30 outubro 2010

Não as impeçam!



13  Alguns traziam crianças a Jesus para que ele tocasse nelas, mas os discípulos os repreendiam. 14  Quando Jesus viu isso, ficou indignado e lhes disse: "Deixem vir a mim as crianças, não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas. 15  Digo-lhes a verdade: Quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nunca entrará nele". 16  Em seguida, tomou as crianças nos braços, impôs-lhes as mãos e as abençoou. Mar 10:13-16 

Esse brado de indignação de Jesus deve nos incomodar. Eu espero que incomode você hoje, que o desaloje de seu conforto e o faça refletir sobre seus compromissos com Jesus.

Jesus achou inadmissível o que seus discípulos estavam fazendo ao tentarem impedir as crianças de se aproximarem dele. Ele é a vida, e sempre que tentamos manter as pessoas distantes da vida, o Senhor fica indignado; porque Ele veio para que tivéssemos vida e vida em abundância.

Acho que se Jesus caminhasse pelas ruas da nossa cidade ele ficaria indignado com o desejo desta sociedade de impedir as crianças de viverem. E ele certamente se voltaria para seus discípulos para dizer: Não impeçam as crianças de viver!

1.   Não as impeçam de viver - A questão do Aborto

É uma situação complexa: ética, filosófica, jurídica, médica, moral, espiritual, social.

·       Há discussões sobre o momento em que a vida passa a existir:
a)    fecundação do óvulo,
b)    formação do sistema nervoso central,
c)     a pílula do dia seguinte é aborto?
·       Há discussões quanto aos casos específicos:
a)    gravidez precoce,
b)    violência sexual,
c)     gravidez com risco para a mãe;
·       Há discussões quanto à legitimidade dos motivos:
a)    não posso ter esse filho neste momento da minha vida,
b)    não tenho condições para sustentar esse filho,
c)     nunca desejei esse filho
·       Há discussões quanto aos direitos sobre a vida.
a)    Alguém tem direito sobre a vida que está sendo gerada?
b)    Diz respeito ao direito da mulher sobre o seu corpo?
c)     O pai biológico tem direito sobre essa vida?
d)    O Estado deve proteger a vida no útero de uma mulher?
·       Há discussões jurídicas:
a)    o ser vivo no útero da mãe tem direitos como os demais seres humanos?
b)    a quem compete zelar por esses direitos?

Embora essas questões sejam pertinentes em um ou outro momento elas não podem se tornar em uma cortina de fumaça. Abortar é interromper o prosseguimento da vida em gestação no útero da mãe. É dizer NÃO para a vida indefessa. Acontece que a vida não nos pertence! É uma dádiva de Deus e apenas Ele tem direitos sobre ela.

Deus reconhece e zela pela vida antes de ela vir à luz. Ele nos conhece e tem planos para nós antes mesmo de termos uma forma humana.

15  Tu conhecias perfeitamente cada parte do meu corpo enquanto eu ainda estava sendo formado no ventre de minha mãe, como a semente que cresce debaixo da terra. 16  Antes mesmo do meu corpo tomar forma humana Tu já havias planejado todos os dias da minha vida; cada um deles estava registrado no teu livro! Slm 139:15-16 

A voz de Jesus ecoa em minha mente: Não impeçam as crianças de viver...

O que podemos fazer de forma prática?

o   Pronunciar-nos pessoalmente contra o aborto e a favor da vida;
o   Apoiar instituições que defendem a vida;
o   Envolver-se com progamas de orientação sexual de adolescente;
o   Denunciar o trabalho infantil sob qualquer forma;
o   Exigir políticas e investimentos em saúde pública;
o   Exigir investimentos públicos em educação básica;
o   Apoiar leis e políticos que são contrários ao aborto.

  
Não as impeçam de viver - A questão do Trabalho Infantil


A mobilização internacional pela abolição do trabalho infantil perigoso está crescendo. E varias fundações com a OIT, Abrinq e o UNICEF buscam desenvolver metodologias e programas para a prevenção e erradicação do trabalho infanto-juvenil.

O trabalho infantil é toda forma de trabalho remunerado exercido por crianças e adolescentes, abaixo da idade mínima legal permitida para o trabalho, usualmente a idade da qual se admite legalmente o trabalho do menor situa-se entre os 14 e os 16 anos..

O trabalho infantil se encontra nos mais variados setores de atividades econômicas: na pesca, no setor industrial, turismo, serviços domésticos, construção, indústrias extrativas e economia informal urbana. Independentemente do setor econômico em que ocorre, o trabalho infantil está ligado ao setor informal da economia.

O trabalho infantil tem causas múltiplas e complexas, porém, em última instância elas apontam para as injustas estruturas sociais, econômicas e políticas.

