28 outubro 2007

Família: Idéia de Deus - 6/6

Uma Proposta Bíblica para a Família

Por Aristarco Coelho
Igreja Batista do Caminho


Estamos há cinco semanas refletindo sobre a família como uma idéia de Deus e procurando compreender os desafios que enfrentamos em nossos dias.

Partindo da idéia de uma família nuclear e da existência de papéis e funções definidos, a Bíblia nos oferece indicadores de grande importância para vivermos família de maneira que Deus seja louvado através de nossas vidas.

Hoje vamos clamar mais uma vez ao Espírito de Deus para que nos esclareça o entendimento e faça da Palavra de Deus um espelho capaz de revelar quem somos.

Antes, eu gostaria de parar para dizer que embora seja muito necessária nossa preocupação como a família, ela não é um fim em si mesmo. A família é apenas um meio para que possamos cumprir nosso propósito maior: fomos criados para o louvor da glória de Deus; para reconhecer e refletir sua bondade, sabedoria, justiça, amor, fidelidade e todos os maravilhosos atributos comunicáveis do seu caráter.

Vamos apresentar essa proposta para a família em dois blocos. No primeiro vamos entender o que a Bíblia tem a dizer para os maridos; no segundo vamos investigar as orientações para as esposas.

Para começar, gostaria de ler Efésios 5:25-33 e I Coríntios 7:3-5. A partir deles vamos delinear um conjunto de atitudes recomendadas por Deus para os MARIDOS no contexto do casamento:

Maridos

(25) Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, (26) para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra, (27) para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito. (28) Assim também os maridos devem amar a sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama. (29) Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja; (30) porque somos membros do seu corpo. (31) Eis por que deixará o homem a seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher, e se tornarão os dois uma só carne. (32) Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja. (33) Não obstante, vós, cada um de per si também ame a própria esposa como a si mesmo, e a esposa respeite ao marido. (Efésios 5:25-33)

Esse texto é um grande desafio para todos os homens. Nele podemos destacar duas principais orientações que o Espírito de Deus levou o apóstolo Paulo a registrar para os homens casados: (1) ame sua esposa como Cristo amou a Igreja e (2) ame sua igreja como você ama seu próprio corpo.

Além disso, através de várias comparações, Ele nos explica que essas duas maneiras de amar não são apenas da boca para fora, mas se traduzem em atitudes que podem ser verificadas. Não é um amor apenas sentimental, mas um amor prático.

1) Ame sua esposa como Cristo amou Igreja

(25) Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela,

i. Entregou a própria vida por ela; Homens, Deus nos chama a cultivar em nossos corações o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus. Ele abdicou de qualquer posição que inspirasse superioridade e por fim abriu mão da própria vida. Como Ele conseguiu isso?

Jesus sabia que o Pai estava cuidado dos seus direitos e zelando pelo seu bem estar, por isso ele podia entregar sua vida pela igreja. O desafio, então, é confiar que enquanto você se doa para sua esposa, o seu Deus estará cuidando do você.

Há homens que só pensam em si mesmos. As coisas que compram, os programas que assistem, as comidas que comem, os lugares em que vão, tudo o que fazem são reflexos de suas próprias vontades.

Irmão, aceite o desafio da Palavra: torne sua esposa uma prioridade mais elevada que a sua própria vida. Não tenha medo, você será cuidado pelo Senhor se fizer isso.

(26) para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra,

ii. Viveu para a santificação dela; A palavra utilizada para santificação, hagiadzo (hag-ee-ad'-zo) esta relacionada às cerimônias de consagração para o louvor a Deus. Assim, a palavra de Deus desafia os maridos a aperfeiçoarem sua esposa de maneira que a vida dela esteja preparada para dar glória a Deus. Quem fazia esse papel era o sacerdote. Ele realizava cerimônias que preparavam os utensílios usados na adoração a Deus.

Deus chama os homens a assumirem funções sacerdotais em seus lares. Ainda que cada pessoa tenha livre acesso a Deus sem qualquer intermediação, os homens são chamados para criar condições favoráveis para que suas esposas adorem ao Senhor.

