14 maio 2006

Mulheres da Bíblia - Maria

Introdução

Maria era uma jovem judia, filha de pais judeus. Ela viveu na palestina, há mais de 2000 anos, em uma época em que seu país estava sob a dominação do Império Romano.

Sob a opressão dos romanos os judeus ansiavam pela vinda do Messias: um líder prometido por Deus a seus antepassados e que viria livrar o povo de Israel do estado de penúria em que se encontrava. A história de Maria está contada na Bíblia nos evangelhos.

Os evangelhos são biografias de Jesus. Um relato sobre sua vida e seus feitos. Jesus é o personagem principal. Todos os demais são secundários. Maria é um desses importantes personagens coadjuvantes. Hoje vamos aprender com a vida dessa serva amada por Deus.




No sexto mês enviou o anjo Gabriel a Nazaré, cidade da Galiléia, a uma virgem prometida em casamento a certo homem chamado José, descendente de Davi. O nome da virgem era Maria. O anjo, aproximando-se dela disse: “Alegra-te agraciada! O Senhor está com você!”.

Maria ficou perturbada com essas palavras, pensando no que poderia significar esta saudação. Mas o anjo disse: - Não tenha medo, Maria; você foi agraciada por Deus! Você ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe porá o nome de Jesus. Ele será grande e será chamada Filho do Altíssimo. O Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi, e ele reinará para sempre sobre o povo de Jacó; seu Reino jamais terá fim. (Lucas 1:26-33 BV)

Provavelmente Maria não tinha mais do que quinze anos (alguns estudiosos falam em treze) quando recebeu esse aviso do anjo Gabriel. Apenas uma garota, mas uma garota especial.

O que fazia de Maria alguém tão especial para ser escolhida por Deus para abrigar em seu ventre o Salvador? Os tempos eram de tremenda opressão, de expectativa da vinda de um salvador, e assim com Maria, outras jovens provavelmente alimentavam a expectativa de participarem do plano de Deus para trazer um libertador para Israel. Por que Maria? O que tinha ela de especial?

Maria: poucas palavras.

(1) Maria não foi uma profetisa. Ela não levou palavras de contestação a reis e príncipes; (2) Maria não foi uma pregadora, evangelista entre os povos distantes; (3) Maria não fez grandes discursos, nem protestou em passeatas contra a opressão dos romanos;(4) Maria também não foi um escritora ou romancista de sucesso, nem mesmo depois da morte e ressurreição de Cristo. (5) Maria foi simplesmente mãe.

A julgar pelos evangelhos, Maria era uma pessoa de poucas palavras. Depois de descobrir que o pequeno Jesus se perdido da caravana que voltava de Jerusalém para Nazaré, Ela e José, seu esposo voltaram e encontraram o menino no templo, conversando com os mestres. Por três dias o pequeno Jesus, agora com12 anos, havia estado no templo conversando sobre o Reino de Deus. Passada a preocupação, Maria guardou todas essas coisas no coração, provavelmente se lembrando das palavras do anjo Gabriel.

A maior fala de Maria em todo o evangelho acontece logo após ela receber essa notícia do anjo Gabriel. Não foi um discurso, não foi uma profecia, não foi uma poesia, nem um protesto. Foi uma oração em forma de canção.

A Canção

A partir dessa canção de Maria eu gostaria de compartilhar três dos motivos que faziam daquela jovem uma pessoa especial.

Então disse Maria:




Minha alma engrandece ao Senhor (1) e meu espírito se alegra em Deus (2), meu salvador (3); pois atentou para a humildade de sua serva.

De agora em diante, todas as gerações me chamarão bem-aventurada, pois o Poderoso fez grandes coisas em meu favor; santo é o seu nome.

A sua misericórdia estende-se aos que o temem, de geração em geração. Ele realizou poderosos feitos com seu braço; dispersou os que são soberbos no mais íntimo de seu coração.

Derrubou governantes dos seus tronos, mas exaltou os humildes. Encheu de coisas boas os famintos, mas despediu de mãos vazias os ricos.

