de suas posses, isso lhe permitirá fazer reservas e provisões. Nosso sistema de previdência pública é um desastre, então não entre o seu futuro exclusivamente nas mãos do governo; faça você mesmo seu plano de previdência.

Se não queremos causar transtornos às futuras famílias de nossos filhos, precisamos ser sábios e disciplinados com nossas finanças hoje. Assim o futuro não terá um sabor amargo.

ALERTA: Uma palavra de alerta às famílias que hoje já convivem com essa situação: nossa palavra é para consertar o futuro, mas o passado não pode ser mudado. O erro cometido por pais e avós no passado não são justificativas suficientes para nos eximir nossa responsabilidade de ajudá-los e cuidar deles.

Jesus falou fortemente contra os fariseus porque eles estavam usando a religião para fugir da responsabilidade de ajudar seus pais em suas necessidades.


(1) Chegaram então de Jerusalém alguns fariseus e outros lideres dos judeus para fazer umas perguntas a Jesus: (2) Porque desobedecem os teus discípulos aos antigos costumes judaicos? Não acatam o nosso ritual de lavagem das mãos antes de comer. (3) Ao que Jesus respondeu: E porque será que os vossos velhos costumes vão contra os mandamentos bem claros de Deus? (4) Por exemplo, a lei de Deus ordena: 'Respeita o teu pai e a tua mãe; quem amaldiçoar os seus pais morrerá. (5) Mas vocês dizem: 'Mesmo que os teus pais estejam passando necessidade, podes dar a Deus o dinheiro que seria para o sustento deles. (6) E assim, aproveitando-se de uma regra feita pelos homens, contrariam a ordem direta de Deus de que devem respeitar e cuidar dos vossos pais. (Mt 15: 1-6 OL)

Famílias Ampliadas - Cena 2

Outro motivo que leva a essa ampliação da família com as gerações anteriores é o simples envelhecimento de pais e avós, que se tornam mais frágeis física e emocionalmente, carecendo de amparo e cuidado. A família que se amplia por esse motivo, está respondendo ao chamado de Deus para exercer amor às gerações vieram antes de nós.


Quem ferir a seu pai, ou a sua mãe, certamente será morto. (Ex 21:15)

Quem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe, certamente será morto. (Ex 21:17 RA)

O que aflige a seu pai, e faz fugir a sua mãe, é filho que envergonha e desonra. (Pv 19:26 RA)

Maldito aquele que desprezar a seu pai ou a sua mãe. (Deu 27:16 RA)

Quem acolhe o pai ou a mãe idosos, que não têm como cuidar de si mesmos, não está assumindo uma tarefa fácil de realizar, mas encontrará encorajamento nas promessas do Senhor.


Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá. (Ex 20:12 RA)


Honra a teu pai e a tua mãe, como o senhor teu Deus te ordenou, para que se prolonguem os teus dias, e para que te vá bem na terra que o Senhor teu Deus te dá. (Deu 5:16 RA)

Infelizmente há fortes indícios de que a família vem perdendo sua função de apoio mútuo e está sendo corroída pelo egoísmo. Um desses indícios é a tendência atual de se entregarem os velhos para serem cuidados por instituições sociais como abrigos e asilos, em vez de lhes oferecer uma ambiente familiar saudável para envelhecerem em paz.

Embora a nossa sociedade rejeite a velhice, quase todos nós vamos ficar velhos (no Brasil um número cada vez maior de pessoas chega a velhice). Aos velhos e àqueles que ficarão velhos o Senhor tem uma palavra nesta noite: Confie no Senhor, como fez Davi. Ore ao Senhor, como fez Davi.


(4) Livra-me, meu Deus, das mãos desses que te rejeitam, dessa gente injusta e cruel. (5) Senhor, só tu és a minha esperança. Tenho confiado em ti desde menino. (6) Tenho sido sustentado por ti desde que nasci. Foste tu quem me tirou do seio de minha mãe. Por isso te louvarei constantemente. (7) Muitos se admiram por tudo me correr bem, pois tu és o meu forte protetor. (8) Todo o dia a minha boca está cheia de louvores a ti. (9) Agora que estou velho, não me deixes de lado. Não me abandones quando as minhas forças se forem acabando. (Salmo 71:4-9 OL)

Ouça agora a resposta do Senhor:


(3) Escute-me, ó casa de Jacó, todos vocês que restam da nação de Israel, vocês, a quem tenho sustentado desde que foram concebidos, e que tenho carregado desde o seu nacimento. (4) Mesmo na sua velhice, quando tiverem cabelos branco, sou eu aquele, aquele que os susterá. Eu os fiz e eu os levarei; eu os sustentarei e eu os salvarei. (Is 46:3,4 NVI)

Famílias Ampliadas - Cena 3

A ampliação da família para as gerações seguintes é comum como resposta à paternidade ou maternidade irresponsáveis. Pais e mães adolescentes, imaturos emocionalmente, são agregados ao núcleo familiar principal em uma tentativa de reparar os erros cometidos em relacionamento sexual precoce. Essa é uma situação cercada de emoções.

É razoável que as famílias tenham o desejo de ajudar e é saudável que ajudem. Mas recolher a nova família em um quarto do apartamento dos pais ou fazer um quartinho nos fundos da casa da mãe normalmente trás mais mal do que bem.

O princípio bíblico foi apresentado bem no começo.


Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão uma só carne. Gen 2:24

A sabedoria popular transformou a orientação bíblica no ditado: Quem casa, quer casa.

Jesus confirmou esse princípio quando foi indagado pelos religiosos judeus a respeito do divórcio.


(4) Respondeu-lhe Jesus: Não tendes lido que o Criador os fez desde o princípio homem e mulher, (5) e que ordenou: Por isso deixará o homem pai e mãe, e unir-se-á a sua mulher; e serão os dois uma só carne? )Mat 19:4-5)

O apóstolo Paulo quando fala do amor que os maridos devem ter para com suas mulheres, chega a afirmar quem das provas desse amor é que ele abra deixe pai e mãe.


(28) Assim devem os maridos amar a suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. (29) Pois nunca ninguém aborreceu a sua própria carne, antes a nutre e preza, como também Cristo à igreja; (30) porque somos membros do seu corpo. (31) Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e se unirá à sua mulher, e serão os dois uma só carne. (Eph 5:28-31)

Porque amam suas esposas como a si mesmos, eles devem cortar o cordão umbilical. Isso significa pagar o preço para se tornar independente em pelo menos duas áreas.

Deixar o pai remete à independência financeira. As novas famílias devem aprender a se sustentarem por conta própria. Se precisam de ajuda para isso, os pais devem ajudar, mas nunca sustentar indefinidamente.

Deixar a mãe remete à independência emocional. A nova família precisa de espaço para se conhecer sem a interferência de pais e mães dizendo que ela é assim, ou que ele é assado.

Famílias Ampliadas - Cena 4

Postar um comentário