Há homens que só criam dificuldade. A esposa quer vir à igreja, mas o sujeito entorta a cara. A mulher precisa de um tempo para ler a Bíblia e orar, mas o sujeito não dá trégua nas exigências. Quando a esposa se interessa por algum assunto espiritual, ele dá logo um tranca e diz que ela “tá ficando muito beata!”.

O Senhor lhe chama hoje para deixar de ser um empecilho entre sua esposa e Ele. Assim com Jesus, sua atitude precisa ser no sentido de aproximá-la do Senhor.

(26) para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra,

iii. Agiu para purificá-la - katharidzo (kath-ar-id'-zo); Verbo grego traduzido como purificar pode também significar limpar, tornar limpo ou purgar. Há um sentido para a expressão purgar que é bastante adequado à palavra original usada por Paulo: purgar é livrar de, remover, desembaraçar.

O Amor com o qual Deus nos desafia a amar nossas esposas deve nos levar a livrá-las de suas falhas e imperfeições em vez de acusá-las e recriminá-las.

Amado irmão, não embarace a alma de sua esposa com acusações sem fim. Receba-a como ela é e trabalho com dedicação e amor para remover suas falhas e imperfeições. Foi isso que Cristo fez à Igreja.

(27) para apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito.

iv. Preservou sua integridade e beleza; Aqui o Espírito de Deus levou o apóstolo a usar expressões que estão relacionadas à beleza do rosto: manchas e rugas.

Homens de Deus, nós somos chamado a zelar pelo bem-estar espiritual e até físico de nossas esposas. Através de nossas atitudes podemos enchê-las de manchas e rugas precoces, tanto espirituais como até mesmo físicas.

Mas se assumirmos nossas responsabilidades como líderes amorosos e prestativos as livraremos de pesos para os quais o Senhor não as fez.

2) Ame sua esposa como ao próprio corpo

(28) Assim também os maridos devem amar a sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama. (29) Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja;

i. Alimente-a e cuide dela; Ao nos desafiar alimentar e cuidar de nossas esposas da mesma maneira que nos alimentamos, a Palavra de Deus afirma que devemos oferecer as condições necessárias para o crescimento delas. Estamos sendo chamados por Deus para investir no crescimento de nossas esposas assim como investimos em nós mesmos.

Por isso, não deixe que ela se sinta desamparada. Sua esposa deve crescer junto com você nas várias dimensões da vida (intelectual, emocional e espiritual). Invista tempo e recursos para que isso aconteça. Alimente-a.

Irmãos, deixem-me falar um pouco sobre a liderança no lar. Ser líder não é motivo para ninguém se achar superior ao outros. O líder não deve ser um déspota, violento ou não, que impõe sua vontade ao outros. A liderança em casa deve ser fruto de uma atitude de quebrantamento na presença do Senhor, de um espírito humilde e um coração de servo.

Liderar sua casa é estar pronto para ouvir do Senhor o rumo que ele deseja dar a sua família e implementar essa caminhada com a participação de todos os membros da família.

(3) O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido. (4) A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher. (5) Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e, novamente, vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência. (I Cor 7:3-5)

3) Satisfaça sua esposa sexualmente

(3) O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido.

A satisfação sexual é um direito de sua esposa. Às vezes fico impressionado como somos infantis quando o assunto sexo entra em pauta. Parece que muitos de nós não conseguimos ultrapassar a adolescência nessa área. Dá logo um nervoso, as mãos ficam frias e torcemos para que o assunto deixe o mais rápido possível a esfera pública.

Homens, precisamos abandonar nosso egoísmo e nos tornar sensíveis as necessidades sexuais de nossas esposas. Converse com ela. Ouça-a sobre o assunto. Abandone o medo, a vergonha e a arrogância de achar que sabe tudo. Você vai descobrir que a satisfação sexual de sua esposa pode ser satisfação para você também.

4) Não utilize o sexo como forma de dominação.