Ajudou a seu servo Israel, lembrando-se da sua misericórdia para com Abraão e seus descendentes para sempre, como dissera aos nossos antepassados.

Por que Maria? O que tinha ela de especial?

(1) Maria era especial porque ela louvava ao Senhor com suas emoções... Minha alma engrandece ao Senhor. A alma é a sede das emoções. Os sentimentos, agradáveis ou desagradáveis, deixam marcas em nossas almas. Maria colocou suas emoções a serviço do louvor, do engrandecimento de Deus.

Nós vivemos em um mundo que se alimenta de emoções fortes e intensas. São tempos pós-modernos em que os sentimentos têm-se tornado o centro da vida.

Na TV, em meio a uma manifestação, o repórter, com um grande sorriso no rosto pergunta: e aí, o que você está sentindo? No intervalo, o anúncio sobre uma entrevista diz “não perca o depoimento de fulano de tal, você vai se emocionar”. A chamada no rádio sobre o novo sabor de um refrigerante diz: “Prove essa emoção!”

As emoções fazem parte da vida, mas elas não são a vida. Viver em função das emoções é se contentar só com uma parte da vida. A vida é cheia de emoções e não devemos, nem podemos deixá-las de lado, mas há muito mais que isso.

Maria era especial, porque seus medos, suas alegrias, as angústias, as incertezas, sua raiva, sua determinação, sua indignação, estavam à disposição para louvar ao Senhor.


A vida emocional de Maria não era um refúgio, um esconderijo para ela fugir da presença de Deus, mas um livro aberto diante Dele. Por isso, ela podia dizer: a minha alma engrandece ao Senhor. Sua alma engrandece ao Senhor, ou tem-se escondido Dele? Você é capaz de expor o que sente diante de Deus

Deus conhecia o turbilhão de emoções que se passava no coração de Maria. A jovenzinha aprendeu a colocar essas emoções com transparência e confiança diante do Senhor. Ela dispôs sua vida emocional para declarar sua dependência Dele. Deus também conhece o que se passa em seu coração agora, mas Ele quer ouvir a sua voz. Experimente fazer como fez Maria: seja franco com o Senhor. Louve a Ele com suas emoções.

Por que Maria? O que tinha ela de especial?

(2) Em segundo lugar, Maria era especial porque a fonte da sua alegria era o Senhor... Meu espírito se alegra em Deus... O espírito é a sede do nosso relacionamento com Deus, a imagem dele em Nós. É esse o ponto de conexão que nos liga com a eternidade. Maria extraia a alegria da sua vida da sua relação com Deus.

Há uma sede muito grande em nós. É uma sede de significado, de sentido pra vida. Essa sede tem sido aplacada de várias maneiras durante a existência humana. Uma delas é a grande onda espiritualista dos últimos 50 anos.

É impressionante constatar que o mundo virtual do século XXI é um mundo tremendamente espiritualizado. O sujeito liga seu computador de última geração, acessa a internet banda largar e entra em um site para ver horóscopo do dia.

Mesa branca, o jogo do copo, cartomancia, reencarnação, energias espirituais positivas, adivinhações, encostos, o deus e a deusa do paganismo, horóscopo chinês, búzios, meditação, fechar o corpo, tomar um passe, receber uma oração poderosa... Somos uma nação escancarada a todo tipo de expressão de espiritualidade capaz de aliviar um pouco essa sede propósito que nos aperreia a vida.

Como todas as mulheres da sua época, Maria tinha um sonho. Não apenas um sonho: casar e ter filhos. Mas não era apenas um sonho. No mundo em que Maria vivia, casar e ter filhos era o próprio sentido da vida.

Agora lhe chega um anjo, diz que ela vai ficar grávida. A pobre Maria ainda perguntou: como, se sou virgem? A virtude do espírito a cobriria. Um filho sem pai, um noivado desfeito e nome na sarjeta.

