02 outubro 2016

Jesus Cristo: único e necessário


JESUS CRISTO: ÚNICO E NECESSÁRIO

Diferente em que?

Irmãos, hoje à noite desejo compartilhar um pouco sobre nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A pergunta que pretendo responder é: Em que Jesus é diferente? Não seria ele um entre muitos messias que se anunciam como salvadores? Ou ele é realmente único e necessário para nossas vidas?

Jesus viveu entre nós como uma pessoa comum. Ele foi plenamente humano entre nós. Jesus nasceu de uma mulher, foi um bebezinho precisando de cuidados, tornou-se uma criança que corria e brincava com os amigos, aprendeu a profissão de seu pai e trabalhou pesado como carpinteiro, estudou as Escrituras com dedicação e aprendeu a obedecer por meio daquilo que sofreu (Hb 5.8).

Jesus também morreu como as pessoas comuns morrem. Seu corpo não suportou as atrocidades que sofreu. A tortura física que lhe foi imposta com açoites e espancamento e o suplício que a crucificação produzia nos crucificados tirou-lhe a vida em meio a muitas dores e sofrimento. Assim como os ladrões ao seu lado, ele deu seu suspiro final ali, pregado no madeiro.

Por que, então, Jesus era e é diferente?

Além dessa humanidade tão comum, sua atuação como profeta e pregador não é algo exclusivo. A despeito das diferente motivações e objetivos, em seu tempo havia outros que também anunciavam ao povo alguma mensagem.

Por que, então, Jesus era e é diferente?

Depois que Jesus foi morto e sepultado, muita gente pensava que era uma questão de tempo para que o rebuliço produzido pelo carpinteiro de Nazaré chegasse ao fim.

Era previsível que tudo iria voltar ao normal. As curas, os milagres, os ensinos agudos que tocavam seus ouvintes, a perspectiva renovada do amor de Deus pela humanidade e a insistência de Jesus no amor ao próximo, mais cedo ou mais tarde, cairia na vala comum da história.

Correndo tudo conforme o esperado, seria o fim das esperanças alimentadas pelos seguidores de Jesus e a vida poderia voltar a correr em seu leito normal. E é claro que, se esse fosse o fim da história, certamente Jesus seria no máximo uma breve nota nos relatos de sua época.

Mas nós sabemos que não foi assim que aconteceu! É tão grande o impacto que Jesus deixou sobre a história que vivemos hoje com um calendário cujo marco inicial é o seu nascimento AC e DC. Por mais de vinte séculos milhões e milhões têm confessado sua confiança em Jesus e dedicado suas vidas a seguir os seus ensinamentos. Por quê?

Em uma de suas cartas, o apóstolo Paulo reconheceu que um fato sobrenatural mudou a história. Esse fato é a base do evangelho e a esperança dos seguidores de Jesus: sua ressurreição dos mortos. (Paulo não fala em tese ou de ouvir falar. Ele mesmo teve um encontro com o Jesus ressurreto, quando se dirigia para a cidade de Damasco para perseguir o prender aqueles que eram chamados “Os do Caminho”).

12 Ora, se está sendo pregado que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como alguns de vocês estão dizendo que não existe ressurreição dos mortos? 13 Se não há ressurreição dos mortos, então nem mesmo Cristo ressuscitou; 14 e, se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm. 1 Co 15.12-14

A ressurreição de Jesus ultrapassou as fronteiras do que se esperava até de um Messias. Foi algo sobrenatural e impressionante! Diante desse fato e inspirados pelo Espírito Santo, os discípulos começaram a testemunhar sobre a realidade e o significado da ressurreição de Cristo. Era esse o centro de qualquer fala feita pelos discípulos de Jesus naquele tempo.

Em seu primeiro discurso, na festa de pentecostes, cheio do Espírito Santo, Pedro afirmou:

22"Israelitas, ouçam estas palavras: Jesus de Nazaré foi aprovado por Deus diante de vocês por meio de milagres, maravilhas e sinais, que Deus fez entre vocês por intermédio dele, como vocês mesmos sabem. 23 Este homem lhes foi entregue por propósito determinado e pré-conhecimento de Deus; e vocês, com a ajuda de homens perversos, o mataram, pregando-o na cruz. 24 Mas Deus o ressuscitou dos mortos, rompendo os laços da morte, porque era impossível que a morte o retivesse. At 2.22-24

Depois, quando todos estavam boquiabertos com a cura de um homem que tinha nascido aleijado e vivia de esmolas, porque não podia trabalhar, Pedro testemunhou novamente sobre a ressurreição de Jesus:

12 Vendo isso, Pedro lhes disse: "Israelitas, por que isto os surpreende? Por que vocês estão olhando para nós, como se tivéssemos feito este homem andar por nosso próprio poder ou piedade? 13 O Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, o Deus dos nossos antepassados, glorificou seu servo Jesus, a quem vocês entregaram para ser morto e negaram perante Pilatos, embora ele tivesse decidido soltá-lo. 14 Vocês negaram publicamente o Santo e Justo e pediram que lhes fosse libertado um assassino. 15 Vocês mataram o autor da vida, mas Deus o ressuscitou dos mortos. E nós somos testemunhas disso. At 3.12-15

Seguidas vezes o relato escrito por Lucas no livro de Atos nos remete à ressurreição de Jesus (4.10 – Pedro e João interrogados pelo Sumo Sacerdote; 5.30 Pedro e João testemunham diante do Sinédrio; 10.40 – Pedro na casa de Cornélio; 13.30 – Paulo na sinagoga de Antioquia).

