17 maio 2009

A Graça de Contribuir - Um Caso Prático

Nos últimos domingos temos refletido sobre em tipo de pessoas estamos nos tornando: pessoas que contribuem ou pessoas que se negam.

Nas três primeiras mensagens paramos para observar qual é a visão de cristo sobre dinheiro, bens, riquezas e contribuição

19 “Não se preocupem em acumular riquezas aqui na terra, onde tudo pode estragar-se ou ser roubado”. 20 “Guardem, sim, coisas preciosas nos céu, onde nunca perdem seu valor, e estão livres dos ladrões! ” 21 “Se as riquezas estiverem no céu, o seu coração também estará lá”. Mat. 5:19-21

41 Então Ele passou para onde estavam os cofres de ofertas do templo. Sentou-Se e ficou observando o povo colocar seu dinheiro. Alguns que eram ricos punham grandes quantias. 42 Nisso veio uma viúva pobre e colocou duas moedinhas. 43 Ele chamou seus discípulos e disse: "Aquela viúva pobre deu mais do que todos aqueles ricos juntos! 44 Porque eles deram um pouco das sobras da sua riqueza, enquanto ela deu o seu último centavo". Mar 12:41-44

16 Então apresentou uma comparação: "um homem rico tinha uma fazenda que deu boas colheitas. 17 Com isso seus depósitos ficaram cheios - e ele não podia colocar tudo lá dentro. (Lc 12:16,17)

Hoje e nos próximos dois domingos vamos examinar um caso prático de contribuição na igreja de Corinto. Das páginas do novo testamento vamos extrair princípios preciosos sobre contribuir pedir a Deus que nos conceda sua Graça em toda a plenitude que ela representa

A Graça de Deus implica salvação. Isso todos nós queremos. Mas implica em outras realidades que embora alguns não entendam assim, são benefícios concedidos por Deus. Hoje é dia de compreendermos e sermos alcançados pela Graça de Contribuir.

Leitura do Texto

1 Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus concedida às igrejas da Macedônia; 2 porque, no meio de muita prova de tribulação, manifestaram abundância de alegria, e a profunda pobreza deles superabundou em grande riqueza da sua generosidade. 3 Porque eles, testemunho eu, na medida de suas posses e mesmo acima delas, se mostraram voluntários, 4 pedindo-nos, com muitos rogos, a graça de participarem da assistência aos santos. 5 E não somente fizeram como nós esperávamos, mas também deram-se a si mesmos primeiro ao Senhor, depois a nós, pela vontade de Deus; 2 Co 8:1-5

Escrevendo aos irmãos de Corinto, Paulo se propõe a apresentar a Graça de Deus concedida à igrejas da Macedônia (Filipos, Tessalônica e Beréia)

1 Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus concedida às igrejas da Macedônia;

É de se esperar que Paulo comece um tratado teológico sobre o favor imerecido de Deus que nos salvou, assim como acontece na carta escrita aos Romanos. Mas, em vez de fazer uma exposição dos textos proféticos, aqui Paulo explica outra dimensão da Graça; prática, visível e poderosa: a contribuição.

Como assim? O que Graça e Contribuição têm a ver? Têm tudo a ver! O Espírito de Deus colocou no coração e nas letras escritas pelo Apóstolo que contribuir é uma expressão da Graça de Deus. Dito de outra maneira: não temos o poder ou a capacidade de contribuir a não ser que o Senhor nos alcance com o seu favor e nos capacite a fazer isso através do seu poder.

O que estou dizendo é que contribuir segundo o coração de Deus não é algo que se faça por conta própria e pelas próprias forças; é algo que faz quando somos alcançados pela Graça.

Como reconhecer a Graça de Deus na contribuição

Veja só: qualquer pessoa pode vir até aqui à frente e entregar dinheiro. Mas contribuir para o Reino de Deus, apenas aqueles que foram alcançados pela Graça podem fazer.

A pergunta mais lógica a fazer agora é como podemos reconhecer a Graça de Deus na contribuição. Penso que o exemplo das igrejas da Macedônia nos dão pelo menos três maneiras de conectar contribuição e Graça.

1. Alegria em meio a tribulação

2a porque, no meio de muita prova de tribulação, manifestaram abundância de alegria,

Quando somos alcançados pela Graça de Deus, isto é, quando entendemos e aceitamos que é dele toda a iniciativa e o poder de nos salvar e manter-nos salvos, nem as provas, nem as tribulações são capazes de roubar nossa alegria de contribuir.

Não importa se as lutas são grandes para ganhar o pão de cada dia, não importa se o trabalho é duro e o salário é pequeno, não importa se o chefe é chato, se a chuva mofou a parede do quarto, não importa se o sofá está rasgado, não importa se os família está passando por problemas ou se os filhos estão rebeldes, não importa... Nada disso rouba a alegria de contribuir quando entendemos que tudo o temos e somos não nos pertence.

Não importa se clonaram seu cartão e roubaram seu dinheiro, não importa se caiu um pedra em cima do seu carro, não importa se você foi preterido na promoção em seu trabalho, não importa... Seu peito está cheio de alegria porque a vida que lhe foi dada ainda será usada para contribuir com o Reino de Deus.

