30 outubro 2010

Mulheres fiéis e seu Deus maravilhoso


Por Marina Coelho

Meu nome é Marina, sou casada a 23 anos com  Aristarco e tenho dois filhos, Lídia de 22 e Levi de 19 anos.  Fiquei muito feliz com o convite do pr. João Eduardo para vir na sua igreja pelo privilégio de conhecê-las. Sou uma serva aprendendo a servir meu Senhor e uma filha buscando expressar seu amor por seu Pai. Não sou chegada a palcos e púlpitos, acho até mais fácil organizar teorias e conceitos a respeito dos diversos assuntos da vida, mas eu preferia caminhar com cada uma de vocês e poder viver esses conceitos nos momentos reais de nossas vidas. Como não terei essa oportunidade vamos então conversar um pouco hoje a tarde como amigas e irmãs.

Mulheres fiéis e seu Deus maravilhoso. O que nos torna fiéis? Ou a que somos fiéis?


Somos  fiéis a quem confiamos e confiamos em quem conhecemos.

Realmente podemos ser fiéis a um Deus maravilhoso, mas será que realmente você confia que seu Deus é maravilhoso? Hoje em dia tenho ouvido pessoas questionarem muito a Deus por conta de tanta violência e dizerem, que Deus é esse que pode tudo e não fez nada na hora que essa criancinha estava sendo violentada ou que esse jovem foi atropelado? Você já pensou assim também? Sua confiança no amor desse Deus maravilhoso é a chave para que você seja fiel.

Não me acho competente para abordar esse assunto, principalmente com respaldo bíblico,  mas gostaria apenas de compartilhar com vocês, minhas irmãs, o que pensei quando uma pessoa veio questionar o amor do meu Deus em relação a esses acontecimentos. Em primeiro lugar eles não acontecem apenas hoje, os homens são maus desde que pecaram e sempre cometeram atos atrozes, apenas hoje temos a mídia que nos mostra diariamente todos esses atos. Tem um horário na tv que se você procurar assistir alguma coisa não consegue porque em cada canal aberto está passando um programa de violência, é rota 22, barra pesada, etc.

Nosso Deus não está de braços cruzados assistindo tudo isso sem fazer nada.  Desde o princípio Ele tem agido, e sua maior prova de amor foi não desistir de nós, Ele poderia ter acabado com a raça humana e feito outra no exato momento que desconfiamos Dele (no Édem) e nós nem saberiamos disso, mas não, Ele nos amou e como nós não conseguiriamos chegar a Ele, Ele mandou seu filho pra pagar o preço em nosso lugar. Se você fica triste ao ouvir que uma criança foi violentada, imagine a tristeza de Deus ao ver essa criança passando por isso, mas também ao ver em que se tornou a outra criança que ele também amou e agora é um adulto capaz de fazer algo assim. Deus ama todos nós e tem agido para acabar todo esse sofrimento. Esse dia vai chegar, e está próximo. Os planos do Senhor não serão frustrados, a eternidade nos fará esquecer qualquer sofrimento vivido aqui e a presença do Deus maravilhoso hoje já nos dá o gostinho dessa alegria incomparável.

Somos fiéis quando temos consciência de quem somos.

Quando duvidamos de nosso valor, do quanto  somos amadas por Deus, sedemos a qualquer sedução que nos aparece e ficamos vulneráveis às tentações. Pode ser um relacionamento destrutivo, que lhe leva pra longe de Deus, que lhe maltrata, pode ser o excesso de trabalho ou estudo que lhe torna insensível aos outros, apenas focado no objetivo de ser alguém (ter valor), mas também pode ser a apatia, dando espaço pra preguiça, pra acomodação, por achar que é inferior e que nunca conseguira nenhuma vitória. Tudo isso nos leva pra longe de Nosso Maravilhoso Deus.

Gostaria de lembrá-la hoje de quão especial você é para seu Pai. A palavra de Deus diz: Gn 1:27 Criou Deus pois, o homem, à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. 

Deus nos fez a sua imagem, não fomos feitas a imagem do homem, mas a imagem de Deus. Ap. 1:5 Àquele que nos amou e pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados. Jesus morreu por amor a mim e a você. Alguém a amou tanto, acredita tanto em você, que deu sua própria vida por você. Mas tem uma coisa que Deus não faz, Ele não nos obriga a nada, Ele optou por nos fazer livres, Ele ama, Ele age, Ele se desdobra pra chamar sua atenção, mas Ele espera que você olhe pra Ele. Receba o abraço caloroso do Nosso Pai. Asssim você pode começar essa caminhada de fidelidade com o Senhor.

Baseado nessa confiamos de quem é Nosso Deus e de quem somos pra Ele, gostaria de ver com vocês o exemplo de duas mulheres que viveram antes de nós e que pra mim são exemplo de fidelidade. O que as tornaram mulheres fiéis, o que elas tiveram de especial.

Ester

Ester viveu aproximadamente 500 anos antes de Jesus nascer, em Susã. Seu pai e sua mãe haviam morrido e Ester foi criada por seu primo Mordecai. Susã havia sido um importante centro político, cultural e religioso durante séculos. No tempo de Ester, a cidade era uma das capitais de um vasto império que se estendia de onde hoje é a Índia, a leste, até a Turquia e Etiópia, a oeste. As ruinas de Susã encontram-se no Irã, perto de sua fronteira com o Iraque.