(4) A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher.

Você não tem esse direito. Abra mão de utilizar seu corpo como forma de intimidação, sendo agressivo em seu relacionamento. Seu corpo pertence a sua esposa. Permita que ela o possua assim como você a possui.

5) Não prive sua esposa de sexo

(5) Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e, novamente, vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência

Aqui quero falar sobre outro tema que habita nos porões da reflexão evangélica. Falar a homens sobre privar sua esposa de sexo pode parecer estranho para nossa cultura. No entanto, quando substituímos a relação sexual madura, a interação como nossas esposas, pela masturbação, nas madrugadas em frente à TV ou diante do computador, estamos privando nossas esposas daquilo que lhe é devido. Derrube a certa de proteção que foi instalada em volta deste assunto, irmão. Converse com sua esposa.

Sei que muitas das palavras ditas até aqui são difíceis não só de ouvir, mas principalmente de viver. Na verdade, irmãos, acredito que não podemos vivê-las apenas através de nosso esforço pessoal. Há recursos sobrenaturais, vindos do Deus, que nos capacitam para cumpri bem o papel para o qual fomos chamados. Não perca as esperanças! O Senhor pode fazer isso em sua vida!

ESPOSAS

Deus não deixou as esposas sem orientação. No contexto das duas passagem que vimos até agora o Senhor também deixou registrado algumas palavras para as mulheres. Vejamos os textos:

(22) As mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor; (23) porque o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, sendo este mesmo o salvador do corpo. (24) Como, porém, a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo submissas ao seu marido. (Efésios 5:22 – 24)

1) Submeta-se a seu marido como a Igreja se submete a Cristo

(22) As mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor

i. Considere-o como líder; Mesmo com toda pressão exercida pelo feminismo, acredito que não seria difícil pedir às esposas cristãs que se submetessem à liderança de maridos que tivessem as atitudes que acabamos de ver: Homens de caráter, íntegros, amoroso, cuidadosos e sensíveis às suas necessidades. O problema vivido por muitas esposas é que seus maridos não são assim. O desafio da Palavra para cada esposa é tratar seu marido como líder mesmo quando ele ainda não age como tal.

Mesmo reconhecendo as limitações dele (e as esposas mais que ninguém conhecem nossas limitações) decida considerá-lo como o líder do seu lar. Afirme isso com sua atitude diante de seus filhos, diante da igreja ou em qualquer outra situação. Ore ao Senhor pelo seu marido, para que ele seja capacitado por Deus e lhe entregue a liderança da família. Deus deu a ele essa responsabilidade, não a você.

(23) porque o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, sendo este mesmo o salvador do corpo.

ii. Confie em sua liderança e no seu amor; Quando leio as palavras do apóstolo Paulo comparando a liderança do esposo na família com a liderança de Cristo na Igreja, percebo o quando é desafiador para as esposas confiarem em nossa liderança.

Digo isso porque a própria igreja tem dificuldade de confiar na liderança de Cristo. Quantas vezes em nossas igrejas assumimos o controle da situação fazendo o que achamos melhor e desconfiamos disfarçadamente da bondade e do amor de Cristo por sua Igreja.

Por isso, queridas irmãs, não desprezo o desafio que a Palavra apresenta. E o desafio é este: Confiem que o Senhor irá desenvolver em seu esposo o tipo de liderança amorosa que Ele mesmo tem para com sua igreja, ainda que isso não esteja acontecendo no momento.

(1) Mulheres, sede vós, igualmente, submissas a vosso próprio marido, para que, se ele ainda não obedece à palavra, seja ganho, sem palavra alguma, por meio do procedimento de sua esposa, (2) ao observar o vosso honesto comportamento cheio de temor. (3) Não seja o adorno da esposa o que é exterior, como frisado de cabelos, adereços de ouro, aparato de vestuário; (4) seja, porém, o homem interior do coração, unido ao incorruptível trajo de um espírito manso e tranqüilo, que é de grande valor diante de Deus. (5) Pois foi assim também que a si mesmas se ataviaram, outrora, as santas mulheres que esperavam em Deus, estando submissas a seu próprio marido, (6) como fazia Sara, que obedeceu a Abraão, chamando-lhe senhor, da qual vós vos tornastes filhas, praticando o bem e não temendo perturbação alguma. (I Pe 3:1-6)

(1) Mulheres, sede vós, igualmente, submissas a vosso próprio marido, para que, se ele ainda não obedece à palavra, seja ganho, sem palavra alguma, por meio do procedimento de sua esposa, (2) ao observar o vosso honesto comportamento cheio de temor.