Sem o entendimento e a aceitação desse favor de Deus que o mantém vivo, que o salvou para a vida e sem explicação ama você, contribuir não é só difícil. É impossível.

Paulo estava dizendo: eu sei que a Graça de Deus alcançou aqueles irmão, porque é impossível que eles em meio a tanta tribulação, pudessem por sua própria força alegrarem-se em contribuir.

Eu acho que você deve olhara para si mesmo agora e pensar sobre a Graça de Deus que o alcançou e quer se expressar através da alegria em contribuir. Experimente. Certamente você não mais vai querer interromper esse canal da Graça de Deus: pela alegria que isso vai lhe dar e ser usado por Deus para abençoar outras pessoas.

2. Riqueza em meio a pobreza

2b e a profunda pobreza deles superabundou em grande riqueza da sua generosidade

A segunda maneira de conectar Graça e contribuição é perceber que contribuir não é uma condição de riqueza financeira. Não são os ricos que contribuem, mas aqueles que contribuem certamente têm grandes tesouros de generosidade em seus corações.

Nós já vimos aqui que Deu não tem necessidade de riqueza. Ele é o dono de Tudo. Na verdade o Senhor procura corações generosos para usar como instrumento de bênção para a vida de outras pessoas.

Mesmo da profunda pobreza e faz aparecer a riqueza da generosidade. Domingo passado vimos que generosidade é um característica do amor de Deus. Então, aqueles que foram alcançados pela Graça de Deus não vêem qualquer limitação em sua pobreza, mas reconhecem em sua limitações a oportunidade para se revelar o poder de Deus.

É assim que muitas igrejas bem pequenas e pobres sustentam missionários por esse mundo afora. É assim que irmão e irmãs bem pobre são fiéis em sua contribuições, porque crêem que seu sustento vem das mãos do Senhor. É assim que aqueles que se julgam pobres, como aquela viúva que Jesus observava, acabam contribuindo mais do que pessoas consideradas bem de vida pela sociedade.

Se você não entender e aceitar que é Deus que vai transformar sua pobreza em riqueza, isto é, se você não reconhecer a Graça do Senhor, contribuir não será apenas difícil. Será impossível.

Paulo estava dizendo, eu sei que a Graça de Deus alcançou aqueles irmãos, porque ninguém pode ser tão pobre como eles são e ao mesmo tempo tão desprendidos como eles foram. Eles contribuíram como se fossem ricos, e isso é o resultado da Graça de Deus nas vidas deles.

Olhe para si mesmo agora. Você se considera pobre e necessitado, alguém que não tem recursos suficientes para contribuir. Deus quer usar a sua pobreza para mostra ao mundo a Graça e poder dele. Quando Ele usar você para abençoar, tornando você um canal de riqueza e bênçãos para outras pessoas, então vai ficar claro que não foi você, mas foi Ele quem fez.

3. Superação em meio aos limites

3 Porque eles, testemunho eu, na medida de suas posses e mesmo acima delas, se mostraram voluntários, 4 pedindo-nos, com muitos rogos, a graça de participarem da assistência aos santos.

A Graça de Deus é a prova de que Ele não se limita a nós. Deus não se restringe à minha capacidade, aos meus recursos, à minha cultura, aos meus conhecimentos nem à minha experiência. Por isso é Graça, porque Ele vai além de nós.

Essa é terceira forma de conectar graça e contribuição. Quando somos alcançado por esse favor sem medida, a medida de nossas posses é ultrapassada. Mas como é possível que isso aconteça?

É incrivelmente simples. Você se torna um canal das bênçãos e não um depósito. Se você for um depósito, você é a medida e o limite da bênção de Deus. Se é para você tem um limite, que é para não lhe fazer mal; mas se você é tão somente um canal para abençoar outros, então não tem limite nem medida.

Aqueles que foram alcançados pela Graça do Senhor devem experimentar a alegria de ser cana. Não tente apenas acumulara para si, porque a medida é pequena e alegria é bem curta. Experimente se colocar à disposição do Senhor para ser o canal da benção, da riqueza, da contribuição para o Reino e aqueles que Ele quer abençoar.

Se você não entender e não se vir como um canal para a benção que Deus quer derramar sobre esta igreja e sobre o Seu Reino, então suas limitações farão com que contribuir não seja só difícil, mas impossível.

Paulo olhou para os irmãos da Macedônia e disse. Eu sei que a Graça de Deus alcançou aqueles irmãos, porque é impossível que pessoas tão limitadas contribuam tão acima de suas posses sem que isso seja uma obra da Graça de Deus neles.

O que você quer ser? Um depósito, ainda que bem grande, da provisão de Deus, guardando tudo para si mesmo? Um canal da Graça, que não para de derramar sobre os outros a benção e alegria de ser usado pelo Senhor?

• Alegria em doar, mesmo em meio à tribulação.
• Riqueza ao ofertar, mesmo em meio à pobreza da própria vida.
• Exceder os limites ao contribuir, porque é canal e não depósito da bênção de Deus.
Postar um comentário