Ao testemunhar o poder da morte sendo vencido na ressurreição de Jesus, os discípulos compreenderam quem era ele. E partir dessa realidade tão contundente, orientados pelo Espírito Santo de Deus, eles registraram verdades profundas e reveladoras sobre aquele que é Único e Necessário para a existência de todo o universo.


ÚNICO E NECESSÁRIO

O texto que tomaremos como base para essas verdades a respeito de Jesus Cristo está na carta escrita pelo apóstolo Paulo aos colossenses (Cl 1.15-20). Portanto abra sua bíblia e acompanhe a leitura que vamos fazer agora.

15 Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação, 16 pois nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos ou soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por ele e para ele. 17 Ele é antes de todas as coisas, e nele tudo subsiste. 18 Ele é a cabeça do corpo, que é a igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a supremacia. 19 Pois foi do agrado de Deus que nele habitasse toda a plenitude, 20 e por meio dele reconciliasse consigo todas as coisas, tanto as que estão na terra quanto as que estão no céu, estabelecendo a paz pelo seu sangue derramado na cruz. Cl 1.15-20

Este é um texto maravilhoso! Quantas coisas ele nos fala a respeito de Jesus! Sim, irmãos, Jesus é único e necessário. Não há nada nem ninguém que possa ser comparado a ele.

(1)            NA CRIAÇÃO

O primeiro destaque que desejo fazer é que Jesus, a quem adoramos e servimos, juntamente com o Pai, criou tudo que existe neste universo. Não faz diferença se estamos falando da florzinha no jardim, dos oceanos bravios ou da imensa Via Láctea, todas as coisas forma criadas por ele.

Assim, por mais poderosos sejam os seres, os tronos e os soberanos, por mais impressionantes sejam os poderes e as realizações e mais elevadas e grandiosas sejam as autoridades, tudo isso existe e foi criado por ele e para ele.

15 Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação, 16 pois nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos ou soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por ele e para ele. Cl 1.15,16

O Apóstolo João afirmou que sem Jesus nada existiria. Não haveria vida sem ele. O universo não existiria sem ele. Eu e você não existiríamos sem ele. Nossa presença neste mundo é um presente, uma concessão feita Jesus. Já pensou sobre isso jeito? Veja, então, o que João diz:

1 No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus. 2 Ela estava com Deus no princípio. 3 Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito. Jo 1.1-3

O escritor de Hebreus também falou claramente que o universo foi feito pelo Filho.

1 Há muito tempo Deus falou muitas vezes e de várias maneiras aos nossos antepassados por meio dos profetas, 2 mas nestes últimos dias falou-nos por meio do Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e por meio de quem fez o universo. Hb 1.1, 2

Eu gosto de filmes de ficção cientifica. Acho interessante a perspectiva que eles apresentam do futuro: a viagem no tempo, a vida em outros planetas, as galáxias distantes.... Nesse universo da ficção as medidas de distância e tempo são tão grandes que muitas vezes fogem à nossa compreensão. Olhar para o universo pode ser assustador. A gente se sente um nada quando planeta inteiro é um pontinho perdido, uma poeira. O salmista também se sentiu assim:

Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que ali firmaste,pergunto: Que é o homem, para que com ele te importes? E o filho do homem, para que com ele te preocupes? Sl 8.3,4

Nesses momentos, lembre-se: o mundo não é obra do acaso e sua existência não é uma mera coincidência. Jesus, o filho de Deus é o criador de todo o universo. Tudo foi criado por ele e para ele. Isso mesmo, o Jesus que morreu na cruz, fraco e debilitado em sua humanidade é, ao mesmo tempo, aquele a quem todo o universo se inclina em reverência.

Esse mesmo Jesus disse que não nos deixaria sós. Ele disse que voltaria para buscar os seus, para estarmos onde ele estiver. Ele nos garantiu a companhia permanente e consoladora do Espírito Santo de Deus e que estaria conosco todos os dias até a consumação dos séculos. Animem o coração com essas verdades, irmãos!

(2)            NA SUSTENTAÇÃO

A segunda verdade sobre Jesus que desejo destacar no texto de colossenses está no verso 17:

17 Ele é antes de todas as coisas, e nele tudo subsiste. Cl 1.17

Que maravilha, irmãos! Não é impressionante a simplicidade com que as Escrituras nos revelam algo tão tremendo? O Senhor Jesus, a quem amamos e adoramos não é apenas é o criador de todas as coisas, mas ele mesmo é quem sustenta todo o universo.