Ester não vivia em condições muito favoraveis à sua fidelidade a Deus. Com certeza havia escutado as história do Deus de seu povo, mas esse amor de Deus, aparentemente não havia chegado até ela. Era órfã e morava longe de seu povo. A Bíblia diz também que Ester era muito bonita. (Et 2:7), por essa razão foi escolhida para concorrer a vaga de rainha no palácio no lugar de Vastir, que havia sido tirada da sua posição de rainha por desreipeito e desobidiência ao rei. Depois de um ano de preparação (Et. 2:12) Ester foi a presença do rei e ele a escolheu por rainha.

Acredito que diante de tudo que Ester havia passado, a perda dos pais, morando em uma cidade que não valorizava seu povo, tornar-se rainha poderia perfeitamente levá-la a confiar unicamente em si mesma e na sua beleza. Mas segundo o relato da vida de Ester não foi assim que ela agiu.

- Ester foi obediente. Et 2:10. Aprendemos menos hoje e erramos mais porque achamos que já sabemos tudo. Desprezamos, muitas vezes, os conselhos dos mais velhos e nos tornamos arrogantes. Ester considerou a orientação de seu primo padrasto e fez como ele disse.

- Ester dependeu de Deus. Et 4:16. Ester não sabia o que aconteceria. Não confiou em sua beleza, em sua bondade, ou mesmo na bondade do rei,  confiou exclusivamente em Deus e entregou-se totalmente a sua vontade.

- Ester foi paciente. Et 5:1-4. Depois de toda a tensão passada por Ester, se o rei a receberia ou se ela morreria, Ester teve a paciência de marcar outro encontro com o Rei para resolver a situação. Em nenhum momento ela se achou dona da situação.  Quando confiamos em Deus não precisamos resolver de imediato, sabemos esperar. Atropelamos as coisas quando achamos que somos nós que vamos resolver. Quando confiamos em Deus temos paciência. A paciência de Ester deu tempo para a ação de Deus. Et. 7:7-10.

Maria  (mãe de Jesus)

Maria, diferente de Ester, morava com sua família e convivia com seu povo desde pequena. Cresceu aprendendo a amar a Deus e viveu uma vida exemplar, como consequência dessa vida “certinha”  estava com seu futuro garantido, noiva de um homem bom, temente a Deus e que a amava muito. Tudo que uma jovem de sua época poderia sonhar. De repente, em meio aos preparativos de seu casamento, dos chás de cozinha, de langeri, das contratações dos bufês, ela recebe a visita de um anjo. A notícia era, no mínimo, muito extranha. O anjo diz que ela ficaria grávida. (Lc 1:26-31)

- Maria confiou. Lc. 1:34 . Maria confiou a ponto de perguntar como isso iria acontecer. Ela não argumentou a impossibilidade de acontecer o que o anjo estava dizendo, ela apenas não sabia como iria acontecer.

- Maria entregou-se totalmente a Deus . Lc 1:38. Ao ser revelado pelo anjo os planos de Deus Maria não hesitou.  Ela poderia ter pensado em todas as implicações desse anuncio, mas sua atitude imediata, movida pelo foco de sua vida foi entregar-se. Penso que depois que o anjo saiu Maria deve ter dito “o que eu fiz?”, “ eu estou louco” , “vou perder tudo que tenho”.  Mas nenhum desses pensamentos foi mais forte que sua confiança em seu Deus Maravilhoso.

 - Maria arriscou tudo o que tinha (Lc. 1:19) Será que José acreditaria nisso e toda a sua família e amigos? Ela era virgem como poderia estar grávida? Provavelmente seu casamento seria cancelado. Pelas leis de seu tempo ela poderia até ser apedrejada por adultério. José a amava tanto que resolveu fugir e receber para si a difamação (descrédito, calúnia, infâmia) ao invés de imafamá-la (Cobrir publicamente de vergonha).

A fidelidade de Ester resultou no livramento do povo judeu de sua época, a fidelidade de Maria resultou em nossa salvação. O que tornaram essas mulheres fiéis a Deus a esse ponto?

Ester não confiou em sua beleza ou na paixão de seu rei por ela, mas no Deus que conhecia. Maria não se sustentou na sua vida abençoada e certinha, mas no Deus que a havia abençoado.

Hoje somos cada vez mais levados a buscar situações que nos dê segurança, assim quando conseguimos alcançá-las, mesmo que reconheçamos que foi dado por Deus, nos apegamos a essas conquistas como a coisa mais importante para nós. E isso pode ser um marido, um filho, um trabalho, uma condição social, um bem...  Dessa forma quando nos vemos ameaçadas de perder essas bençãos nos apavoramos e deixamos de confiar no Deus maravilhoso.

Essas mulheres e muitas outras nos ensinam que quando confiamos plenamente no nosso Deus somos constantimente desafiadas a sermos fiéis a Ele. A fidelidade não vem sem uma confiança total. 

Quando as circunstâncias não forem favoráveis, minha irmã, e tudo parecer estar desmoronando lembre-se que seu Deus maravilhoso não perde o controle de nada. CONFIE. Esse é o desafio para nossa fidelidade. Confiar em meio as lutas, confiar apesar das circunstâncias, e assim esperimentar milagres em nossas vidas.

Que nosso Deus nos abençoe!



Postar um comentário