       I.            Já a questão cultural, a crença de que trabalhar é bom, é apontada pelos especialistas como um dos mitos que legitimam o trabalho infantil no Brasil, esta questão cultural é um dos maiores obstáculos para erradicar o trabalho infantil no Brasil. Esses mitos como: eu também trabalhei quando criança, meu pai trabalhou... isso só reforça esta cultura de que é normal criança trabalhar. Mas o que acontece normalmente é que o trabalho precoce prejudica a escolarização das crianças e uma futura colocação no mercado de trabalho.

     II.            As famílias, principalmente as mais pobres, vêem a questão do trabalho como uma forma de livrar a criança, o adolescente da marginalização, da exclusão social, do envolvimento com drogas. É essa visão cultural que deposita no trabalho uma forma de prevenção dos males.


O trabalho infantil é prejudicial para as crianças, pois a) impede que elas desfrutem da infância, que freqüentem a escola, b) impede o seu desenvolvimento e formação e às vezes c) causa danos físicos ou psicológicos que persistem para o resto da vida. Crianças que estudam e brincam têm melhores condições de ter um futuro melhor.

No Brasil, algumas das formas especialmente nocivas de trabalho infantil são: o trabalho em canaviais, em minas de carvão, em funilarias, em cutelarias (locais onde se fabricam instrumentos de corte), na metalurgia e junto a fornos quentes, entre outros.


1  A MENSAGEM DO Senhor veio a mim ainda uma outra vez: 2  "O Senhor do Universo diz: Estou terrivelmente zangado com o que os inimigos de Jerusalém fizeram à cidade. 3  Voltarei para Sião, a minha terra e morarei, Eu mesmo, em Jerusalém. Ela será chamada 'A Cidade Fiel', 'O Monte Santo' e 'O Monte do Senhor do Universo.' 4  O Senhor do Universo afirma que Jerusalém terá paz e prosperidade por tanto tempo que mais uma vez haverá velhos e velhas andando lentamente pelas ruas, apoiados em suas bengalas, 5  e as ruas e praças da cidade estarão sempre cheias de meninos e meninas brincando. 6  O Senhor diz: "Isso parece incrível para vocês - um resto de povo, pequeno e sem ânimo - mas para Mim é algo muito simples. Zac 8:1-6 BV 

O que podemos fazer?

·       Não contratrar crianças – empregadas domésticas;
·       Não comprar de empresas denunciadas por usar mão-de-obra infantil;
·       Pagar salários justos aos adultos que nos prestam serviços;
·       Denunciar o trabalho infantil sob qualquer forma;
·       Exigir políticas e investimentos públicos na defesa da criança;
·       Exigir investimentos públicos em educação básica;
·       Apoiar leis contra o trabalho infantil.

O trabalho infantil impede a vida de se desenvolver; atrofia a vida. Não tenho dúvidas de que a voz de Jesus ecoa dizendo: Não as impeçam as crianças de viver
  
2.   Não as impeçam de sonhar com o futuro

Aquelas pessoas que tentavam se aproximar de Jesus queriam que Ele abençoasse suas crianças; isso quer dizer que elas tinham sonhos para o futuro de suas crianças, que certamente seriam influenciadas por esses sonhos e também sonhariam com o futuro. A bênção sobre a vida de um pessoa é declaração de fé sobre o futuro.

Quando abençoamos nossas criança temos a esperança de que o futuro deles seja repleto da vontade de Deus. Olhando para o que Jesus fez, acho que podemos extrair três atitudes importantes para aqueles que abençoam as crianças em nome de Deus:

Afirme o valor que elas têm

Jesus valorizou as crianças muito acima da cultura de seu tempo ao usá-las para exemplificar o tipo de pessoa que terá acesso ao Reino de Deus.

...pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas. 15  Digo-lhes a verdade: Quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nunca entrará nele".  Mar 10:14b,15 
Há pais, tios, avós, vizinhos que são hábeis em destruir a frágil autoimagem das crianças:

Você não serve pra nada.  Esse aqui é pior que o pai dele!
Você é um preguiçoso. Venha aqui seu ladrãzinho!
Esse não ser nada na vida. Esse menina é uma abestada!
Você é doido, é menino! Esse aqui não faz nada que preste.
Essa menina é imprestável que nem...

O que sai de sua boca sobre as crianças em sua volta? Bênção ou...
Qual sua reação quando vê alguém amaldiçoando uma criança?