Além de haver criado o universo e tudo mais que existe, Jesus é o mantenedor da criação. O universo está apoiado sobre o seu poder. O escritor de Hebreus afirmou que o Filho sustenta a criação simplesmente pelo poder de sua palavra. Veja o que ele diz:

3 O Filho é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser, sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa. Hb 1.3
Não poderia ser mais claro: a vida é mantida pela palavra poderosa de Jesus. Todo o universo se submete ao seu falar.

Quando Jesus estava em um barco, num lago chamado Mar da Galiléia, eles foram alcançados por uma tempestade. Enquanto Jesus dormia os discípulos ficaram aterrorizados com os ventos e as ondas, e, então, pediram ajuda Jesus. Ele, então, se levantou e disse: “Aquiete-se! Acalme-se! ” O vento se aquietou, e fez-se completa bonança (Mc 4.39).

Jesus não está distante do seu dia-a-dia, irmão. Ele não está de costas, nem dá de ombros, como quem não se importa! Ele não deixa a gente pra se virar sozinho, não! Sem Jesus a vida não se sustentaria. Mesmo quando não percebemos podemos ter certeza de que sua palavra poderosa está nos sustentando.

E assim com o os planetas e as galáxias subsistem apoiados sobre a palavra poderosa de Jesus, nós também podemos contar com essa mesma palavra poderosas para nos sustentar nos dias difíceis. Nos momentos de angústia e amargor, você pode chamá-lo como fizeram os discípulos e ter certeza de que o sustentará.


(3)            NA REVELAÇÃO

Uma pergunta que sempre intrigou os filósofos e teólogos é como seres humanos limitados como nós poderiam aproximar-se de um Deus infinito. Dito de outra forma, como um Deus perfeito, além e acima de tudo o que se possa imaginar, poderia se fazer conhecido a gente imperfeita e comum como nós?

Jesus é a resposta para a inquietação de filósofos e teólogos. Ele é a revelação do Deus infinito. Para que pudéssemos ser alcançados pela natureza de Deus, para que a essência de Deus (o amor) chegasse até nós. O Filho esvaziou-se a si mesmo, limitou-se à forma humana e nos amou até à morte.

Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; 7 mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz! Fl 2.5-8

Jesus é tudo aquilo que de Deus nos foi concedido perceber na limitação de nossa humanidade. Há quem busque revelações elevadas sobre Deus, como se isso fosse um caminho mais espiritual, mas isso não é necessário nem útil.

O que de Deus se pode conhecer foi revelado em Jesus. Portanto conhecer Jesus (vida, sua obra, seu ensino, sua forma de ver o mundo e sua missão entre nós) é o que há de mais profundo a respeito de conhecer a Deus. O próprio Jesus afirmou isso.

19 Então lhe perguntaram: "Onde está o seu pai? " Respondeu Jesus: "Vocês não conhecem nem a mim nem a meu Pai. Se me conhecessem, também conheceriam a meu Pai". Jo 8.19

No texto de colossenses, o apóstolo Paulo afirma com simplicidade que Jesus é a imagem de Deus. Vejamos:

15 Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação, Cl 1.15

Já o escritor de Hebreus explica que Jesus brilha o mesmo brilho de Deus.

O Filho é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser, sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa. Hb 1.3
Para aqueles que desejam conhecer mais dos mistérios de Deus, que anseiam por vidas profundamente espirituais, que desejam ver a glória de Deus em suas vidas, a recomendação é uma só: olhem para Jesus.

Qualquer conhecimento de Deus à parte de Jesus é inferior, de baixa qualidade ou até mesmo anátema. Todo conhecimento de Deus que pretende contornar Jesus é carnal e soberbo. Apenas em Jesus o Deus do universo se tornou completamente acessível para nós.

Qualquer conhecimento de Deus à parte de Jesus é inferior, de baixa qualidade e maldito. Toda busca por conhecer a Deus que pretende contornar Jesus é meramente humana e nos conduz à soberba. Apenas em Jesus o Deus do universo se tornou completamente acessível para nós.
Qualquer tentativa de acesso à mente de Deus, mesmo revestida de práticas espiritualistas, mas que não passa pela mente de Cristo vai nos levar ao autoengano ou à mentira. Todo esforço para conhecer a Deus sem olhar para Jesus nos levará prá longe do coração de Deus. Sem Jesus estamos às cegas!
O caminho para quem tem sede de Deus é render-se! Deixe-se alcançar pelo amor de Deus revelado em Jesus Cristo. Confie naquele que criou o universo e o sustenta por sua palavra poderosa. Jesus é a completa revelação a respeito de Deus. Confie sua vida a ele e prossiga na direção de conhecê-lo, amá-lo e obedecê-lo.


Eu concluo minha palavra hoje com uma oração: eu peço a Deus que você se renda. Peço que em algum momento e sem demora você erga literalmente as mãos para o alto deixe-se alcançar pelo amor de Deus revelado em Jesus Cristo. Oro para que você aprenda a confiar naquele que criou o universo e o sustenta por sua palavra poderosa Oro para que você encontre em Jesus a completa revelação a respeito de Deus e confie sua vida a ele e prossiga na direção de conhecê-lo, amá-lo e obedecê-lo. Amem!
Postar um comentário