01 abril 2008

Esperança Cristã – Fundamentos da Esperança - 2/4

Introdução

A Esperança, sobre a qual vamos refletir durante esse encontro, não é o mero desejo de que alguma coisa aconteça. Também não é um sonho ou um pensamento positivo a respeito de algo.

A Esperança Cristã está baseada em promessas que nos foram feitas. Não é uma aventura de gente sem juízo, uma ficção sem fundamento! A Esperança Cristã não é um tiro desesperado no escuro. Os cristãos esperam o cumprimento das promessas que receberam de Deus.

A Esperança Cristã tem por base a confiança que temos naquele que fez a promessa: (1) Uma questão: As promessas podem ser excelentes (como aquelas feitas pelos políticos em tempos de eleição), mas se aquele que prometeu não tiver a intenção de cumpri-las, a frustração é certa; (2) outra questão: por mais que sejam promessas desejáveis, se aquele que prometeu não puder cumpri-las, também seremos frustrados.

A Esperança Cristã está baseada em amostras das promessas. O Senhor não é um embusteiro tentando nos enganar, por isso ele não se negou a oferecer amostras de que as promessas feitas serão cumpridas.

É sobre os fundamentos da Esperança Cristã que vamos meditar hoje à noite. O Espírito de Deus nos ensinará sobre a importância desses fundamentos e trará consolo para nossas vidas à medida que formos nos apropriando dessas verdades.

O Caráter de quem promete

Vale a pena confiar em Deus? Será que Ele é cumpridor de suas promessas? Será que Deus é capaz de usar de má fé conosco? Porque se Deus for um mal-caráter, então nem adiante continuarmos. Se não tivermos a certeza da intenção do Senhor em cumprir aquilo que Ele promete, nossa Esperança está apoiada em areia movediça.

Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa. Porventura, tendo ele dito, não o fará? ou, havendo falado, não o cumprirá? (Num 23:19)

(1) Paulo, servo de Deus, e apóstolo de Jesus Cristo, segundo a fé dos eleitos de Deus, e o pleno conhecimento da verdade que é segundo a piedade, (2) na esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos eternos, (Tit 1:1-2)

(11) Fiel é esta palavra: Se, pois, já morremos com ele, também com ele viveremos; (12) se perseveramos, com ele também reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará; (13) se somos infiéis, ele permanece fiel; porque não pode negar-se a si mesmo. (2Ti 2:11-13)

Deus é totalmente confiável. Jesus Cristo, o filho de Deus que se fez gente, é totalmente digno de confiança. Se a sua Esperança é no Deus de Abraão, Isac, Jacó, Davi, Daniel, Elias, Pedro, Paulo, Tiago e João, você não tem motivos para duvidar. Mas, se sua esperança está apoiada sobre qualquer outra coisa ou pessoa, você está correndo um sério risco de frustrar-se.

Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação. (Jas 1:17)

O poder de quem promete

O Senhor é íntegro! Mas será que ele pode cumprir as promessas que faz? Porque, se apesar de bem intencionado, o Senhor não puder realizar o que Ele promete, então certamente seremos frustrados.

(5) Os céus louvarão as tuas maravilhas, ó Senhor, e a tua fidelidade na assembléia dos santos. (6) Pois quem no firmamento se pode igualar ao Senhor? Quem entre os filhos de Deus é semelhante ao Senhor, (7) um Deus sobremodo tremendo na assembléia dos santos, e temível mais do que todos os que estão ao seu redor? (8) Ó Senhor, Deus dos exércitos, quem é poderoso como tu, Senhor, com a tua fidelidade ao redor de ti? (Psa 89:5-8)

(20) Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, (Eph 3:20)

Sim, Deus tem poder para cumprir suas promessas. Ele o Todo-poderoso. O Pai tem poder, e o Filho também tem poder. O nosso salvador Jesus Cristo recebeu do pai toda a autoridade e todo poder para cumprir aquilo que ele nos prometeu.

(1) Depois de assim falar, Jesus, levantando os olhos ao céu, disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que também o Filho te glorifique; (2) assim como lhe deste autoridade sobre toda a carne (Joh 17:1,2a)

(16) Partiram, pois, os onze discípulos para a Galiléia, para o monte onde Jesus lhes designara. (17) Quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram. (18) E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. (Mat 28:16-18)

Eu sou o Alfa e o ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso. (Rev 1:8)

Depois destas coisas, ouvi no céu como que uma grande voz de uma imensa multidão, que dizia: Aleluia! A salvação e a glória e o poder pertencem ao nosso Deus; (Rev 19:1)

As Promessas

Há muitas promessas nas Escrituras. Mas, agora, precisamos focalizar em algumas que têm influência direta em nossa Esperança sobre o futuro.