No meio de tudo isso e ainda sem saber como tudo aconteceria, Maria buscou significado para sua vida em seu relacionamento com o Senhor. Seu espírito se alegrava Nele. Em que o seu espírito se alegra? O que é que faz com que sua vida tenha sentido? Onde você tem procurado a sua alegria?

Através do profeta Jeremias, o Senhor lançou uma alerta sobre a fonte da nossa alegria.

“ O meu povo cometeu dois pecados terríveis: eles me abandonaram a mim, fonte de água viva; e cavaram suas próprias cisternas, cisternas rachadas que não retêm água.” (Jeremias 2:13 NVI)

Todos nós somos desafiados, pelas palavras de Maria em sua oração, a abandonarmos as cisternas rachadas das nossas vidas e procurar nossa alegria no Senhor. Ele é a fonte de água viva.

Por que Maria? O que tinha ela de especial?

(3) Em terceiro lugar, Maria era especial porque ela tinha uma imagem correta sobre si mesma... O Senhor é o meu salvador...

Algumas pessoas ficam chateadas, até com raiva, quando alguém afirma: eu sou salvo. “É muita arrogância achar que está salvo”. Seria realmente arrogante se essa salvação fosse pelo meu esforço. Maria não diz: eu tenho a salvação; ela diz: o Senhor é o meu salvador. Há uma sutil diferença.

Maria sabia que não poderia salvar-se a si mesma, mas ela não tinha dúvidas sobre o amor e salvação que há em Deus. Ela tinha uma imagem correta sobre si mesma.

Muitas pessoas têm uma péssima imagem sobre si mesmas. Acham-se inferiores, indignas, e incapazes. Pensam sobre si aquém do que realmente são: seres humanos criados à imagem e semelhança de Deus, e por isso são incapazes de enxergar o amor de Deus por elas. Há em você um reflexo de Deus. A bíblia diz que Deus já provou o amor dele por você entregando Jesus para morrer na cruz. Levante a cabeça!

Já outras pessoas têm uma imagem excessivamente positiva sobre si mesmas. Acham-se superiores, cheios de direitos e capazes de fazer qualquer coisa com seu esforço próprio, por isso são incapazes de enxergar o seu estado de pecado e rebeldia. A Bíblia diz que todos somos pecadores e precisamos de Deus. Por isso seja mais modesto ao pensar sobre si mesmo. Dobre os Joelhos!

Nem aquém, nem além. Maria tinha uma imagem correta sobre si mesma. Também eu e você somos desafiados a corrigir a imagem que temos de nós mesmos. É na palavra de Deus que essa imagem é corrigida. Por isso, abandone as crendices e a religiosidade e use a bíblia como um espelho para enxergar quem você é. Nem aquém, nem além.

Conclusão


O anjo, aproximando-se dela disse: “Alegra-te agraciada! O Senhor está com você!”. (Lucas 1:28 NVI)

Alegre-se minha irmã! O Senhor está com você. Gerar o salvador em seu próprio útero foi um privilégio exclusivo de Maria, uma mulher especial, uma mãe especial.

Mas você também pode se tornar uma pessoal especial para os propósitos de Deus. Seus filhos e marido e cada uma de vocês pode se tornar instrumento pronto para ser usado por Deus. Ele quer fazer isso. Deus que todos sejamos especialmente usados por Ele.

Que tal fazer como Maria?

Primeiro, louve ao Senhor com todas as suas emoções. Não esconda nada dele. Abra suas emoções e sentimentos em oração e clamor diante dele. Ele vai compreender.

Segundo, descubra as cisternas rachadas que você construiu na sua vida. Pessoas e situações que se transformaram no sentido e propósito da sua existência. Abra mão delas e busque a fonte de água viva. O Senhor Deus.

Terceiro, use a Bíblia, a palavra de Deus como um espelho para você enxergar exatamente quem é. Não pense menos, nem mais; Nem aquém, nem além. Procure conhecer ao Senhor. Ele vai lhe mostra sua verdadeira imagem.
Postar um comentário