30 dezembro 2010

Deus, nosso pai


Ó tu, Pai de todos nós, nós nos alegramos porque finalmente te encontramos. Nossas almas estão tranqüilas porque não mais precisamos de nos curvar perante ti como escravos amedrontados, procurando aplacar a tua ira com sacrifícios e autoflagelações. Nós nos chegamos a ti, Deus de amor, como crianças confiantes e felizes. Tu é o único Pai verdadeiro, e toda a delicada e beleza do nosso amor, da mesma forma com a lua reflete o sol, é também reflexo radiante da tua bondade e amor.
Permite que cresçamos espiritualmente, e com o passar dos anos possamos alcançar a plenitude dessa fé. Porque és nosso Pai, que não escondamos de ti os nossos pecados, mas que possamos superá-los com o conforto da tua presença. Sustenta-nos em nossos momentos de tristeza e dá-nos paciência em meio aos mistério não resolvidos que os anos trazem. Revela-nos a grandeza da bondade e do amor que se mostram através das leis inflexíveis deste teu mundo. E através dessa fé faze com que aceitemos alegremente a nossa condição de irmãos de todas as outras criaturas.
Porque a tua vida transborda permanentemente com um sacrifício de Pai amoroso, que possamos aceitar a eterna lei da cruz e nos dar a ti e também a todos os homens. Nós te rendemos graças por Jesus Cristo, cuja vida nos revelou essa fé e essa lei, e nos alegramos que ele tenha se tornado o nosso irmão mais velho. permite que a certeza de que és Pai possa brilhar em nossa vidas com tal beleza que alguns, que ainda se arrastam no limbo do medo, possam colocar-se de pé com filhos livres de deus; e outros que agora vivem como órfãos num mundo vazio, possam estender as mãos para o grande Pai dos nossos espírito e achar-te bem próximo.
Wlalter Rauschenbusch - Orações por um  mundo melhor
Postar um comentário