ELE PROMETEU VIDA ETERNA

Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida. (Joh 5:24)

(27) As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem; (28) eu lhes dou a vida eterna, e jamais perecerão; e ninguém as arrebatará da minha mão. (Joh 10:27-28)

Jesus prometeu dar vida eterna àqueles que o seguem. Aqueles que atendem à palavra de Cristo e crêem em Deus recebem de volta a perspectiva da eternidade (aquela que jogamos fora no Éden). O Senhor Jesus veio para recuperar o projeto inicial de Deus, veio buscar e salvar o que se havia perdido.

Quando colocamos nossa confiança em Deus e no Seu Cristo, a vida por aqui não precisa mais ser uma busca desesperada para ser reconhecido ou realizar algo; o tempo deixa de ser um inimigo e se torna um amigo que nos leva aos braços do nosso Senhor: onde seremos tudo que ele deseja que sejamos.

Quando a eternidade é colocada de volta em nosso coração, ele pode voltar a bater no ritmo certo; os 90 ou 100 anos que vivemos aqui são como o laço e o papel de um presente chamado eternidade. Para abrir o presente precisamos tirar o laço e desembrulhar o papel (precisamos viver nossas vidas aqui com alegria e intensidade). Mas, o laço e o papel do presente não podem se tornar mais importantes que o próprio presente.

ELE PROMETEU VOLTAR

(1) Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. (2) Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito; vou preparar-vos lugar. (3) E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos tomarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. (Joh 14:1-3)

(27) Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até o ocidente, assim será também a vinda do filho do homem. (...) (30) Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão vir o Filho do homem sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. (Mat 24:27,30)

A igreja não mais fala sobre a vinda de Cristo. Estamos tão mergulhados em nossas vidas pequenas e agitadas que paramos de ansiar pela volta do Senhor. Temos tantos projetos que julgamos necessários e maravilhosos que chegamos a desejar que Ele demore um pouco mais, que não venha tão rápido. Estamos tão entretidos com o laço e o papel do presente que chegamos a rejeitar o presente.

Jesus prometeu que voltaria. Ele vai voltar! Ele nos quer perto dele, junto dele. Isso não é história de contos de fada, não! Foi o próprio Cristo que prometeu e ele cumprirá sua promessa.

Durante toda a história do cristianismo, nossos irmãos têm esperado pelo Senhor. Essa promessa alimentou seus corações e serviu de ânimo para que eles enfrentassem as dificuldades da vida e deve ser assim também para nós.

O Senhor virá. Não sabemos quando, mas sabemos como (como poder e grande glória) e sabemos também o porque (para encerrar essa parte da história humana e inaugurar um novo tempo que se chama eternidade).

ELE PROMETEU QUE NOS RESSUSCITARÁ

(38) Porque eu desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. (39) E a vontade do que me enviou é esta: Que eu não perca nenhum de todos aqueles que me deu, mas que eu o ressuscite no último dia. (40) Porquanto esta é a vontade de meu Pai: Que todo aquele que vê o Filho e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. (Joh 6:38-40)

(23) Respondeu-lhe Jesus: Teu irmão há de ressurgir. (24) Disse-lhe Marta: Sei que ele há de ressurgir na ressurreição, no último dia. (25) Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá; (26) e todo aquele que vive, e crê em mim, jamais morrerá. Crês isto? (Joh 11:23-26)

O nosso Senhor tem autoridade sobre a morte. Os servos de Cristo que morrerem antes da segunda vinda do Senhor serão ressuscitados por Ele. A morte perdeu seu poder sobre nós!

(54) Mas, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então se cumprirá a palavra que está escrito: Tragada foi a morte na vitória. (55) Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? (56) O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. (57) Mas graça a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo. (1Co 15:54-57)

Aqueles que entregaram suas vidas nas mãos do Filho de Deus serão ressuscitados pelo poder de Cristo. Que grande esperança o Senhor planta em nosso coração! A morte, o mais terrível dos inimigos, está derrotada. Onde está a tua vitória, morte. Em Cristo temos vida, vida abundante, vida eterna que começa agora!

O Senhor é confiável e poderoso. Suas promessas serão cumpridas. Ele ressuscitará a todos os que crêem no seu nome. Nenhum se perderá. Todos seremos novamente reunidos em um mesmo lar no qual no qual o reinado será entregue ao Pai pelo Filho. Um reino eterno de paz e alegria. Essa é a promessa e seu fundamento é sólido.

Postar um comentário