2) Submeta-se à liderança de seu marido como testemunho de sua fé e de sua confiança em Deus

Aqui há uma palavra para você, minha irmã, cujo marido ainda não obedece à Palavra. Não é o seu muito falar que o convencerá, mas os eu procedimento honesto e respeitoso.


Há mulheres que se pudessem converteriam o esposo na marra. Isso não funciona assim. É a sua maneira de proceder que fará a diferença. Não adianta despejar Bíblia sobre o sujeito se o seu testemunho atrapalhar.

Hoje o Senhor lhe chama a confiar no mover do Seu Espírito e abrir mão das estratégias humanas. Apenas viva de forma honesta e respeitosa com seu esposo e espere o agir de Deus.

(3) Não seja o adorno da esposa o que é exterior, como frisado de cabelos, adereços de ouro, aparato de vestuário; (4) seja, porém, o homem interior do coração, unido ao incorruptível trajo de um espírito manso e tranqüilo, que é de grande valor diante de Deus.

3) Enfeite-se com um espírito manso e tranqüilo

Querida irmã, preste bastante atenção ao este texto está dizendo. Espírito manso e tranqüilo têm grande valor diante de Deus. Você sabe por quê? Porque mansidão e tranqüilidade são frutos colhidos de um coração que confia no Senhor. Não se inquiete, aja de forma a promover a paz. O Senhor está vendo a beleza de suas atitudes e valoriza muito isso.


(3) O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido. (4) A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher. (5) Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e, novamente, vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência. (I Cor 7:3-5)

4) Satisfaça seu marido sexualmente. É um direito dele.

Queridas irmãs, nenhuma de vocês é obrigada a submeter-se a caprichos malucos ou fantasias pecaminosas de seus maridos. Mas veja o que o apóstolo Paulo fala com simplicidade. Seu marido tem direito a desfrutar de uma vida sexual plena com você. Converse com Ele. Entenda as tensões e pressões às quais ele está submetido nessa sociedade que transpira sexo por todos os poros. Ajude-o a direcionar seu desejo para você e conceda-o que lhe é devido.

5) Não utilize o sexo como moeda de barganha.

Você não tem esse direito. As características da libido feminina permitem às mulheres usar o sexo como moeda de barganha. Fez o que eu queria, tem sexo. Não fez o que eu queria, não tem sexo. Aí vem dor de cabeça, dor no pé, dor de estômago, mal estar e uma série de artifícios manipuladores. Não faça isso minha irmã. Além de frustrar as expectativas de seu esposo, você não está sendo íntegra. Está escondendo seus sentimentos e usando o sexo como arma de proteção.

6) Não prive seu marido de sexo.

Você não tem esse direito. Queridas irmãs aqui eu gostaria de ressaltar a conexão que o apóstolo Paulo faz entre o sexo e o mundo espiritual. Quando o casal não está suprido sexualmente abre-se uma brecha para que o inimigo tente minar a integridade dos dois expondo-os à infidelidade. Orientação de Paulo chega a ser normativa: Casal casado sem sexo? Apenas com o consentimento dos dois, por pouco tempo e para uma dedicação especial à oração. Não prive seu marido de sexo saudável e abençoado por Deus.

Conclusão

O Senhor não nos deixou sem orientação quanto ao projeto família. É preciso apenas que estejamos dispostos a obedecer a sua Palavra e a permitir que seu Espírito faça isso em nós.

Php 1:6 tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus,
Postar um comentário