A primeira coisa que Jesus fez foi afimar publicamente que as crianças têm valor; elas guardam si resquícios da confiança que Jesus deseja que faça parte da vida daqueles que se dispõe a segui-lo
  
Tome nos braços

Jesus poderia ter abeçoado às crianças onde elas estavam: nos braços de que as trouxera, mas Ele as colocou em seus próprios braços.

Crianças precisam ser beijadas, abraçadas, afagadas e receber todo o carinho que seja possível dar dentro de um contexto apropriado. O toque físico apropriado e um poderoso sinal de amor.

Meninos e meninas precisam desse carinho. Papais, as expressões de afeto não vão abalar a masculinidade de seu filho, pelo contrário permitirão que no futuro eles exerçam sua sexualidade de forma equilibrada.

Ambos, meninos e meninas, precisam tanto do carinho de Pai quanto do carinho de mãe. São formas diferentes de tomar nos braços, são braços diferentes que expressam jeitos diferentes de amar.

Abençoe

Faça um exercício. Procure expressões de bênção para dizer sobre seus filhos e sobre as crianças em sua volta:

Que seu coração seja temente a Deus por toda a sua vida!
Que o amor de Deus tenha sempre prioridade em sua decisões!
Que você seja uma alegria para o esposo que o Senhor lhe der!
Que você sempre tenha coragem para trabalhar e ganhar o pão!
Que sua vida seja repleta de sorrisos e alegrias!
Que sua alma encontre satisfação nas coisas simples!
Que Deus seja seu refúgio nos momentos difíceis.
Que você seja uma pessoa saudável de corpo, alma e mente.


3.   Não as impeçam de provar o amor

É difícil um pai ou uma mãe que não afirme com convicção que ama seu filho ou filha. Mas é muito comum com os filhos não consigam provar, experimentar desse amor.

Olhando para o que Jesus fez, quero deixar suas sugestões para que seu amor possa ser experimentado por seu filho:

Presença

Jesus permitiu que as crianças estivéssem em volta dele. Elas a tocaram, ele as tocou, ele esteve um tempo com elas.

Provavelmente uma das inquietações dos discipulos era que a implantação do Reino de Deus exigia que Jesus não disperdiçasse seu tempo em encontros de pouca importância. Era necessário promover o desenvolvimento do Reino junto àquelas figuras importantes do judaísmo e de Roma. Mas Jesus, pára tudo para estar com aquelas crianças. Ele as presenteou com sua presença.

Esse é um dos grandes presentes que você pode dar a seus filhos: sua presença. Nada que você compre poderá substituir sua presença. Nada que você diga poderá suprir sua ausência.

Papai e mamãe têm papeis insubstituíveis. Não ceda à tentação de pensar que a escolar resolverá, que a presença da avó resolverá, que a igreja resolverá ou que a consulta com o psicólogo resolverá. Sua presença é indispensável para o crescimento saudável de seu filho.

  
Proteção

Jesus tomou as crianças em seus braço. Isso é uma expressão de acolhimento que transmite segurança a quem é abraçado. Crianças precisam sentir-se seguras e somos nós adultos que devemos transmitir essa segurança.

Infelizmente muitos pais e mães despejam sobre seus filhos todas as amarguras e sofrimentos da vida. As crianças têm-se tornado cada vez mais participantes de um mundo que elas não compreendem nem estão preparadas para lidar.

As desavenças entre marido e mulher, as dificuldades financeiras, as incertezas sobre o futuro, tudo tem sido despejado sem qualquer filtro sobre as cabecinhas de nossos filhos. O resultado é que eles se sentem desprotegidos e desamparados por pais que não sabem o que fazer.

Não estou defendendo a manutenção de uma farsa, uma estorinha bonita, mas é preciso compartilhar com cada criança na medida certa de sua capacidade de lidar com a situação. Além disso, papai e mamãe, se você é algum que ama ao Senhor, esses devem ser momento de compartilhar não apenas as lutas, mas sua confiança em Deus.

Sua proteção, naquilo que está ao seu alcançe e a proteça de Deus naquilo em que você nada pode fazer serão momentos preciososo em que seu filho vai experimentar o amor que você tem por ele.

13  Alguns traziam crianças a Jesus para que ele tocasse nelas, mas os discípulos os repreendiam. 14  Quando Jesus viu isso, ficou indignado e lhes disse: "Deixem vir a mim as crianças, não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas. 15  Digo-lhes a verdade: Quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nunca entrará nele". 16  Em seguida, tomou as crianças nos braços, impôs-lhes as mãos e as abençoou. Mar 10:13-16 

Não as impeça de viver; defenda a vida, proteja a infância
Não as impeça de sonhar; Afirme o valor que elas têm; Tome nos braços; Abençoe.
Não as impeça de de provar o seu amor; esteja presente e as proteja
Postar um comentário